Alexandria – Egito

INFORMAÇÕES DE: Setembro 2016.

ROTEIRO PARA: 1 dia.

TIPO DE VIAGEM: Tour guiado pelo Egito – 20 dias – Parte VIII.

HOSPEDAGEM: Bate e volta de Cairo.

SOBRE ALEXANDRIA.

Alexandria é uma cidade do centro norte do Egito, na costa do mar mediterrâneo. Esta cidade é também a segunda maior cidade do país, com uma população de cerca de 4,1 MM de habitantes.

É aqui o local onde fica a famosa Biblioteca de Alexandria, hoje construída no mesmo local daquela antiga e importante biblioteca que foi a maior do mundo antigo, que foi destruída com um incêndio no ano 48 A.C, uma perda que atrasou com certeza o desenvolvimento da humanidade na época.

Alexandria também foi um grande ponto de encontro entre a Europa, a África e a Ásia, porque a cidade se beneficiou da ligação entre o mar Mediterrâneo e o mar Vermelho.

Nos tempos antigos, Alexandria foi uma das cidades mais importantes do mundo. Foi fundada em torno de um pequeno “vilarejo” em 331 a.C. por Alexandre, o Grande, dai o nome. Permaneceu como capital do Egito durante mil anos, até à conquista muçulmana do Egito, quando a capital passou a ser Fustat (que foi depois incorporada no Cairo).

Além da biblioteca, Alexandria é conhecida por outras grandes maravilhas arqueológicas como: o Farol de Alexandria (uma das sete maravilhas do mundo antigo), e as catacumbas de Kom el Shoqafa (uma das sete maravilhas do mundo medieval).

ROTEIROS.

Dia 14: Alexandria.

Não queria ir embora do Egito sem conhecer esta importante cidade na história do mundo, e valeu, pois vi coisas muito interessante por lá.

Devido a proximidade de Gizé (240 km) e bom acesso fizemos um bate volta. Acordamos as 6h00 e viajamos por aproximadamente 3 horas de carro.

Ao chegar na cidade a primeira impressão não foi nada legal para falar a verdade, mal chegamos e encontramos ruas cheia de lixo, mas muito lixo mesmo, e também a mesma loucura de sempre no trânsito que Cairo (m as isso nem ligo, pois me divirto observando…rs).

8-3

Foto: Mudamos de cidade, mas a bagunça e os Tuc Tuc continuam os mesmos.

Chegamos e fomos direto nas Catacumbas.

Sobre as catacumbas de Kom el Shoqafa.

Valor da Entrada: 40 L.E (R$ 16,00)

Esta necrópole descoberta em 1900 é um dos maiores sítios arqueológico funerários romanos egípcios. Foi construído no final do século I e utilizado até o século IV.

Ela consiste de uma série de túmulos Alexandrinos, estátuas e objetos usados no culto funerário do Faraó com influência do período helenístico e do antigo Império Romano.

Realmente este lugar é fantástico, e eu não o conhecia nem por nome e minhas poucas pesquisas, e foi o que mais valeu para mim de Alexandria.

1

Foto: Entrada para as catacumbas.

Esta enorme catacumba subterrânea de 3 andares é muito bem feita, esta até bem preservada, mas há infiltração de água pelo lençol freático, e o ultimo piso, de cima para baixo, esta cheio de água, uma pena, pois algo tão belo devia ser melhor preservado.

2

Foto: Descemos o caminho em forma de espiral, podemos ver a poça de água no fundo.

Aqui muitos dos elementos encontrados fundiram tanto em aspectos culturais romanos como em gregos e egípcios, podemos observar que algumas estátuas possuem estilo egípcio,porém ostentam roupas e cabelo do estilo romano, enquanto outras partes são características de um estilo semelhante.

4

Foto: Estatua com estilo Egípcio e roupas e cabelos romanos.

O mais curioso é como este lugar foi descoberto, o descobridor desta maravilha foi nada mais, nada menos que um burro, sério, um burrico… kkk, o animal caiu com a pata em um buraco acidentalmente, e seu dono foi investigar o que era este buraco e encontrou esta maravilha toda (rs).

3

Foto: Interior das catacumbas.

Acredita-se que as catacumbas eram destinadas apenas para uma única família, mas não está claro porque o sítio foi expandido de modo a albergar muitas outras pessoas. As Catacumbas de Kom el Shoqafa são também uma das sete maravilhas do mundo medieval.

Uma das partes mais legais da catacumbas é o chamado Hall de Caracalla. Segundo a tradição, esta é uma câmara para os homens e os animais que foram massacrados por ordem do Imperador.

5

Foto: A cena da mumificação, uma herança egípcia nas catacumbas.

Depois deste passeio, fomos conhecer a coluna de Pompeu, que assim como as catacumbas estão totalmente envolvida pela cidade.

Sobre a coluna de Pompeu.

Valor da Entrada: 30 L.E (R$ 12,00)

A Coluna de Pompeu pertencia ao templo do Serapeu ( templo construído por Ptolomeu III (246–222 a.C.) e dedicado a Serápis, protetor de Alexandria). Esta é uma coluna feita de granito vermelho, sendo a maior deste tipo erigida fora das capitais imperiais da antiguidade.

6

Foto: Entrada para irmos a coluna, sim não há uma sombra…rs.

Em todos os relatos descobertos, dizem que o Serapeu era o maior e o mais belo de todos os templos do quarteirão grego de Alexandria. Além da imagem do Deus, o recinto do templo abrigava uma parte da coleção da grande Biblioteca de Alexandria.

Neste sítio arqueológico há mesmo somente a coluna, e algumas estatuas pois esta muito degradado, e como esta bem no meio da cidade, teria muito a ser descoberto, mas por estar já com casas acima de uma grande área a exploração teve que parar.

7

Foto: As estátuas são de Ramsés II e a coluna de Pompeu.

8-01

Foto: Os túneis subterrâneos na Coluna de Pompeu. 

8-1

Foto: Este bagunção é o cenário de fundo deste sítio arqueológico.

8-20

Foto: Alexandria vista do sítio arqueológico de Pompeu.

Depois de derreter neste templo sem sombra fomos para o local onde ficava o farol de Alexandria. O caminho pela beira mar é bem interessante, vemos as avenidas e o transito até parece ser mais organizado, mas só parece viu, pois de perto continua a loucura de sempre com direito ao mesmo tanto de buzinadas, mesmo os carros tendo mais espaços.

av1

Foto: Avenida beira mar de Alexandria.

No ponto próximo ao farol, antes de sairmos para conhecer o lugar, paramos para um sorvete, e achei interessante como otimizam espaço..rs.

9

Foto: Olha como fica o sorvete no Egito.

10

Foto: Arroz doce, muito comum por aqui.

No ponto onde ficava o farol de Alexandria, uma das 7 maravilhas do mundo antigo, hoje encontra-se uma mesquita, e provavelmente os restos deste magnífico monumento se perderam no tempo sob o mar, assim como parte de Alexandria.

Para chegar aqui tem um corredor enorme de vendedores, e não sei o por que, mas estavam super calmo, não perturbaram…rs.

11-2

Foto: A frente esta o local onde ficava o farol de Alexandria.

Outra tristeza é ver um lugar como esse cheio de turistas tão sujo e mal cuidado, lixo por todo o chão, pelo mar, um cheiro ruim… muito feio, perde até a graça e a beleza, com aquele cheiro ruim.

11-1

Foto: Linda foto né?, mas observe os cantos a espuma de poluição.

11-3

Foto: Olha quanta vida retirada do mar para ser vendida aos turistas. Cena muito triste para mim.

Saímos daqui e fomos para a biblioteca de Alexandria, que diz esta no mesmo lugar da antiga, que foi queimada, infelizmente este dia não dei sorte, pois estava fechada sem aviso prévia para uma visita importante, que não era a minha (rs), assim não pude conhecê-la por dentro, e fui embora chateado, mas…

11

Foto: A bela Biblioteca de Alexandria.

12

Foto: Admirando por fora, já que entrar fiquei devendo.

13

Foto: Busto do Alexandre, o grande na pátio externo da biblioteca.

14

Foto: Teto da Biblioteca, que fica na maior parte subterrânea.

Para compensar o tempo da biblioteca fomos conhecer os Jardíns do Palácio de Montazah.

av2

Foto: Mais transito de Alexandria, aqui parece normal, mas ao vivo é cheio de buzinas…rs.

Sobre os Jardíns do Palácio de Montazah.

Valor da Entrada: 50 L.E (R$ 20,00)

Criado em 1900 por Khedive Abbas II, na orla norte da cidade, o palácio de Montazah é um dos mais belos monumentos de Alexandria.

Este palácio é até hoje a residência de verão da família real egípcia e é fechada ao público em geral, então, não entramos, só o vemos por fora, mas para compensar podemos caminhar em volta dele e tirar belas fotos.

jar3

Foto: Bela vista do Palácio.

jar1

Foto: Derretendo no sol e desbravando ao redor do palácio procurando novos ângulos.

jar2

Foto: Palácio.

Sem dúvida o maior destaque daqui são os Jardins do Palácio, uma área verde conservada e cercada por praias e passarelas.

Realmente o palácio e os jardins são lindos, e há várias pessoas aproveitando para fazer piquenique e nadar na praia.

Tiramos algumas fotos no jardim em frente ao belo palácio, e depois fomos andando até uma ponte de onde podíamos observar o pessoal nadando na praia, pra quem que aproveitar e dar uma paquerada, nem se anime, a mulherada esta toda de burca…kkk queria até ver a cena de uma mulher entrando de biquini alí, o que acontecia.

jar4

Foto: Praia no jardim do palácio.

jar5

Foto: Bela ponte.

Após este dia cheio, vendo lugares tão especial, fomos almoçar um chawarma em um lugar que só o Moisés conhece, pois não é um lugar muito turístico, mas é ótimo, e foi um almoço muito top e o melhor chawarma que comi no Egito.

z

Foto: O melhor Chawarma de Alexandría.

z1

Foto: Nós almoçando com Moisés, e Arón.

A viagem continua…

Relato anterior: Siwa.

Próximo Relato: Santa Catarina – Sinai.

NOTAS:

1-  Há vários meios de chegar até Alexandria: Trem, Ônibus, Avião, etc..

2- Tem várias vans e agências que você pode encontrar no centro de Cairo fazendo o bate e volta.

3- Mesmo não tendo gostado muito do que vi e da cidade, penso que se tiver vários dias vale a pena ficar um pouco mais.

4- Para entrar nas praias tem que pagar, coisa pouca, pena que não me lembro o valor.

Podem te ajudar:
Face do Mohamed – Moisés – Responsável por toda minha viagem

https://www.facebook.com/mohamed.moses.948?ref=ts&fref=ts

 

 

 

Deixe uma mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estesHTMLtags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Language »