Viña del Mar – Chile

INFORMAÇÕES DE: Novembro de 2011.

ROTEIRO PARA:  1 dia.

TIPO DE VIAGEM: Bate a volta de Santaigo.

HOSPEDAGEM: Em Santiago.

SOBRE VIÑA DEL MAR

Viña del Mar é uma das cinco cidades que compõem a região metropolitana da cidade de Valparaíso, com população em torno de 300.000 habitantes.

Seu nome provém dos vinhedos plantados na Fazenda Siete Hermanas, o que também a fez ficar conhecida popularmente como a Cidade Jardim do Chile.

Este lugar aconchegante é o balneário mais frequentado pela elite Santiaguina durante o verão. A cidade, além do seu mundialmente conhecido relógio de flores, possui diversos hotéis e restaurantes de alta gastronomia.

Mesmo Vinã del Mar e Valparaíso sendo tão próximas as duas cidades são muito diferentes entre si. Valparaíso é uma cidade mais antiga e portuária, já Viña é um balneário com um ar sofisticado e boêmio.

Vamos conferir…

Planejamento

Um mês em Santiago sem muita coisa planejada resolvi em um dos finais de semana fazer um bate-volta até Viña del Mar e Valparaíso, cidades consideradas Patrimônio Cultural da Humanidade.

Resolvi com outros amigos da escola de espanhol irmos de ônibus, que pelo que tínhamos pesquisado era Fácil. Assim, saímos de Santiago por volta das 8h00 e fomos direto a Valparaíso.

A viagem por sí só já é bem interessante e eu como gosto de conhecer e ver paisagens novas já me divertia pelo caminho, cheio de plantação de uvas, montanhas e etc…

Durante a viagem tínhamos uma preocupação: “ O que íamos fazer lá?

Mal descemos na rodoviária e fomos abordados por uma agência de viagem que ofereceu um tour completo passando nos principais pontos turísticos das duas cidades e nos deixaria na rodoviária no fim da tarde. No nosso caso de uma viagem bate volta, esta foi a melhor das alternativas.

Como estávamos em 3 pessoas, demos uma de “difícil”, conseguimos um desconto e fechamos este passeio, que saiu em menos de meia hora depois que fechamos (Não anotei o valor…Sorry).

Como Chegar de ônibus:  Quando fui peguei o metro até o Terminal na Estação Pajaritos, quase no final da linha 1 (vermelha).  Fomos sem programar de pegar um horário específico e sem nos preocupar com passagens, pois sabíamos que saiam ônibus a cada 15 minutos. Chegando lá peguei o primeiro ônibus que era da empresa Pullman, que saia as 8h00. Em relação a viagem os ônibus são confortáveis, possuem ar condicionado e até rola um filme para destrair. A Rota 68, que liga as cidades, é muito bem pavimenta e segura, com isso você não tem com o que se preocupar. A viagem dura 1h30 mim

Outras informações importantes:

1- Outra empresa que faz o trajeto: Tur-bus. O ticket pode ser comprado no site da própria companhia (Click aqui para pesquisar).

2- Tem ônibus também saindo do terminal Alameda – Estação Santiago de metrô (linha 1).

3- A passagem por trecho (só ida ou só volta) custa entre $2.500 a $3.300 (R$12,50 a R$16,50) e comprando a passagem de ida e volta sai mais barato e você pode voltar tanto de Valparaiso como de Viña del Mar.

O que ver em Viña del Mar?

PASSEIOS DO TOUR

1- Mirador Padre Alberto Hurtado.

Nossa primeira parada foi neste mirante para termos uma bela visão panorâmica do lugar.

Este mirante, inaugurado em 1994 se localiza  no caminho que une o centro de Valparaíso , partindo da Avenida Los Castaños, daqui podemos ter uma bela vista da cidade. Vale a pena a parada.

1

Foto: Vista de Valparaíso do Mirante.

2

Foto: Bate um ventinho frio aqui…

3

Foto: Bela a vista do mirante a caminho de Viña.

2- Museu Fonck.

Entrada: $2.000 CLP (R$8,00) para adultos e $300 CLP (R$1,20) para crianças.

Horário de funcionamento: Segunda à sábado, das 10h00 às 18h00 e nos domingos das 10h00 às 14h00.

Em seguida fomos ao Museu Fonck, que abriga uma interessante coleção de objetos arqueológicos de povos antigos que habitaram todas as regiões do Chile. O destaque fica para a exposição da cultura rapanui, com objetos trazidos da Ilha de Páscoa, incluindo um exemplar do grande moai, um dos poucos localizados fora da ilha e que está exposto na parte externa do museu.

4

Foto: Fachada do Museu.

5

Foto: Um Moai original da Ilha de Páscoa.

Nas proximidades há ainda lojas que vendem jóias com a pedra azulis, uma rocha extraída na região e bem bonita. Essas lojas, assim como as demais desta região vendem lápiz lázuli (a pedra oficial do Chile) a um valor muito mais alto do que você encontra em Santiago ao pé do Cerro de Santa Lúcia, por exemplo. Apesar que o refinamento desse artesanato aqui é excelente e tem muita variedade legal se você quiser uma lembrancinha mais “sofisticada” do país.

3- Anfiteatro Quinta Vergana.

Este é um belo anfiteatro ao ar livre localizado no Parque Quinta Vergana, onde todo mês de fevereiro acontece o Festival Internacional de la Canción de Viña del Mar, um dos festivais mais importantes das américas.

7

Foto: No belo anfiteatro ao ar livre.

4- Palácio Vergara.

Este é um belo lugar que se fala sobre o fundador da cidade, José Francisco Vergara. Em 1910, a família Vergara mandou construir um edifício de estilo gótico para ser a casa familiar que caiu com um terremoto em 1906. A maior parte dos móveis desta residência vieram diretamente da Europa e dizem ser lindos e com uma grande variedade de estilos. Coincidências a parte não podemos visitar o interior do lugar devido o risco de desabamento por causa do terremoto de 2010.

Para compensar o jardim é um belo passeio a parte com várias espécies exóticas de vários lugares do mundo.

8

Foto: A fachada do palácio com a placa alertando o perigo de entrar. Se observar bem irá ver as rachaduras.

6

Foto: Uma homenagem a famoso Pablo Neruda, orgulho do Chile.

5- Praia Reñaca.

Paramos para almoçar na Praia Reñaca, a praia mais badalada da cidade, com uma grande infra-estrutura comercial e de entretenimento, com muitas lojas, bares, restaurantes e casas noturnas, além de alguns dos melhores hotéis da região. Aproveitei esta parada para ter o meu primeiro contato com as águas geladas do Oceano Pacífico.

9 Foto: A beira mar.

10

Foto: A Praia mais badalada de Viña é linda e gelada…rs.

11

Foto: Molhando a mão no pacífico.

6- Relógio de Flores.

Antes de ir para Valparaíso passamos pelo ícone da cidade, o relógio feito de grama e flores, situado diante da praia de Caleta Abarca. Paramos aqui por uns 15 min e logo entrei na disputa para a foto em frente ao símbolo da cidade.

Muitas pessoas acabam vendo o relógio somente pela janela do carro ou do ônibus, porque não há nenhum estacionamento próximo a ele no sentido Valparaíso-Viña del Mar.

Importante para quem esta de carro: Para chegar próximo a ele, deve dirigir até a região central da cidade, fazer o retorno pela Ponte Casino e voltar em direção a Valparaíso. Passando o Hotel Sheraton há um estacionamento, próximo ao relógio, mas do outro lado da rua.

Importante saber que este relógio foi construído especialmente para dar as boas vindas à Copa do Mundo de Futebol de 1962, disputada na cidade.

12

Foto: O Símbolo de Viña del Mar.

13-5

Foto: Eu consegui a foto sem intrusos. rs.

Daqui partimos para Valparaíso, de onde a viagem continua.

A viagem continua…

Relato anterior: El Morado (Cordilheira dos Andes).

Próximo Relato: Valparaíso.

Primeiro relato da viagem: Santiago.

Lições aprendidas para seu planejamento:

  1. Há a opção de ir de Valparaíso para Viña del Mar de metrô, mas pelo que escutei não recomendo, pois do ponto de descida até o relógio de flores tem uma boa pernada e se você for de ônibus, ele vai te deixar direto neste tradicional ponto turístico.
  2. Quem curte arquitetura e história, Viña é um bom lugar, pois é uma cidade planejada e que ao lado da modernidade, ainda “esconde” palácios e castelos, como Castillo Wulff (a baira mar), Palácio Rioja e o Palácio Carrasco.
  3. Viña del Mar tem mais opções de restaurantes que Valparaíso.
  4. Recomendo vir para passar um final de semana – Deve ser o máximo.

 

 

Deixe uma mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estesHTMLtags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Language »