Joanesburgo – África do Sul

Johannesburg a capital da África do Sul, ops!!! Ela não é a capital do país!! Demorei para descobrir (rs), mas nem por isso Jozi (apelido carinhoso), não merece uns dias para explorá-la. Museus, monumentos, história e até boa cerveja você vai encontrar aqui, e lugar melhor para entender a cultura e história deste país incrível não há, pode acreditar.

INFORMAÇÕES DE: Agosto de 2017.

ROTEIRO PARA: 1 dia.

TIPO DE VIAGEM: Mochilão de Férias África do Sul e Namíbia – Parte II.

HOSPEDAGEM: Hostel Once in Joburg (em Johannesburg) – (R 285  / dia – R$ 99,75) – Preço de quarto compartilhado com 4 pessoas.

Ótimo lugar, limpo, cama excelente, ótima infra-estrutura e bem localizado. A única coisa estranha é que o banheiro no quarto tem o vidro um pouco transparente, meio sem privacidade…rs. Está próximo a algumas paradas do Hop On – Hop Off (Ônibus que te leva a todas as atrações turísticas).

Procurando lugar para ficar? Aproveite e reserve sua hospedagem aqui no Booking.com com o Quero Mochilar, você não paga nada a mais por isso e ajuda a manter o blog no ar.

SOBRE JOANESBURGO

Joanesburgo ou Johannesburg (em inglês) é a maior cidade da África do Sul e a sexta cidade mais populosa do continente africano, com mais de 4 MM de habitantes. Com toda esta dimensão, Joburg ou Jozi, como também é conhecida, é o principal núcleo urbano, industrial, comercial e cultural do país, fazendo com que muitos pensem que aqui é a capital do mesmo, inclusive eu pensava (rs), e descobri isso só depois que voltei de lá, que as capitais são:  Pretória (sede do Poder Executivo), Cidade do Cabo (sede do Poder Legislativo) e Bloemfontein (sede do Poder Judiciário).

Fundada no ano de 1886 pelos britânicos, quem colonizavam o país, a região da cidade cresceu devido as grandes reservas de ouro e diamantes. Em meio a tanta riqueza, também cresceu aqui a desigualdade social, até chegar ao ponto máximo da segregação racial com o Apartheid – onde os brancos tinham suas garantias e privilégios estabelecidos por lei – e foi desta segregação que surgiu na região sul da cidade a township de Soweto, uma área que foi destinada aos negros, e que se tornou o símbolo da luta contra o Apartheid até se emancipar como cidade tempos depois.

Mesmo com tantos problemas sociais que ainda assolam o país, Joburg vem mudando ao longo dos anos, tanto que chegou a sediar a Copa do Mundo em 2010, e com isso uma melhor rede de hotéis, transporte, lojas e estrutura no modo geral tomou conta do lugar.

A África sempre procurada por Safáris, faz com que muitos passem por esta cidade sem dar a ela a devida a atenção, e sinceramente, ela merece, pois aqui você encontrará muito mais que apenas uma grande metrópole.

Borá explorar Jozi?

15.1- Quero Mochilar

Como chegar?

Para chegar a maior cidade do país você não terá problema, a entrada mais comum é o Aeroporto Internacional Oliver Tambo, que fica no distrito de Gauteng, aliás este é o aeroporto mais movimentado de toda a África.

As rodovias que ligam o interior do país a Joanesburgo também estão em ótimas condições, por isso vou me prender mais na questão de acessos e priorizar falar sobre…

Como se locomover na cidade?

1- Uber e Táxi: Graças a Deus você chegou na nossa vida Uber!!! Adeus preços abusivos aos turistas!!!

O Uber funciona muito bem na cidade e é possível pagamento em dinheiro e cartão, sendo a opção mais cômoda, barata e rápida de locomoção.

Táxi como conhecemos aqui são chamados de “cabs”, se você falar Táxi para um africano, ele irá pensar nas Vans (que descrevo abaixo). Os táxis, ou cabs, eram para ser por taxímetro, mas como ficam desligados na maioria das vezes negocie a corrida antes de começar, caso a opção do taxímetro não seja possível.

2- Transporte público (Táxi): São com as Vans, que eles chamam de táxi aqui. É a mais barata, e pode ser escolhida por aqueles viajantes que tem mais tempo. Só ressaltando que é a mais barata, porém, vale lembrar que o transporte público aqui é precário e não muito seguro para turista, portanto avalie bem para optar por esta maneira.

Se for ficar muitos dias na cidade, recomendo pesquisar sobre o Gautrain, um transporte criado para atender a copa de 2010 e que dizem funcionar muito bem, mas eu mesmo não cheguei a conhecê-lo.

3- Carro: Se locar um carro lembre-se que aqui é mão inglesa, e você pode ficar confuso, além do fato que Joanesburgo ser uma cidade com alto índices de criminalidade e ficar perdido aqui pode ser perigoso.

4- Agências privadas com City tour: Nos próprios hostels e hotéis são oferecidos vários passeios privados pela região. Essa pode ser a opção mais cara, mas também a mais otimizada e bem aproveitada para ver muito em pouco tempo.

5- Ônibus Hop On – Hop Off: Sim, o vermelhão de dois andares que tem em toda cidade turística. Este para mim é a melhor das opções para explorar a cidade, e também a mais indicada por quem irá passar por aqui e tiver poucos dias.

Como funciona: Se informe dos pontos do ônibus na cidade, há vários. Você escolhe o tipo de passeio e paga a tarifa escolhida na hora mesmo ao motorista. É bom lembrar que os ônibus passam nos pontos de meia em meia hora e que são 4 opções de ticket, conforme abaixo:

Tours de 1 dia:

  • Bus ticket: R 190 – City Tour.
  • Bus & Soweto: R 470 – City tour + Soweto.

Tours de 2 dias:

  • Bus ticket: R 290 – City Tour.
  • Bus & Soweto: R 570 – City tour + Soweto.

OBS:

  1. Crianças e adolescentes de 5 a 17 anos: Tem desconto e menores que 5 anos não pagam.
  2. Compra on-line tem desconto de 10%:  www.citysightseeing.co.za.
  3. Não tem áudio guia em português.

Como escrevi no post de Soweto, acabei comprando a opção do City Tour + Soweto: R 570 – ( R$ 199,50) no dia anterior.

Quando ir?

A região da cidade é bem alta, maior que 1.700 metros de altitude, o que tem influência direta no clima.

As estações do ano são as mesmas que a do Brasil, ou seja, verão aqui, verão lá.

Período mais frio: Maio a setembro, chove pouco e a região fica bem fria, algumas vezes perto de zero grau, sendo a época ideal para os Safaris, quando os animais ficam mais ativos, e não precisam ficar se escondendo do calor nos arbustos.

Período mais quente: Outubro a abril, faz bastante calor e chove com uma maior freqüência, sendo os meses mais chuvosos de novembro a março.

Como praticamente todas as atrações são em locais fechado, qualquer tipo de clima não irá interferir no seu passeio pela cidade, portanto: Don´t worry!!!

Importante lembrar que as épocas de temporadas coincidem com as férias na Europa.

Consulte histórico e mais informações climáticas da cidade: Aqui.

Segurança.

Este é a preocupação número um de quem viaja e na África do Sul, assim como no nosso querido Brasil as estatísticas de criminalidade são de dar medo (rs), principalmente para mulheres, já que os índices de violência sexual estão entre os mais altos do mundo e ainda tem o agravante que a infecção de HIV, que aqui é alta. Portanto não se preocupe, apesar de tudo isso, e com os cuidados necessários Joanesburgo pode ser um lugar seguro para viajar.

Este índices de crimes, são mais para a população local, os índices com turistas são raros e, na maioria das vezes, limitam-se a furtos.

Todos os lugares te indicam a não andar pelas ruas após as 17h, por tanto, onde quer que vá e não importa a distância, 2, 3 quarteirões não arrisque durante a noite.

Importante lembrar também que na África do Sul há casos de malária, o que não se tem vacina, por isso leve repelente e tome alguns cuidados e procure saber se a região que esta é de incidência da doença.

Viajar sem um seguro viagem é loucura, portanto nunca faça isso!

Aproveite, faça sua cotação e reserve seu Seguro Viagem com a parceira do Quero Mochilar a Mondial Assistance.

mondual

Fechando seguro viagem pelo link do site, você pode ganhar um Diário de Bordo do Quero Mochilar – Saiba mais.

ROTEIRO

Dia 03: 28/08/2017 – Explorando Joanesburgo.

Mais um dia chegou, e a animação era muita, afinal era o segundo dia de viagem e tinha muuuuita coisa para se ver e fazer em Jozi.

Dormi um pouco mais, pois apesar do ônibus do Hop On – Hop Off começar as 8 AM, queria ainda descansar da viagem e planejei começar o dia pelo Constitution Hill, que era próximo ao Hostel e só abria as 9 AM.

Por sorte, além do Once In ser um ótimo Hostel, era servido um café da manhã, bem simples, mas delicioso! O suficiente para aguentar até o almoço.

0- Quero Mochilar - Joburg

Foto: Café da manhã simples, mas caprichado. Opção de escolha de pão, e bebida.

Café tomado, bora caminhar até a entrada do Constitution Hill, que do hostel são 900 metros, algo em torno de 15 min de caminhada até lá.

A primeira coisa que observei ao andar na rua foi: “ Cadê a buzinação??? O transito caótico??… Não tinha!!

Na minha cabeça eu veria um transito parecido, ou um pouco melhor que o Egito, esta era a impressão errada que eu tinha em mente da África do Sul, mas se não fosse a mão inglesa, eu poderia falar que olhando o tráfego da cidade, Joanesburgo se parece com qualquer capital brasileira, e olha que mais organizada ainda que algumas.

Agora chega de conversa e borá então explorar Joburg comigo!

PS: Daqui para frente estarei falando sobre os principais pontos da cidade que consegui conhecer em um dia e darei dicas do que ficou para trás e eu gostaria de ter tido mais um dia para fazer.

O QUE FAZER EM JOANESBURGO?

1-CONSTITUTION HILL

Horário de funcionamento: Diariamente das 9h00 ás 17h00.

Entrada: R 65 (R$ 22,75)

OBS: Se você esta com o ingresso do ônibus Hop On – Hop Off, você tem 25% de desconto e acaba pagando R48.75 (R$ 17,00).

Há várias outras opções de tour de passeio e valores, inclusive tour guiado, procure saber na recepção.

Duração: Recomendo pelo menos 2 horas para aqueles que querem realmente ler todos os murais e entender mais a fundo. Eu acabei fazendo em uma hora e meia, mas pulei algumas leituras.

Parada Hop On – Hop Off: 5.

Um pouco sobre o Constitution Hill …

O que antes era um dos lugares mais opressivos da África do Sul, hoje em dia é uma verdadeira celebração à democracia e à liberdade, mostrando como o país ganhou de volta sua liberdade e agora protege os direitos de seus cidadãos.

1- Quero Mochilar Joburg

Foto: Já do lado de fora você irá encontrar: A chama da democracia, que simboliza a luta pelo direito igual a todos que residem no país, independente da cor da sua pele. Simboliza a luta daqueles que brigaram por esses direitos. Esta acessa desde dezembro de 2011.

O lugar é imenso e abrigava uma prisão. Atualmente podemos visitar e ver de perto uma parte da trágica história desse país, com todas suas injustiças sociais, culturais e políticas. No Constitution Hill também fica a sede do novo Tribunal Constitucional, desde 1995.

7- Quero Mochilar Joburg

Foto: Prédio do Tribunal Constitucional ao lado do museu. Este edifício foi construído com material do antigo complexo, e representa um novo futuro, mas sem esconder seu passado. 

7.1- Quero Mochilar

Foto: Com o fim do Apartheid, o Tribunal Constitucional aqui se estabeleceu, devido a Importância histórica do local e seu grande espaço.

O Constitution Hill (Tribunal Constitucional) é um importante museu construído nas ruínas de um antigo forte militar e prisão, que ficou famoso por ter mantido como prisioneiro duas figuras de peso mundial: Nelson Mandela e Gandhi. Vale ressaltar porém, que aqui ficavam tanto criminosos comuns como prisioneiros políticos, que eram o caso deles.

Assim, como o Museu do Apartheid, este lugar é indispensável para quem quer conhecer um pouco mais da história do país e da segregação racial.

Nesta visita você poderá entender melhor como funcionava esta tal segregação, mesmo antes do Apartheid e entender ainda algumas das humilhações as quais os prisioneiros eram submetidos.

O prédio começou a funcionar em 1893 com o objetivo inicial de manter prisioneiros brancos, mas em 1896 se tornou um forte militar, após britânicos tentaram derrubar o governo holandês do país.

Para se protegerem desta invasão foram construídas uma série de fortalezas e uma delas é o Old Fort, que circunda esta prisão. E foi somente no final deste conflito, no ano de 1902, Constitution Hill voltou a ser uma prisão.

E em uma prisão, o que já era de se esperar em uma época de Apartheid, os ditos brancos e não brancos (negros, indianos etc…) tinham tratamentos e áreas separadas e isso que vou mostrar um pouco aqui.

O fim do Constitution só aconteceu no ano de 1983, quando os prisioneiros foram transferidos para uma nova prisão – Diepkloof – ao sul de Joanesburgo.

Entendemos um pouco, agora é hora de ver tudo isso… Vamos lá?

1.1- Quero Mochilar Joburg

Foto: Pátio, que dá acesso as salas onde estão todas as histórias. Hoje um belo pátio, mas muita tristeza já se passou por aqui, para alguns merecida, mas para outros não.

1.2- Quero Mochilar Joburg

Foto: Detalhe neste pátio para o busto de Gandhi que foi preso em 1908 por entrar em Joanesburgo sem estar portando o seu passe de acesso a cidade. Lembrando, que todos na África do Sul tinham que ter um documento que te classificava como branco e não branco, e este documento dava acesso a certas áreas – detalhe, até estrangeiros precisavam deste documento.

Agora você me pergunta, por que Gandhi não carregou o bendito documento?. Sim, ele não concordava com este absurdo, e por isso não o levou com ele, pois se já tinha o visto, não via para que estar portando este documento.

Motivão para prisão né??? Ahhh escrota humanidade…

O museu é bem organizado, com muito material escrito em banners e parede (inglês) e pena que não tem aqueles guias de ouvido, pois seria bem interessante, fiz o tour por conta própria, mas se preferir é possível fazer o tour guiado.

Ainda no pátio principal vemos o lugar onde os prisioneiros alimentavam e como a alimentação funcionava.

6- Quero Mochilar Joburg

Foto: Utensílios usados para o almoço e jantar.

Importante ressaltar que até a alimentação era diferente para os presos, que trabalhavam também em diferentes funções, sendo destinados aos negros um trabalho mais braçal nas minas e aos demais um trampo mais administrativos.

E como funcionava esta alimentação diária:

  • Comum a todos os presos: Pão (mais em diferentes porções dependendo da cor da pele).
  • Brancos: Recebiam leite (diariamente).
  • Não brancos: Sem leite, sem açúcar, farinha e gordura.

A principal alimentação era a conhecida Puzamandhla, uma gororoba de milho com fermento, que dava muita energia para o trabalho.

Ainda no pátio você ira ver como funcionavam o banho e banheiro dos presos.

Quero MOchilar CH1

Foto: Estas placas informativas estão em todos os lugares contando a história do lugar. Esta está em frente ao banheiro.

Quero Mochilar CH

Banheiros: Latrinas – para humilhá-los o banheiro era aberto, e no local onde tinham as refeições. Assim além do mal cheiro, tinha a humilhação da falta de privacidade.

Outra coisa interessante que aprendemos no pátio era sobre o banho. Haviam somente 12 chuveiros que funcionavam por 30 minutos, e todos tinham que neste tempo disputar seu espaço para tomar seu banho. Detalhe, estes todos somavam em torno de 2 mil pessoas.

Acho que todo dia não rolava, né? rs…

A pior das humilhações era a chamada Tausa, e nos depoimentos dos prisioneiros que ficam expostos no pátio um ainda diz: ” Nada era pior que a Tausa”. Este procedimento era uma conferência feita pelos guardas para saber se tinham algo escondido no ânus.

Todos os prisioneiros era obrigados a ficarem nus na frente de todos e tinham que agachar com as pernas abertas, pular e agachar novamente. É! Realmente não deve ser nada divertido estes pulinhos…

Saindo do pátio há várias salas onde você começa a entender um pouco mais sobre a história dos prisioneiros mais famosos.

1.3- Quero Mochilar Joburg

Foto: Gandhi e Mandela (que lutou na verdade para implantação do comunismo) e fez algumas coisinhas erradas, só que nos museus só é tido como herói (pesquise no Google a verdade sobre Mandela, e tenha os dois lados de uma pessoa e tire suas próprias conclusões). Eu, prefiro omitir a minha aqui no blog, pois não é meu objetivo com o mesmo. 

1.4- Quero Mochilar joburg

Foto: Um pouco da vida dos dois prisioneiros mais famosos ilustrado em fotos.

4- Quero Mochilar Joburg

Foto: Momento de reflexão! Em uma das salas está este enorme painel, nos fazendo refletir sobre o que é crime? O que torna alguém um criminoso? Em alguns videos mostrados no museu há o depoimento destas mesmas pessoas nas fotos, e ao lado deste painel um resumo de quem foi cada um deles. Entre eles.. tcharam … o Gandhi… o feiosinho de bigode alí… (rs).

2- Quero Mochilar Joburg

Foto: Nas salas estão retratado como ficavam os prisioneiros e alguns videos com depoimentos são apresentados.

5- Quero Mochilar Joburg

Foto: Doideira, cobertores e sapatos para todos os lados, simulando aqueles tempos.

Na parte do fundo da prisão estão as solitárias.

3- Quero Mochilar Joburg

Foto: A porta, visto de dentro da solitária. Devia ser sinistro, não?

1.5- Quero Mochilar Joburg

Foto: Várias salinhas, e pode apostar, em época de Apartheid nem todos mereciam estar aqui.

Uma hora e meia de passeio – bem aproveitado- acaba que nunca lemos tudo. É muita informação, e meu inglês também anda meio enferrujado…rs.

Daqui fomos pegar o ônibus, para continuar a conhecer a cidade. Como só tinha mais este dia Joanesburgo, não eram em todos os lugares que iria parar, portanto escolhi alguns e infelizmente outros que eu até gostaria de fazer ficaram para uma próxima vez.

0.1- Quero Mochilar

Foto: O Constitution é ponto de parada do ônibus de turismo oficial da cidade.

Além de otimizar seu tempo, no ônibus você vai passando por muitos dos principais pontos da cidade e ouvindo o áudio, ou seja, um tour guiado. Infelizmente como na maioria dos países, não há o áudio em português, mas você pode escutar em espanhol, se o seu inglês não estiver lá estas coisas.

10- Quero Mochilar Joburg

Foto: Ruas de Jozi.

11- Quero Mochilar Joburg

Foto: Vamos observando que a cidade esta com muitos edifícios em construção.

12- Quero Mochilar Joburg

Foto: Passamos por várias praças e pontos de interesse que passariam despercebidos se não fosse o áudio do ônibus.

2- MINING DISTRICT

Horário de funcionamento: Não tem, pois é uma área ao ar livre.

Entrada: Não tem que pagar, pelo motivo acima (rs).

Duração: Meia hora. Esta parada tem a duração da espera para o próximo ônibus.

Parada Hop On – Hop Off: 10.

Muitas pessoas até pulam este passeio, mas por ser no meio da cidade, e onde ela nasceu, eu quis um tempinho a mais aqui.

Um pouco sobre o Mining District…

No centro de Joanesburgo esta o local onde tudo começou. Aqui no Mining District foi descoberta a maior jazida de ouro da região, e com isso Joanesburgo começou a surgir como cidade. Este lugar hoje é coração de Jozi, sendo uma área aberta, com vários monumentos e placas contando a história da mineração na região e uma caminhada aqui cai bem para conhecer um pouco mais do surgimento da maior cidade da África do Sul.

Por ser uma área turística, há vários guardas vigiando e você pode explorá-la sem medo. Tanto que em todo este trajeto em Joanesburgo, fui com todas as minhas câmeras.

16- Quero Mochilar

Foto: Chegando no lugar sentado na parte superior do ônibus temos esta bela vista.

Aqui há muitos monumentos espalhados com placas contando a história do surgimento da mineração e o impacto no desenvolvimento da cidade.

18- Quero Mochilar

Foto: Em um dos monumentos.

19- Quero Mochilar

Foto: Monumento em homenagem aos mineradores.

17- Quero Mochilar

Foto: Um dos principais monumentos é esta grande réplica do Rinoceronte de Ouro, que foi um objeto encontrado no ano de 1934, cujo original tinha 15,3 cm e era feito de ouro puro. Este objeto provavelmente era para mostrar a força do rei Mapungubwe e seu povo – o mais velho reinado da África do Sul.

Passeio pronto e meia hora depois já estava no ônibus pronto para a próxima parada que é bem próxima, mas melhor não arriscar ir andando, não é? ainda mais quando estou com minhas máquinas e dinheiro.

3- CARLTON CENTER

Horário de funcionamento: Das 07h00 ás 22h00.

Entrada: R 15 (R$ 5,25).

Duração: Meia hora, o tempo de vir o próximo ônibus.

Parada Hop On – Hop Off: 11.

Um pouco sobre o Carlton Center…

Conhecido como “Top of Africa” (Topo da África), este é o maior prédio do continente, com  223 metros de altura e 50 andares. Apesar de toda esta propaganda ele não chega a se destacar ou chamar a atenção quando olhamos debaixo.

Este é um passeio rápido, a não ser que você queira fazer umas comprinhas, pois tem um shopping na sua entrada.

Vale a pena?? Sim, apesar de Joburg não ser lá grande coisa de linda vista de cima, por ser um passeio barato e rápido, não custa nada passar para conhecer o topo da áfrica.

Quando descemos do ônibus, um dos funcionários do Hp On vai nos acompanhando e contando as informações do edifício. Pegamos o elevador e logo já estamos lá, no topo do país.

Uma dica: Dizem que ver o por do sol daqui é show, então se não terminar o dia na cerveja, como eu optei, fica a dica…rs.

13- Quero Mochilar Joburg

Foto: Aqui está ele, que até o momento é o maior prédio da África. Parece que em breve ele vai perder este titulo.

14- Quero Mochilar

Foto: O último andar, onde você pode observar a cidade de todos os ângulos.

15- Quero Mochilar Joburg

Foto: Vista panorâmica para todos os lados: Leste – Oeste / Norte – Sul. O Oeste é a melhor vista.

20- Quero Mochilar

Foto: Um close na praça do lado oeste.

15.2- Quero Mochilar
Foto: Mais uma imagem panorâmica deste lugar.

4- GOLD REFF CITY THEME PARK

Parada Hop On – Hop Off: 13.

Um pouco sobre o Gold Reef…

Esta é a última parada para quem vai pegar o tour para Soweto.

Este belo hotel, tem uma entrada muito linda, e funciona aqui: Cassino, restaurantes e até um parque de diversões. Além é claro, de uma visitação a uma antiga mina subterrânea, o Gold Reff City Theme Park.

Com tanta coisa, nem arrisquei pesquisar para ir, e como eu não tinha tempo, não priorizei este passeio.

Portanto não há um turista que não desça do ônibus aqui para registrar e fazer selfies na sua bela fachada, e eu não fui diferente.

42- Quero Mochilar Joburg

Foto: Ponto que pegamos a van para Soweto.

39.1- Quero Mochilar

Foto: A bela fachada com as gazelas.

40- Quero Mochilar Joburg

Foto: Mais detalhes desta bela fachada.

41- Quero Mochilar joburgFoto: Vista de outro ângulo. Linda não??

Colado aqui esta a minha próxima parada.

5- MUSEU DO APARTHEID

Horário de Funcionamento: Das 9h00 ás 17h00. Fechado de segunda.

Entrada: R 85 (R$ 29,75).

OBS: Quem esta com o Hop On – Hop Off tem desconto na compra e paga: R 70 (R$ 24,50).

Duração: Este é o melhor museu da cidade, e pra mim, um dos melhores que já fui. Gostei bastante.

Eu fiquei duas horas, mas recomendo aqui se realmente quer aprender ficar de 3 a 4 horas. Na entrada você ganha um mapa com a sugestão do trajeto, e há dois:

  • Trajeto Placas Pretas: É o mais curto, com duração de 2 hora. Você segue o trajeto e lê somente as placas em pretos.
  • Trajeto Placas cinzas: É o mais longo, com duração de 3 horas.

Parada Hop On – Hop Off: 14.

Um pouco sobre o Museu do Apartheid…

Este, sem dúvida, é a atração mais procurada de Joanesburgo e realmente não pode ficar de fora do seu roteiro.

O museu conta a história do Apartheid, que para quem não sabe foi o sistema de discriminação racial que surgiu em 1948 na África do Sul, quando o governo de minoria branca assumiu o país. O regime permaneceu até recentemente, em 1994, quando ocorreu a primeira eleição democrática.

23- Quero Mochilar

Realmente é um museu muito emocionante, e ter acesso aos detalhes do que foi a segregação racial nos faz entender ainda mais da história do país e do impacto que ela causou na sociedade. Se pararmos para pensar, isso foi ontem: 1994, eu já existia, e poderia ter vivido nestes tempos. Loucura não?

Por isso mesmo, penso que até hoje isso está presente em muitos dos sul africanos.

No dia que embarquei para Africa, vim do lado de um sul africano, bem branco, olhos claros, típico europeu, e das dicas que ele me deu, uma foi: “Não converse muito com pessoas negras, e não dê muita confiança que são perigosas”, achei estranho ouvir algo tão específico assim, nós no Brasil para informar a violência, jamais falaríamos assim, rotulando uma raça. Entendendo o tão recente que foi este regime, tenho certeza, que este tipo de orientação que recebi, ainda é fruto deste escroto tempo.

O museu tem um formato bem interativo, com muitos vídeos e textos que de alguma forma nos faz voltar ao tempo e sentir um pouco de como funcionava tudo na época do Apartheid.

Já na entrada recebemos o ingresso que nos classifica: Brancos ou Não brancos e este ingresso define qual porta você deve tomar para entrar no museu. Claro, que não é obrigado a entrar por esta porta, é só para deixar mais real a experiência.

IMG_3920

Foto: Aqui você escolhe a sua entrada, como era na época.

24- Quero Mochilar Joburg

Foto: Entrada do museu e as entradas para branco e não branco.

25- Quero Mochilar Joburg

Foto: Esta é a imagem que temos assim que entramos, com anúncios e alertas da época e réplica dos documentos que classificavam sua cor.

O acervo do museu é enorme com muitas: fotos, vídeos, painéis, objetos e tudo mais que possa ajudar a contar a história deste tempo. Assim como qualquer museu de histórias tristes, um dos objetivos de tanto material é conscientizar seus visitantes para que este tipo de coisa nunca se repita.

Do que vi lá dentro, a maior parte não pode fotografar e nem dá para descrever tudo aqui, sobre todas as barbaridades.

Me perdi em tanta informação marcante. Foram 2 horas bem corridas que passei no Museu Apartheid e não foi o suficiente. Tive que acelerar o passo em algumas partes e pular algumas leituras, se eu soubesse que seria tão bom tinha reservado um tempinho a mais para cá.

26- Quero Mochilar Joburg

Foto: Vamos seguindo o caminho com estas imagens de pessoas comuns.

27- Quero Mochilar

Foto: La dentro do museu há esta arte bem interessante.

E para fechar o dia com chave de ouro, e despedir bem de Joburg, fui fazer um tour em uma fábrica de cerveja.

6- SAB – WORLD OF BEER

Horário de funcionamento: Das 10h00 ás 18h00.

Entrada: Tour básico: R 110 (R$ 38,50) – com duas cervejas no fim do tour no bar da cervejaria.

Tour completo com degustação de 6 cervejas: R 180 (R$ 63,00) – Além da degustação, também tem as duas cervejas no fim do tour.

Duração: Pelo menos 1 hora e meia com a cervejinha no final.

Um pouco sobre SAB World of Beer…

Esta é uma cervejaria onde além de conhecer a história da cerveja do Egito a Mesopotâmia e aprender do processo de produção, você faz degustação. Começamos o tour em uma sala escura, cheia de garrafas que brilham com luzes coloridas, e vamos escutando a história da cerveja, sua criação.

Depois continuamos assistindo a uma apresentação, onde todo mundo experimenta a cerveja na mesma travessa, como ela surgiu. O cenário aqui é tão bem feito, que parece mesmo que esta de noite e que estamos no meio de uma floresta.

Daqui ainda vemos as cevadas e seus tipos, e como são usadas na fabricação deste líquido, que eu pelo menos eu adoro..rs.

Depois quase terminando, vamos em uma área que nos transporta ao tempo daqueles bares antigos de velho oeste, e aqui experimentamos a primeira cerveja do tour.

29- Quero Mochilar Joburg

Foto: O bar de velho oeste.

30- Quero Mochilar Joburgo

Foto: Um brinde….

Quando terminei o tour, o guia separou as pessoas, eu e minha amiga ficamos junto com dois nigerianos e os demais continuaram com ele, até ai, tudo bem, pensamos: “Pagamos o tour básico, e ele deve estar levando o pessoas para degustação”, mas para nossa surpresa, quando o guia voltou, levou nos 4 para uma mesa redonda em uma sala e começou a explicar sobre as cervejas.

Eu e Luana sem entender nada comentamos: “O que estamos fazendo aqui? Este não é o tour completo?”. Então deduzimos que para fazer companhia para os amigos nigerianos, ele pegou nos dois do grupo e nos inseriu no tour completo. Se é isso não sei, mas posso dizer agora que compensa o tour completo, viu!… foi o máximo conhecer melhor os sabores de cada uma das cervejas.

31- Quero Mochilar Joburg

Foto: As opções de cerveja que experimentamos.

39- Quero Mochilar joburg

Foto: Ganhar um tour deste não tem preço….

Hoje realmente era nosso dia de sorte! Após o tour, tínhamos duas fichas cada um para beber no bar da cervejaria, e não é que os nigerianos foram embora e deram mais as outras quatro deles para nós.

Então degustamos, bebemos nossa cerva, e sem almoço, o trem subiu “rapidim”… rs.

Já estava quase noite quando saímos, então, corremos para o Hostel, antes que ficasse tarde demais para pegar nossas coisas, jantar e correr para o aeroporto, pois neste dia íamos para Durban, de onde continuo este relato.

E DAÍ, QUANTO FICOU A BRINCADEIRA??

 Orçamento para o dia: R 625,75 – R$ 219,01

  • Uber – Once in Joburgo para Aeroporto: R 267 (R$ 93,45).
  • Entradas nas atrações acima: R 243,75 ( R$ 85,31).
  • Janta – Pizza: R 85,00 (R$ 29,75).
  • Água: R 30 ( R$ 10,5).

Orçamento da viagem de 20 dias para África do Sul e Namíbia: R$ 706 / dia / para 20 dias – Incluindo tudo ( De passagem aérea a lembrancinha).

Tabela: Análise do gasto total da viagem de 20 dias pela África.

Levantamento de Custos - Africa do Sul

NÃO POSSO DEIXAR DE PROVAR…

Para conhecer um pouco mais do gosto local, procure comer:

– A Papa: Cozido semelhante à polenta. Esta é a receita mais famosa e tradicional do país. Ela é feita com uma farinha do milho branco e serve de acompanhamento para carnes e legumes. Geralmente eles comem ela com a mão, molhando-a nos caldos.

– O Bobotie: Preparado com pão e carne moída. Há quem afirme que essa era a comida preferida de Nelson Mandela, o maior ícone da nação.

– O Biltong: Mesmo nada apetitoso ao olhar, este é uma carne desidratada que pode ser feita de vaca ou de carne de caça. É comum ver estes petiscos por lá, sendo bem tradicional e consumido no país.

– A Amarula: Bebida local produzida com os frutos da Maruleira árvore típica do país. Este é também um excelente presente.

– As pizzas da África do Sul são deliciosas: Todas que comi.

LIÇÕES APRENDIDAS.

1- Melhor lugar para se sentar no ônibus Hop On e na frente no andar superior. Suas fotos ficarão ótima aqui.

2- Reserve ao menos duas ou três horas para conhecer o museu do Apartheid, que tem muitos pontos interessantes. Caso não consiga compreender textos em inglês, recomendo que visite o local com um guia que fale português.É muito legal para não ser compreendido.

3- Se não tiver muito tempo em Joburg, priorize o Museu do Apartheid.

4- O Uber funciona super bem na cidade toda. Use e abuse.

5- Recomendo ficar 3 dias aqui pelo menos, ou até 4 se quiser conhecer Pretória em um bate e volta.

Sendo um roteiro ideal para mim: 1 dia em Soweto + 2 dias as atrações de Jobug, as que fiz e as que faltaram (relação no número 6) + Pretória.

6- No  caminho do ônibus ainda ficou de fora (paradas): Museu da Origem das espécies (16), Braamfontein (17), Museu James Hall Transporte (12) e toda a linha verde, que leva até o zoológico, mas aqui na África eu não queria ver os bichos em zoológico, não é mesmo?

7- Outros passeios mais afastados da cidade que eu achei interessante e não consegui fazer: Maboneng, o mercado de rua de Fordsburg e Art on man, além do Cradle of Humankind – Se tiver tempo procure saber sobre estes lugares.

8- Se você for para Cape Town, ou estiver vindo de lá, se apresentar o comprovante do ticket do Hop On que comprou anteriormente você tem desconto de 10% no próximo.

OUTRAS INFORMAÇÕES ÚTEIS.

Fuso Horário: + 5h (Brasília).

Língua

A África do Sul tem 11 línguas oficiais e ainda reconhece outras oito línguas não oficiais como “línguas nacionais”.

Das línguas oficiais, duas são línguas indo-europeias— inglês e africâner— enquanto as outras nove são línguas da família bantu (no interior da África o maior filo, Níger-Congo).

O zulu, por exemplo, é o principal idioma da costa leste, enquanto o africâner domina o lado oeste.

O inglês, por sua vez, é muito comum, sendo o principal meio de comunicação entre estrangeiros e locais.

Moeda

O Rand é a moeda oficial e corrente atualmente na África do Sul.

Moeda Africa do Sul

Códigos: ZAR, também grafado R.

  • R 1  = R$ 2,85
  • R$ 1,00 = R 0,35

* Este foi o valor que paguei, que acabou saindo um pouco mais caro por ter solicitado a moeda na minha cidade – Montes Claros – MG.

Cotação atual: Clique aqui.

Vistos e Vacinas

Brasileiros não precisam de visto para entrar e permanecer na África do Sul por até 90 dias.

Cuidar para que seu passaporte esteja com a validade de, pelo menos, um mês depois da data prevista para o retorno.

Também é exigido o Certificado Internacional de Vacinação (CIVP) contra a febre amarela . Sem ele, você pode ser impedido de entrar no país.

Tomada

Tomada Africa do Sul quero Mochilar

A tomada de três furos redondos do lado esquerdo da foto é a oficial do país.

Nem meu adaptador universal servia nela. A maioria dos hostel que fiquei no país tinha como na foto ao lado, a opção de algumas tomadas com outra entrada.

Voltagem: 220 V.

A VIAGEM CONTINUA…

Relato Anterior: Soweto – África do Sul.

Próximo Relato: Durban – África do Sul .

RESUMÃO EM PDF PARA IMPRIMIRResumão_QM_Joburg.

Newsletter: Quer continuar acompanhando, então assine nossa newsletter na caixinha ai ao lado, assim você receberá notificação em primeira mão de todos os posts publicados pelo Quero Mochilar, e ainda terá acesso a cupons de desconto para nossos produtos.

QUEM PODE TE AJUDAR?

Gostou? Tem alguma sugestão ou atualização de informação? Enriqueça a pesquisa de seus amigos nos comentários. Além de ajudar o próximo viajante é super importante a opinião de vocês para o blog.

 

Deixe uma mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estesHTMLtags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Language »