Chapada Diamantina (Lençóis) – BA

LENÇÓIS

INFORMAÇÕES DE: Abril de 2016.

ROTEIRO PARA: 3 dia.

TIPO DE VIAGEM: Ecoturismo na Chapada – Parte II.

HOSPEDAGEM: Pousada e Camping LUMIAR (R$ 35,00/dia) – Camping com excelente estrutura e localização – a duas quadras do agito de lençóis.

SOBRE LENÇÓIS.

A Chapada Diamantina é uma região de 38 mil km² de serras no centro da Bahia com uma vegetação composta de espécies da caatinga semi-árida e da flora serrana. Devido sua importância a Chapada é uma área protegida pelo Parque Nacional da Chapada Diamantina. A região do parque é composta por 24 municípios, sendo os mais famosos e estruturados para turismo :Lençóis e Mucugê.

Lençóis é uma cidade pequena com população de aproximadamente 10 mill habitantes, mas mesmo sendo pequena é a cidades mais estruturada da Chapada. Por ser antiga, fundada em 1844, a cidade ainda preserva ruas e casebres bem típicos do passado tornando o centro mais um atrativo da região, além de ter uma noite bem agitada com bares de música ao vivo, boa comida e forró.

Lençóis é mais um cantinho abençoado da Bahia, cheio de paisagens incríveis, com muitas grutas de águas azuis e de grande valor arqueológico, lugares surpreendentes e diferentes e cachoeiras de todas as formas e tamanhos.

ROTEIRO

Dia 03: Poço Azul.

Acordamos cedo e fomos direto para Itaetê, município onde esta o poço azul. O poço azul esta a 173 km de Ibicoara e levamos em torno de duas horas para chegar.

Sobre o Poço Azul.

Entrada: Gratuita, paga-se somente a flutuação de 15 minutos (R$ 20,00).

O poço azul é um dos principais e mais belos atrativos da Chapada e consiste em uma caverna inundada por águas cristalinas e azuladas. Sua profundidade chega a 16 metros e é permitido flutuar em alguns trechos. Apesar da profundidade, dá para observar as formações rochosas incríveis debaixo da água transparente. Vá no início da tarde, quando a incidência do sol deixa as águas ainda mais azuis e tente mergulhar próximo ao meio dia.

No período de abril a setembro, a posição do Sol com relação à Terra, faz com que a incidência dos raios solares nas águas do poço provoque um belíssimo efeito, tornando suas Águas Azuis num tom completamente transparente.

Este poço teve grande importância arqueológica para o nosso país, e foi encontrado fósseis de preguiças gigantes completos aqui.

Este lugar realmente é incrível e rende belas fotos, vale muito a pena conhecer. No meu caso, o único ponto negativo foi que estava em uma excursão com 2 micro-ônibus e até todo mundo fazer seu mergulho acabamos saindo bem tarde de lá e perdi o resto do dia.

1

Foto: Quando pagamos a flutuação forma-se grupos de até 10 pessoas e descemos uma pequena trilha para chegar na entrada do poço.

2

Foto: A transparência e o azul são incríveis.

3

Foto: Dá muita vontade de esquecer as instruções e pular com tudo, mas não pode….rs.

4

Foto: Aqui nos fornecem todos os equipamentos.

5

Foto: Lugar Top!!!

Após a flutuação acabei almoçando na própria fazenda, que tem um restaurante que serve uma comida muito boa (self service). Aproveitei para comer palma, o que nunca tinha experimentado e é típico da região, e gostei bastante.

Na volta iríamos ver o por do sol no Morro do Pai Inácio, mas devido a um incêndio, que já durava mais de mês na chapada e que estava nas proximidades do morro, por segurança não estavam permitindo a subida. Foi bem frustrante ir a chapada diamantina e não ver seu símbolo. Mas não teve o que fazer, e sem problemas, eu ia voltar pra ver mesmo tinha muita coisa para se exploar.

Sem Pai Inácio fomos direto para Lençóis. Aproveitei neste dia bastante a noite em Lençóis passeando pelas ruas do centro histórico e curtindo os bares.

35

Foto: Já que estou na Bahia aproveitei para matar a saudades do Acarajé, do tempo que fui baiano. Adoro este “Trem”.

Lençóis é uma cidade muito agradável para curtir a noite, com muitos bons restaurantes e bares. Sentamos em um bar com a turma de Montes Claros, que tinha som ao vivo na rua, e ficamos lá até de madrugada curtindo. Foi bom demais!

Dia 04: Fazenda Pratinha.

Neste último dia da minha primeira ida a chapada fui conhecer a Fazenda Pratinha, que é uma propriedade particular a cerca de uma hora de lençóis (48 km), indo sentido o morro do Pai Inácio. A fazenda pratinha tem muitos atrativos e pode-se ficar um dia inteiro lá para relaxar sem problemas de ficar enjoado do lugar, além de ser uma ótima pedida para quem tem criança.

Sobre a Fazenda Pratinha

Entrada: R$ 20,00.

Assim que chegamos na fazenda vamos escutar as orientações. O ideal é após estas orientações ir direto já comprar as coisas que você quer fazer, como tirolesa e mergulho na gruta, pois há filas, e se tiver com o tempo contado pode perder estes passeios que são bastante procurado.

O rio pratinha tem uma água super transparente, onde podemos fazer flutuação ou simplesmente nadar, é um lugar realmente especial e muito lindo. A fazenda tem toda uma estrutura montada com um barzinho nas margens do rio, restaurante de comida a quilo na entrada (aceita cartão) e até loja com souvenirs.

6

Foto: A Fazenda Pratinha.

7

Foto: Este rio é extremamente transparente.

8-1

Foto: Não tem como resistir a esta água.

8

Foto: Fiquei muito tempo curtindo esta água.

9

Foto: Os peixinhos ficam nos beliscando o tempo todo (rs).

10

Foto: Fazenda Pratinha.

11

Foto: A Tirolesa custa R$ 15,00.

12

Foto: Visto de cima o rio é ainda mais lindo!!! Que cor de água é esta???

Um dos melhores passeios da pratinha é a flutuação na gruta (feito no escuro), que neste dia acabei não fazendo, mas fiz na minha volta a chapada e recomendo (voltei na verdade na pratinha só para fazer isso que havia deixado para trás e é imperdível).

16

Foto: Entrada da Gruta onde fazemos a flutuação no escuro.

15

Foto: Ótimo Lugar para flutuar.

14

Foto: Gruta, show de bola. Fiz o mergulho na minha volta para chapada.

13

Foto: A palma que gostei de comer é esta planta ai!

Há também próximo a entrada da fazenda, a 200 m uma gruta, mas só pra ver mesmo, não podemos nadar, mas depois de ver a poço azul, não foi muito interessante, mas vale a pena pra quem nunca viu uma.

17

Foto: Gruta da Fazenda Pratinha a uns 200 metros do lado de fora do complexo.

Ficamos na fazenda até as 13h, então fomos embora, já com destino Montes Claros.

Na volta paramos em Mucugê para conhecer o cemitério Bizantino. Este Cemitério, chamado erroneamente de bizantino, foi erguido em função de uma forte epidemia de cólera que assolava a Bahia. O local da construção foi escolhido devido a sua localização elevada, protegendo assim os mananciais e lençóis d’água da região.
Alinhados horizontalmente formando ruelas que sobem a encosta da Serra do Sincorá, os túmulos são feitos de tijolos alvenaria, rebocados e caiados de branco. Suas formas arquitetônicas nada remetem à época bizantina (que vai de 667 a 1453 D.C.), por isso é chamado erroneamente de cemitério bizantino.

18

Foto: Cemitério Bizantino de Mucugê.

19

Foto: Detalhes deste cemitério interessante em Mucugê.

Assim, terminou a minha primeira vez na chapada com um gostinho de quero mais, e por isso 5 meses depois retornei, mas agora de carro.

Dia 05: Poço do Diabo + Pratinha + Morro do Pai Inácio.

 Este dia pulei cedo da cama, pois o dia seria intenso: Poço do Diabo, Pratinha e Morro do Pai Inácio.

São duas horas de Ibicoara a Lençóis e foi meio confusa nossa ida, estávamos em dois carros, e um carro errou a estrada para lençóis seguindo o GPS e eu entrei em lençóis ao invés de passar reto no trevo para ir direto para o poço do diabo. Mesmo com o começo turbulento deu tudo certo, e nos encontramos atrasados na entrada do Poço Do Diabo.

O poço do diabo fica a 20 km do centro de lençóis e a margem da rodovia indo sentido o morro do Pai Inácio. Não se paga para entrar, e pagamos somente os 10 reais de estacionamento.

A 800 m de caminhada esta o Rio Mucugezinho, onde já podemos nadar, e mais na frente há um barzinho, andando mais um pouco chegamos ao poço (nem 1 km), onde podemos além de nadar, fazer rapel.

19-3

Foto: Primeira parada. Não pense que é aqui. Este é apenas o rio mucugezinho. O poço esta mais a frente.

20

Foto: O poço visto de cima.

21

Foto: O Belo poço do Diabo. Um lugar top para curtir e de fácil acesso.

22

Foto: A queda d´água.

23

Foto: Os moradores do local.

24

Foto: Bela surpresa no caminho.

O lugar é bem bonito, eu confesso que não esperava tanto, mas me surpreendeu. Após curtir a paisagem fomos para a Fazenda Pratinha, que já estávamos próximos.

Como já era minha segunda vez na pratinha eu já sabia o que queira fazer, pulei a parte das explicações e fui direto fechar meu mergulho na gruta. O mergulho custa R$ 40,00, e vale muito a pena. Você faz na verdade uma flutuação na gruta escura. Recebemos os equipamentos de mergulho e uma lanterna. Quando você mergulha e coloca a cabeça na água, você só enxerga os feixes de luz, a transparência da água é tão grande que você ilumina a uma distância grande alguns objetos e os veem claramente.

26

Foto: Preparação para entramos com o guia.

25

Foto: Só vemos o que a lanterna ilumina. Quem gosta de novas experiências este mergulho é imperdível. Vale muito a pena.

La dentro ainda o guia nos leva a uma rachadura, que é a passagem desta gruta para outra. Ele mergulha bem fundo e nós vamos acompanhamento com a lanterna. É imperdível esta experiência, recomendo, e foi por ela que topei voltar na pratinha, então não faça como eu, se for já faça essa flutuação na primeira vez.

Ficamos a tarde curtindo o rio no restante da tarde e no fim do dia fomos para o Morro do Pai Inácio, onde só pode entrar até as 17h. Recomendo chegar até umas 16h30min para não perder o por do sol. O morro do Pai Inácio fica na beira da Rodovia próximo a lençóis. Se acesso é fácil.

27

Foto: O morro do Pai Inácio visto da rodovia.

Chegando lá é permitido subir de carro até o pé do morro, mas depois não tem jeito temos que subir o morro a pé mesmo e como tem um único caminho, forma fila e dependendo de quem esta na sua frente pode demorar.

Eu achei a subida tranquila, mas há quem não ache. Ela só é íngreme e tem uns 300 metros.

O Morro do Pai Inácio esta a 1.120 m de altitude e de lá temos a visão que é o símbolo da chapada diamantina, e realmente é uma paisagem de tirar o fôlego. Ver o por do sol de lá então, é indescritível. Sensação única.

28

Foto: A vista mais top da chapada! 

29

Foto: Não tem como não ficar feliz vendo um visual deste.

30

Foto: Show demais este lugar. Não podemos ir na chapada e não ver isso.

32

Foto: A foto praxe!

33

Foto: Registrando o momento.

35-1

Foto: Eu e minha inseparável câmera.

34

Foto: Por do sol Fantástico.

Após curtirmos e tirarmos muitas fotos, descemos já escurecendo, o que demorou ainda mais um pouco, mas  para compensar fomos agraciados pela Lua cheia em um céu limpo, o que deu uma cena que também guardo nos arquivos especiais da memória até hoje.

36

Foto: Descida do morro com a luz da lua.

Depois que chegamos na cidade, tomamos nosso banho e nos recompomos fomos pro centro histórico de lençóis, comemos uma carne seca na moranga perfeita em um restaurante que não me recordo o nome, bebemos uma cerveja e fechamos a noite em um forró da cidade.

A noite em Lençóis é o máximo!!

A viagem continua…

 Relato Anterior: Ibicoara.

Próximo Relato: Vale do Capão.

NÃO POSSO DEIXAR DE …

PROVAR:

1- Palma.

2- Carne Seca na Moranga.

NOTAS:

1-  Observar se esta tendo queimada na região, pois isso pode restringir alguns passeios.

2-  Podemos fazer todos estes passeios sem guia. São tranquilos de chegar e mesmo as estradas de terra não estão ruins.

3- Distância do Poço Azul: Mucugê 64 km, Lençóis 86 km

4- Informações completas: http://www.fazendapratinha.com.br/

 

 

 

Deixe uma mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estesHTMLtags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Language »