E então chegou a tão esperada hora de tirar a viagem dos sonhos dos planos e concretizar este momento tão especial. É chegada a hora de programar suas merecidas férias, após 12 meses de trabalho duro.

Viajando com frequência vamos percebendo que existe um passo a passo que não muda e devemos segui-lo para aproveitar o máximo esta experiência, por isso, quero dividir com todos como planejo minhas viagens.

1o PASSO – DEFINIR O PERÍODO DAS FÉRIAS.

Quando estamos presos ao trabalho, temos duas formas de escolher nosso período de férias para uma viagem:

– Por demanda de trabalho: Escolher se ausentar em um mês que não fará muita falta na empresa facilita a negociação com o Chefe, mas caso, isso não seja um problema, podemos optar por escolher a data das férias de acordo com o melhor mês para visitar o destino desejado.

– Por melhor época para visitar o destino desejado: Outra maneira é ter o destino definido, e analisar a melhor época do ano para visitá-lo em relação:

Clima: Pesquisar sobre temperatura e clima em geral (chuva, neve, vento , calor etc…);

 Temporadas e datas festivas: Geralmente períodos de temporadas são tudo mais caros, mas ao mesmo tempo tem festas tradicionais e eventos naturais que valem o preço. Em temporadas comecem suas reservas com pelo menos 6 meses de antecedência.

2o PASSO – DESLOCAMENTO: PASSAGENS AÉREAS.

Passada a primeira etapa, já esta definido  o melhor período para sua viagem,  então agora você já pode pesquisar sobre as passagens.

Como você ainda não acordou suas férias especificando os dias na empresa, você pode pesquisar a melhor combinação de ida e volta, em vários dias da semana neste período e tempo de estadia. Geralmente as passagens são mais baratas em dias da semana. Uma vez li uma pesquisa que diz que os melhores dias para comprar as passagens aéreas são terça e quarta a tarde.

Quando encontrar a melhor opção de preço e combinação das datas de ida e volta, é hora de falar com o Chefe para acordar o período de férias e deixar bem claro da impossibilidade de alteração, e assim oficializar com o RH.

Com o objetivo de ganhar tempo e evitar mais deslocamentos internos, quando viajo por mais de um país, costumo comprar a passagem de ida por um destino e a de volta em outro, para otimizar meu tempo e conhecer mais lugares, sai mais caro, mas compensa em relação ao tempo e custo benefício.

3o PASSO – DEFINIR SEU ROTEIRO.

Definido e fechado o deslocamento e também as datas e horários partida e chegada, chegou a hora de planejar seu roteiro.

Nesta etapa você vai para internet mesmo, pesquisar sites de viajantes e mochileiros para ver o que cada um fala de cada destino escolhido. Você então deve observar duas coisas:

– O que é imperdível de se ver/fazer em cada lugar que passar?

– Quanto tempo leva para conhecer cada lugar?

Esta análise mais as dicas de quem já foi, irão te dar uma ideia de quantos dias deve ficar na cidade ou lugar de destino para aproveitá-lo ao máximo.

Aproveite essa pesquisa para:

– Levantar e anotar os custos dos passeios, tours e etc..que deseja fazer.

– Anotar agências e/ou guias de confiança para agendar passeios com antecedência caso seja possível (recomendo se estiver viajando para um lugar que esta em época de temporada ou é  muito complicado de informação).

Com as durações pré-determinadas em cada lugar, você vai poder montar seu calendário e ver a data de chegada e partida em cada um dos destinos, para então ir para a próxima etapa.

4o PASSO – DEFINIR O DESLOCAMENTO ENTRE OS DESTINOS.

Agora você vai escolher a maneira melhor de se locomover entre os destinos e pode optar por 3 formas:

– Por conforto: Pagar mais caro e viajar com tranquilidade um trajeto longo. Essa opção vale a pena  para viagens noturnas de grande duração e que no outro dia a rotina será intensa.

– Por custo: Esquecer conforto e ir da maneira mais barata, independe do meio de transporte.

– Por aventura: Esta é minha opção preferida. Você escolhe viajar da maneira que é cultural naquele lugar, assim conversa com os nativos, observa-os e aprende mais sobre o destino que está percorrendo. Essa maneira pode ser uma longa viagem de barco nos rios da Amazônia, por exemplo, ou de trem na Rússia.

Outra dica: Há principalmente em países da Europa, alguns aplicativos de carona que são bem seguros. Uma ótima oportunidade para viajar de maneira mais barata, flexível e ainda conversar com alguém do país.

O que recomendo nesta etapa do planejamento:

Os destinos que você está seguro quanto as datas de partidas e chegadas, já comprar com antecedência as passagens pela internet quando possível, principalmente se for temporada no destino.Também dá pra deixar para comprar tudo por lá mesmo, caso ainda tenha dúvida de quantos dias quer ficar no lugar e quer deixar o seu cronograma mais flexível.

Se não for possível comprar com antecedência suas passagens, sempre compre-as no momento da chegada no destino, isso evita ter que deslocar novamente para rodoviárias, estação, aeroportos etc… para comprar o seu ticket e perder um tempo precioso.

Em lugares que tem dificuldade com a língua, comprar com antecedência pela internet e se não for possível, quando arrumar alguém que consiga se comunicar peça para ele escrever as frases que quer usar para conseguir fechar sua passagem, exemplo:

  • Por favor, poderia escrever os horários e dias para Tal destino?
  • Poderia também escrever os valores?

Essas frases me salvaram na Rússia… rs rs… senão eu estava lá até hoje.

Dica: Muitos lugares têm dias gratuitos para visitações em museus, parques e outros, pesquisar sobre estes dias e planejar sua viagem considerando eles, já é um dinheirinho a mais que economiza.

5o PASSO – HOSPEDAGEM.

Muito bem, agora já temos as datas de chegada e partida e a duração em cada um dos lugares, chegou a hora de definir a Hospedagem.

No Brasil ainda é fraca a cultura de Hostel, mas em outros países é o melhor lugar para se ficar em relação a custo- benefício, principalmente para quem mochila e viaja sozinho. Você faz sempre bons amigos e contatos nestas hospedagens. Algo típico de hostel são quartos compartilhados, mas tem também individuais, caso queira privacidade ou esteja em casal.

É bom pesquisar também  as avaliações dos sites de hotelaria e ver pontuações e reclamações, além de anotar sempre o que leu em relatos dos viajantes que já passaram por lá.

Uma dica importante sobre a hospedagem: olhar a localização, se está próxima de metrôs, ônibus, dos pontos turísticos principais(onde se pode conhecer a pé). Isso faz com que você ganhe tempo e economize com deslocamentos.

6o PASSO – PESQUISAS GERAL.

Durante o seu planejamento de roteiros é importante sempre anotar e aprender sobre:

  • Cultura: os costumes de onde vamos, o que é permitido e o que não é, como devemos nos comportar, e com isso lembrar que como turista temos que respeitar a cultura local.
  • Gastronomia: Sempre procuro entender o que é típico do lugar que vou, o que tenho que experimentar, onde é o melhor lugar para comer, lembre-se que a culinária mostra muito de um país, viaje sem frescuras.
  • Pesquisar sobre objetos típicos e coisas que devo comprar para trazer de recordação também é interessante.
  • Golpes e segurança: Pesquisar sobre golpes no país e segurança ajuda muito a evitar problemas.
  • Nunca viagem sem seguro viagem, em alguns países é um item obrigatório, mas para outros não. Eu já fui assaltado e quebraram meu joelho no Equador, depois do acidente fui reembolsado de todos os custos da minha Ida para Galápagos que ficou para depois.

Aproveite e faça seu seguro aqui pelo Quero Mochilar com o nosso cupom e obtenha 15% de desconto.

2017_01_04-468x60

Há várias agências, procure uma agência de turismo, ou fale com seu cartão de crédito para definir a melhor cobertura. Essa é uma economia que não compensa.

  • Sempre pesquise se estiver viajando para fora do país sobre: Vacinas, vistos e moedas.

Lembrando que a melhor pesquisa é conversar com quem já foi.

7o PASSO – ORÇAMENTO.

Conforme for fazendo as pesquisas e for anotando os valores de passagens aéreas, hospedagens, passeios, seguro viagem e deslocamentos,  é hora de planilhar tudo isso e começar a estabelecer de acordo com seu orçamento: gastos com alimentação (café da manhã, almoço, lanches e jantar), itens que quer comprar, o limite de gasto com lembrancinhas,  um dinheiro extra para possíveis outros descolamento (ônibus, taxi, metro etc…) e uma “gordurinha” pro Lazer é claro (cervejas, vinhos  e bons restaurantes).

Juntando tudo isso, você vai ter uma estimativa de gasto que poderá controlar, para não se perder no orçamento no calor da emoção e voltar triste do passeio.

Cartão de crédito: Com 7 dias de antecedência, costumo desbloquear meu cartão de crédito para o país que vou passar. Ligo no cartão e informo data e país. Faço isso somente por garantia, caso fique sem dinheiro, ou precise, mas evito usar, pois o imposto é alto, e pagamos a conversão do dia do pagamento.

Compra de moeda estrangeira: Uma boa prática é ir comprando a moeda aos poucos ao longo do ano, todo mês no dia que o valor tiver mais baixo, compre o que seu orçamento permitir e vai juntando, assim, na média, o custo da moeda fica num preço bom, pois se deixar tudo para última hora, pode correr o risco de subir e você perder muito dinheiro.

Para economizar:

Corte lembrancinhas, costumamos gastar muito dinheiro em coisas inúteis que logo irão para o lixo e não tem valor para quem recebe e ainda vão reclamar;

Procure passar pelas cidades com museus, parques  no dia que ele é aberto gratuitamente ao público;

Fique em hostel em quarto compartilhado e faça suas próprias refeições;

Viaje fora de temporadas;

Ande sempre com sua garrafa de água para encher sempre que possível: 2 por dia a 5 reais (lugares turísticos são caras) dão 200 reais em um passeio de 20 dias.

8o PASSO – PREPARANDO A MALA.

A mala ideal vai variar com o tipo de viagem, eu prefiro o mochilão para viagens que desloco muito, por ser mais prático, a mala de rodinha é mais fácil de organizar, mas é incômoda para carregar.

Preste atenção no peso mínimo dos aeroportos, para não pagarmos sobrepeso.

Boas práticas que uso e ajudarão na sua viagem:

– Levar a mala com menos roupa e deixar para renovar o guarda roupa na viagem.

– Levar uma mala média flexível (dobrável) dentro da mochila, para trazer cheia, pois acredite, ela vai crescer.

– Levar roupas velhas como: meias, cuecas, camisetas e shorts. Muitas vezes principalmente quando faço trekking e sujo muito, uso roupas que já velhas, e vou descartando pelo caminho, ao invés de guarda-las sujas. O mesmo faço principalmente com cuecas e meias, levo todas as velhas, e vou deixando no caminho, se acontecer de faltar compro uma nova. Isso ajuda a abrir espaço na mala.

– Use nosso CHECKLIST  para preparar a mala: Isso evita esquecimentos.

9o  BOAS PRATICAS.

Caderneta: Sempre viajo com a minha caderneta, onde anoto tudo: meu orçamento, o que fiz em cada dia, o que gostei o que não gostei, o nome dos lugares a história, endereços etc… ela quebra um galhão, por isso recomendo.

Cópia dos documentos: Antes de viajar faça cópia de todos seus documentos, e guarde em um lugar diferente, para caso aconteça algo com os originais, você tem as cópias para te salva.

Money Pocket ou doleira: Recomendo usar este item e andar sempre com seu dinheiro e passaporte nesta vestimenta. Quando fui assaltado no Equador, quase não tive prejuízo financeiro, por estar com quase todo meu dinheiro guardado nela, sob as calças. Nunca mais viajei sem…rs.

10o PASSO – HORA DE IR.

Chegou o grande dia, então viva-o, o planejamento serve para melhorar a experiência, evitar transtornos e otimizar seu orçamento, mas nada te impede de fugir dele, e fique tranquilo, algo vai dar errado – Don´tworry ,be happy!

Ahhh aprenda as palavrinhas mágicas: BOM DIA E OBRIGADO no idioma do país que esta, caso opte por viajar para o exterior.

Todo este planejamento esta de modo didático nesta planilha de excel Planilha Adaptada para ajudá-lo a organizar sua Trip, sem esquecer de nenhum passo.

Espero ter ajudado e boa sorte!

Language »