Cataratas del Iguazú – Argentina

Para mim, as cataratas só serão completa se você conhecer os dois parque: o lado brasileiro e o argentino. Diferentes, ambos se completam dando uma visão geral do tamanho e da beleza deste lugar. No lado argentino ainda a visão da garganta do Diabo fará você se esquecer do tempo, é indescritível sua força e beleza.

INFORMAÇÕES DE: Maio de 2014.

ROTEIRO PARA: 1 dia.

TIPO DE VIAGEM:  Viagem em feriado prolongado – Bate e volta.

HOSPEDAGEM: Em casa de amigo.

Para este passeio recomendo ficar em Puerto Iguazú e dormir por lá, mais detalhes da cidade você pode encontrar aqui.

Precisando escolher um lugar para ficar? Consulte e reserve sua estadia pelo BOOKING.COM nos atalhos do blog, estas reservas viram pequenas comissões, VOCÊ NÃO PAGARÁ NADA A MAIS POR ISSO, e estará ajudando o Blog a se manter no ar, monetizando nosso trabalho e rendendo ótimas dicas para você.

SOBRE AS CATARATAS DO IGUAZÚ – LADO ARGENTINO.

É meu amigo, difícil admitir, mas as Cataratas do lado Argentino é ainda mais espetacular… como brincam, é porque de lá estamos olhando para o Brasil…rs.

Brincadeiras à parte a realidade é que do lado argentino, na cidade de Puerto Iguazú, estamos em uma posição privilegiada do parque, onde ficamos mais próximos das quedas d’água e principalmente da Garganta do Diabo, que daqui nos sentimos dentro dela, uma sensação indescritível.

Penso que vale a pena conhecer os dois parques, que eles se complementam, e esta visão diferente nos faz realmente conhecer por completo este espetáculo que é uma das 7 maravilhas da natureza declarado Patrimônio Natural da Humanidade pela Unesco.

23- Quero Mochilar Cataratas

Fuso Horário: -1h (horário de Brasília)

Como chegar?

Na Argentina, as Cataratas localizam-se dentro do Parque Nacional Iguazú- 18 km da cidade de Puerto Iguazú-  que está a 15 km de Foz do Iguaçu, um total de 33 km de distância para quem quer fazer um bate e volta.

Mapa do trajeto:

Quando ir?

As recomendações não são diferentes de Foz, com isso as Cataratas sua principal atração pode ser visitada o ano todo, só estão diferentes ao longo do ano, e se seu objetivo for contemplá-las é bom pesquisar antes de ir, apesar que aquela maravilha em qualquer época é fantástica e vai te encantar.

Caso você queira ver as quedas d’água em seu máximo de água é recomendado ir no verão; mas se gostaria de ver a beleza da queda d’água, com ela mais definida e limpa, o melhor é ir durante o inverno.

Os meses de setembro e outubro, são meses com alto índice pluviométrico e temperaturas razoáveis, com isso muito indicados.

Segurança.

No parque temos que tomar cuidado com os Quatis, não alimentá-los e não colocar a mão neles, lembrando que são animais selvagens e pode fazer um belo machucado em você.

É bom ir com sapatos adequados, pois há risco de queda, muitas partes das trilhas são molhadas.

 

ROTEIRO

CATARATAS DEL IGUAZÚ 

Horário de Funcionamento: Das 8h00 às 17h00.

Entrada: 200 Pesos (R$ 40,00) – Residentes em países do Mercosul. Valor com estacionamento.

Duração do passeio: Recomendo o dia todo e chegar cedo.

OBS: 1-Não é aceito o Real e nem cartão de crédito para compra do ingresso.

2- Levar documento de identificação.

Saímos cedo de Medianeira (PR), onde estávamos dormindo e chegamos na entrada das Cataratas próximo ás 10h00. O acesso foi fácil, pois é bem sinalizado, o que já era de se esperar, devido a importância turística do lugar.

Chegando na portaria não tínhamos pesos e como não planejamos a ida não sabíamos que só conseguiríamos comprar a entrada com a moeda local, com isso acabamos fazendo o câmbio com cambistas, o que deu certo.

Ingressos comprados entramos no parque, e aqui, ao contrário do Brasil, já entramos e estamos direto nas trilhas, sem necessidade de ônibus.

1 Quero Mochilar - Cataratas

Foto: Entrada do parque.

2- Quero Mochilar - Cataratas

Foto: O orgulho de ser uma das 7 maravilhas naturais esta exposto aqui.

Fomos despreparados, não pesquisamos antes e não sabíamos que neste parque diferente do lado brasileiro há muito mais trilhas e uma boa caminhada pela frente, tínhamos ido de chinelo, o que complicou as trilhas, mas no fim deu tudo certo.

Logo na entrada do parque há uma recepção, onde há funcionários explicando as opções de passeios disponíveis. Como o parque era grande, decidimos fazer somente o Macuco, que é aquele passeio de barco no meio das cataratas.

3- Quero Mochilar -Cataratas

Foto: os indiozinhos tentando levantar uma graninha com sua arte.

ATENÇÃO: Um boa dica, aqui do lado argentino este passeio sai bem mais em conta que o lado brasileiro.

Fizemos o passeio náutico (conhecido como Macuco no Brasil) por R$ 55,00 reais e no dia anterior estávamos nas cataratas de Foz e o preço do mesmo passeio era R$ 180,00, gritante a diferença, não é??

Passeio e horário fechados, agora sim vamos explorar o parque…

De maneira geral gostei do parque já de cara, achei bem organizado, sinalizado e há área com banheiros e lanchonete no início de todas as trilhas. Também existe uma ampla praça de alimentação e lojinhas próxima ao Centro de Visitantes.

Em Foz, que havíamos ido no dia anterior, o passeio tradicional nada mais é que percorrer uma pequena trilha, de onde se tem uma visão mais panorâmica das Cataratas. Já na argentina, não há uma visão panorâmica das Cataratas, e aqui você caminha ao lado e por cima das quedas d’água, o que traz uma sensação bem maior de aventura e uma visão totalmente diferente.

No Parque Argentino existem três percursos com uma ótima estrutura de passarelas, são conhecidos como:

1- Percurso superior;

2- Percurso inferior;

3- Garganta do Diabo.

Os percursos são distribuídos pelo parque e os dois primeiros são percursos só de ida, se você optar por fazer o parque todo andando. O único veículo necessário é um trem para chegar até a Garganta do Diabo.

Em relação ao grau de dificuldade, eu achei as três trilhas fáceis, apesar dos trechos escorregadios.

Seguindo orientações e com o objetivo de fazer o passeio de barco, iniciamos o passeio pelo circuito inferior.

Circuito inferior – Trilha Sendero verde.

Extensão: 1,7 km.

Duração: 1h30min.

4- Quero Mochilar Cataratas

Foto: Inicio da trilha – De chinelo…rs.

Começamos pelo circuito inferior, pois tínhamos a hora certa para fazer o macuco.

O início da trilha é lindo e já no começo vimos passando vários Quatis pelo caminho, o que para mim foi o máximo.

5- Quero Mochilar Cataratas

Foto: No caminho a todo momento vários deles passaram por nós, mas não mexam com eles, são selvagens e podem ser agressivos.

Deste circuito é possível avistar as quedas, em uma visão de baixo para cima, por isso do nome inferior.  Visões lindas e passamos ainda por algumas cachoeiras isoladas das Cataratas como o Salto Dos Hermanas e o Salto Chico.

9- Quero Mochilar Cataratas

Foto: Passamos pelas cachoeiras duas irmãs.

10- Quero Mochilar Cataratas

Foto: Há muitas paisagens incríveis pelo caminho.

12- Quero Mochilar Cataratas

Foto: Lugar especial – ótima vista.

14- Quero Mochilar Cataratas

Foto: A Vazão estava em níveis históricos.

15- Quero Mochilar Cataratas

Foto: Correndo lá para foto, que ficou muito ruim e foi esta mesmo…rs.

No fim estávamos no ponto para fazermos o passeio náutico, o Macuco, como é chamado do lado brasileiro.Pena que eu não tinha comigo câmera a prova d´água no dia, e meus registros são só na memória. Ao entrar ganhamos uma sacola plástica onde guardamos todos nossos pertences que não podem molhar e iniciamos este belo passeio de 12 a 15 minutos de duração.

Este passeio é demais, e imperdível. O barco vai bem próximo as cataratas, não temos nem condições de abrir os olhos em alguns trechos, e neste dia como a vazão estava em números históricos acabamos não chegando muito perto, devido a força da água, apesar que me senti embaixo delas, e sai de lá encharcado.

13- Quero Mochilar Cataratas

Foto: Este é o passeio náutico que é imperdível.

13.1- Quero Mochilar Cataratas

Foto: Encharcados após o passeio.

Terminado o passeio continuamos o circuito inferior que é lindo, mas antes passamos em um dos pontos de parada, onde haviam vários Quatis.

7- Quero Mochilar Cataratas

Foto: Bem próximo, mais esperto e sem comida na mão… rs.

8- Quero Mochilar Cataratas

Foto: São simpáticos e beeeem atrevidos.

8.1- Quero Mochilar

Foto: Este é um exemplo do por que não alimentar os Quatis. Este rapaz inventou de dar um pedaço de coxinha para um deles, e olha só o resultado… os bichos começaram a escalar ele…kkk. Foi hilário.

Depois daqui seguimos direto para o Circuito superior.

Circuito Superior.

Circuito superior: 1,750 km

Duração: 1h30min.

No Circuito Superior, como diz o próprio nome você irá andar no alto das quedas, vendo-as de cima para baixo. Comparando com Foz esta é uma visão equivalente ao parque visto do nosso lado, só que aqui as cataratas estão em meio a mata, e você no meio dela.

Neste circuito você passará por cima de várias quedas d´água, como: Saltos Bossetti, Eva, BernabéMéndez, Mbiguá e San Martin.

Não sei identificá-las nas fotos abaixo, mas estão todas aqui e são incríveis.

11- Quero Mochilar Cataratas

Foto: A força da água com uma vazão histórica.

16- Quero Mochilar Cataratas

Foto: Observem as pessoas na passarela atravessando as cataratas. Os trechos são todos assim.

17- Quero Mochilar Cataratas

Foto: Mais força das cataratas em belas imagens.

18- Quero Mochilar

Foto: Um ponto onde temos a bela visão panorâmica do parque.

19- Quero Mochilar

Foto: Lugar lindo demais.

20- Quero Mochialr

Foto: Que visão e que lugar… sem dúvida um dos mais incríveis do mundo.

21- Quero Mochilar Cataratas

Foto: Com muita água e vapor, sempre tem arco íris para deixar tudo ainda mais especial.

22- Quero Mochilar

Foto: Mais belas imagens.

23- Quero Mochilar Cataratas

Foto: Vista das passarelas superiores.

24- Quero Mochilar Cataratas

Foto: Agora de cima, vendo o ponto onde corri para me molhar lá em baixo.

25- Quero Mochilar

Foto: Lugar show!

No final desta trilha, que é de um único sentido você chegará na Estação Cataratas, de onde se pega o trem para a Trilha Garganta do Diabo. Você também no inicio do passeio, pode escolher por começar pela garganta e fazer este sentido contrário, mas eu acho que o espetáculo tem que ser no final, para o encanto ir só aumentando…

6- Quero Mochilar Cataratas

Foto: Trem para garganta, a fila é longa…

Garganta do Diabo

Extensão: 2,2 km  (ida e volta).

Duração: 2h00.

Para chegarmos ao início da trilha da Garganta do Diabo temos que pegar o trenzinho (incluído no ticket do parque), que tem uma fila enorme e sua logística não funciona muito bem. O trem demora para passar e nunca se sabe quando será o próximo. A viagem dura cerca de 15 minutos até o início da trilha e é a única dor de cabeça que temos no parque.

26-Quero Mochilar

Foto: Aguardando o trem.

No fim dos 15 minutos de viagens chegamos no ponto, descemos e com toda aquela multidão, começamos a caminhada de 1.100 metros pelas passarelas sobre o Rio Iguaçu que vai dar na Garganta do “coisa ruim”…. rs.

27- Quero Mochilar

Foto: Início da trilha.

Devíamos ter esperado um tempo para começar a caminhada para esperar ficar mais vazio, mas fomos direto, junto com a multidão…

O passeio é incrível, e enquanto caminhamos nos perguntamos “como esta passarela aguenta tamanha força, mas mal sabíamos o que ainda íamos ver em relação a força deste lugar.

28- Quero mochilar

Foto: Uma paradinha para foto.

29- Quero Mochilar

Foto: A longa caminhada…

A passarela parece sem fim, mas aos poucos vamos vendo sinais de que estamos próximos.

30- Quero Mochilar

Foto: A lá ela…

31- Quero Mochilar

Foto: Vista ainda de Longe.

Quando chegamos no mirante é uma adrenalina só, ficamos disputando por espaços para ver e fotografar esta beleza toda, pois aqui estamos bem perto da queda mais volumosa de todo o parque e diante de uma visão hipnotizante e magnífica.

32- Quero Mochilar

Foto: Muita gente! Difícil arrumar um espaço ai…

37- Quero Mochilar Cataratas

Foto: Consegui um selfie sozinho depois de muito tempo…rs.

38- Quero Mochilar

Foto: E também um selfie coletivo.

Daqui o que vemos é uma imagem similar a um gigantesco funil que engole todo o rio, algo fantástico e de um barulho ensurdecedor.

39- Quero Mochilar

Foto: A visão disso é incrível.

Vídeo: Neste vídeo você pode ter ideia da força da Garganta do Diabo.

Você tem que passar por esta experiência, pois a Garganta do Diabo é ponto auge da visita ao parque argentino. Esta é a queda mais alta das Cataratas, com 82 metros de altura.

33- Quero Mochilar

Foto: Esta queda esta em uma região com forma de U com 700 metros de comprimento, e o volume de água que cai é inexplicável.

34- Quero Mochilar

Foto: A dúvida: Será que os peixes que caem aqui sobrevivem…rs???

35- Quero Mochilar

Foto: Demostração de beleza e força hipnotizante.

36- Quero Mochilar Cataratas

Foto: Este lugar provoca uma explosão de sentimentos: Alegria, medo, admiração, fé etc…

Ainda na volta, há muita natureza e mais contato com os moradores do parque.

40- Quero Mochilar

Foto: Um macaco prego.

41- Quero Mochilar

Foto: Gralha azul – muito linda!

42- Quero Mochilar

Após voltar sem palavras depois de uma das imagens mais incríveis que já presenciei, passamos no Centro de Visitantes, comemos umas empanadas, compramos lembrancinhas e nos preparamos para voltar.

Amigos, sem dúvida conheça este lugar, você voltará diferente de lá…

NÃO POSSO DEIXAR DE PROVAR

As empanadas argentinas servidas no parque são ótimas.

E DAÍ, QUANTO FICOU A BRINCADEIRA??

Orçamento para o dia: R$ 90,77 / dia.

Incluindo:

  • Entradas com estacionamento em 4 pessoas: R$ 40,00.
  • Lanche e água: R$ 25,00.
  • Gasolina em 4 pessoas: R$ 5,77.
  • Lembrancinhas: R$ 20,00.

 

LIÇÕES APRENDIDAS:

1- No parque argentino há muito mais caminhadas e trilhas que o lado brasileiro, vá com roupa e calçados adequados para caminhada e há trechos escorregadios e molhados.

2- Para comprar a entrada, que só é aceito pesos argentino, há uma casa de câmbio no lugar, mas com taxas altas, mas se preferir, você pode trocar o dinheiro na rodoviária de Puerto Iguazú, na própria Rio Uruguay eles oferecem o câmbio.

3- No interior do parque, nas  lojas, lanchonetes e todos os outros lugares você pode pagar em Reais.

4- Não é exagero dedicar dois dias para este parque, incluindo vários passeios, não só este que fiz por conta que foi bem completo.

5- Quando fui não era possível devido a vazão: pelo circuito inferior em períodos secos, é possível chegar até a Isla de San Martin. Você pega um barco, que te leva até lá. Nesta ilha é possível fazer uma trilha de nível difícil de (700 metros), que vai dar em um mirante próximo às principais quedas de água – dizem ser incrível.

6- Quando descer do trem para ir ver a garganta do Diabo, não vá diretamente para lá, pois como o trem leva muita gente, quando ele chega o mirante da Garganta do Diabo fica bem cheio e é ruim para tirar fotos. Recomendam esperar uns 20 minutos para fazer a caminhada, pois o local estará mais vazio e ainda não terá chegado o próximo trem e você terá fotos mais bonitas.

7- Se tem só um dia para dedicar ao parque, recomendo fazer o mesmo trajeto que eu: Iniciar pelo Circuito Inferior, passar pelo Circuito Superior e finalizar na Garganta del Diablo.

8- Não há necessidade de guia.

9- Existe um pequeno museu localizado dentro do Centro de Visitantes, que fala sobre a fauna e a flora local e a relação do homem com a selva. Você também conhecerá os povos que ocuparam a região, desde os primórdios até os dias atuais.

10- Leve toalha, você ira se molhar com frequência, ou se preferir até uma troca de roupa.

11- Só tenho um dia, qual lado ir? Minha conclusão…

Muitas são as discussões, e na real, penso que os dois merecem ser visitados e se complementam, mas se eu tivesse que escolher um, eu escolheria o argentino, por que:

1- Mais barato: Alimentação e passeios bem mais barato que o lado brasileiro. Exemplo o Macuco, que no Brasil são R$ 180,00 e na Argentina R$ 55,00.

2- Estrutura mais simples, mais atende muito bem, e aqui é mais aventura, mais trilhas e maior contato com a natureza.

3- Visual: O melhor visual das cataratas é aqui e as estruturas de passarelas são ótimas.

4- Garganta do Diabo: Você vai na boca dela, e é indescritível vê-la deste ângulo, a melhor visão com certeza.

Vantagens do lado brasileiro:

1- Mais organizado: melhor infraestrutura e funcionários parecem mais bem preparados.

2- Não tem fila da imigração e esta mais próximo.

3- Vista panorâmica da catarata completa só aqui.

4-  Mais fácil para quem não curte caminhadas.

OUTRAS INFORMAÇÕES ÚTEIS

Comunicação

Lingual oficial: Espanhol.

Por ser um lugar muito turístico, aqui muitos falam português ou “portunhol” (rs) nos estabelecimentos e atrações, com isso comunicação não será problema.

Visto e Vacinas.

Para entrar no país temos que mostrar nossa identidade com menos de 10 anos de emissão ou passaporte.

Para permanência menor que 3 dias podem aceitar a CNH, mas penso que é melhor não arriscar.

Vacinas não são cobradas.

Sobre o trâmite com mais detalhes para entrar na Argentina descrevo melhor no post de Puerto Iguazú.

Moeda.

A moeda oficial da Argentina é o peso argentino.

Cotação da época:

$ 1,00 = R$ 0,20

R$ 1,00 = $ 4,95

Confira a Cotação atual Aqui

A VIAGEM CONTINUA…

Relato Anterior: Ciudadel Este – Paraguay.

Próximo Relato: Termina aqui, mas leia também o roteiro de Foz do Iguaçu.

Gostou? Compartilhe! Tem alguma sugestão ou atualização de informação? Enriqueça a pesquisa de seus amigos nos comentários. Além de ajudar o próximo viajante é super importante a opinião de vocês para o blog.

QUEM PODE TE AJUDAR

Informações atualizadas e valores consulte o site oficial : Parque Nacional Iguazú.

A nossa parceira a TourOn oferece várias opções de passeio na região para você. Confira os ótimos preços aqui: TourOn

Vai viajar? Planeje toda sua viagem com o Quero Mochilar!

O Quero Mochilar tem te ajudado com dicas e roteiros para o seu planejamento? Então que tal nos ajudar sem pagar nada a mais por isso, simplesmente fechando sua viagem com os serviços oferecidos pelas parceiras do Blog.

GARANTA AQUI

SEGURO VIAGEM – RESERVA DE HOSPEDAGEM – ALUGUEL DE CARRO – TOURS – RESERVAS

Além de garantir sua programação com segurança, você estará ajudando a manter o site no ar cheio de dicas para você, sem gastar nada a mais por isso.

 

  1. eu fico muito chocada com a força dessa água, só de ver nas fotos, e agora, no vídeo, e fico só pensando como é ver isso ao vivo. Fiz um roteiro pra lá agora e a vontade só cresceu!

  2. Fizemos essa viagem no ano passado! Bom demais relembrar… O passeio de barco é imperdível e sensacional. Parabéns pelo ótimo e super completo post!

  3. Jorginho says:

    Acho tão incrível esse lugar! Era pra ter visitado esse ano, mas tive que adiar, espero ir ano que vem, e usarei mtas dicas sua. Grande abraço

  4. Cara… é aquilo, só temos a melhor vista das Cataratas porque as quedas mais bonitas estão do lado dos hermanos hahaha… particularmente, eu gostei mais do parque do lado argentino. Achei mais selvagem, mais no meio da natureza…

  5. As cataratas foram uma das coisas mais incríveis que meus olhos puderam ver. É muita grandiosidade! Um lugar indescritível, tem que ir pra sentir. E eu odeio turistas que alimentam animais que estão em seu habitat natural. Principalmente quando é com porcaria, cansei de ver povo dando xilito, biscoito.. Consciência é algo que nem todo mundo tem!

  6. Vania de Jesus says:

    OI muito bom seu texto, estive a semana passada ai do lado Argentino só muda o valor da entrada que é agora 400 pesos sendo 80 reais, é tudo muito lindo, vc não conseguem tirar uma foto sozinha é tanta gente ,fui na quarta feira dia 05/07/2017 fiz todo roteiro aqui e peguei algumas instruções de vc, fui na feirinha de Puerto Iguazu, fui no 3 marcos da fronteira do lado Argentino, é só descer a rua toda da rodoviária de Puerto e segui em frente vc chega no parque todo verde e seguem em frente uns 30 minuto de caminhada, mas vale a pena. tudo muito lindo foi quatros dias passeando por Foz e Paraguay vale a pena. E ainda fui no templo budista que vale a pena ir.

Deixe uma resposta para Livia Melo Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estesHTMLtags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Language »