Luxor – Egito

Simplesmente fantástica! Assim eu diria de Luxor, cidade no sul do Egito a 670 km de Cairo.

Luxor surgiu das ruínas de Tebas, capital do Império Novo (1550-1069 A.C), e por causa da sua riqueza arquitetônica e cultural, esta é a mais monumental das cidades que abrigam vestígios da antiga civilização egípcia, por isso mesmo, é também conhecida como o maior museu ao ar livre do mundo e só estando lá para entender o porquê.

INFORMAÇÕES DE: Setembro de 2016.

ROTEIRO PARA: 2 dias.

TIPO DE VIAGEM: Tour guiado pelo Egito – 20 dias – Parte I.

HOSPEDAGEM: Cruzeiro no Nilo – Radamis II.

Vai procurar um hotel por aqui? Pesquise e reserve com o booking.com aqui com o Quero Mochilar na caixinha ao lado. Você não paga nada a mais por isso e ajuda a manter o blog no ar.

SOBRE LUXOR.

Luxor é uma cidade no sul do Egito, cujo nome significa “campo fortificado”. Luxor é também uma das principais cidades do pais, com uma população de aproximadamente 500 mil habitantes. Esta importante cidade cresceu a partir das ruínas de  Tebas, capital do Império Novo (1550-1069 A.C).

O Nilo separa Luxor em duas partes: na margem oriental encontramos os vestígios dos mais importantes templos consagrados aos deuses da mitologia egípcia, e a margem ocidental,  dedicada aos mortos, localiza-se algumas das mais importantes necrópoles do antigo Egito, e onde foram feitos alguns dos achados arqueológicos mais significativos da antiga civilização, como  o túmulo de Tutancâmon, descoberto em 1922 .

8

Como Chegar?

Luxor é uma cidade bem turística e chegar até ela não será problema.

As duas opções mais procuradas são:

  • Trem: 16 horas de duração e em torno de U$ 100 a U$ 120 (dólar americano).
  • Avião: 55 Minutos, onde os preços variam bastante.

A escolha vai depender do seu tempo e $$.

Quando ir?

As principais atrações da cidade são seus templos que podem ser visitados durante o ano todo.

O Egito e um pais quente, onde a maior parte é deserto, com isso ele tem praticamente duas estações: O inverno, que é bem ameno que vai de novembro a abril, e o verão que vai de maio a outubro.

Os meses recomendados para conhecer o país são de outubro a março.

Segurança.

O Egito é um pais seguro em relação a roubos e furtos, a pena é bem rigorosa aqui para quem é pego roubando, em contrapartida eles tentam tirar dinheiro de você de todas as formas possíveis, e temos sempre que ficar esperto e realmente ignorar qualquer tentativa de aproximação.

Mulheres, em especial devem tomar cuidado e pesquisar sobre as vestimentas. Nas atrações não há muito problema, mas para andar nas ruas, principalmente em cidades do interior, é melhor não arriscar. Também evitem andar sozinhas e só em mulheres em lugares menos turísticos.

Terrorismo: No mundo de hoje é um cuidado que devemos ter, principalmente em bairros cristão. Sempre tente entender como esta o clima no país com alguém do próprio Egito.

As viagens pelo interior são feitas com escolta policial. Uma questão de segurança e para evitar qualquer tipo de problema.

Seguro viagem: É loucura viagem sem, e nunca é recomendado independente do país.

Faça uma cotação com o nosso parceiro Mondial Assitance e fechando o seu aqui com o Quero Mochilar você ainda tem algumas vantagens.

ROTEIRO

Planejamento da viagem e Chegada ao Egito.

Egito sempre foi o meu maior sonho de viagem, e eu vivia adiando por ouvir que não era a hora, que era perigoso entre outras. Até que no começo do ano, por acaso eu vi uma postagem no facebook de um guia de viagens que falava português fluente. Lembrando dos perrengues que passei quando fui para Rússia, resolvi consultar este agente de viagens, e pedir ajuda para fazer o trajeto que queria, e ele com conhecimento, me apresentou um trajeto melhor do que eu esperava e por não ser excursão (que odeio), pensei vou arriscar.

Dei uma pesquisada sobre ele em sua página, vi que havia pessoas que o conhecia, que ele já havia atendido até o grupo Sepultura, e fechei minha viagem dos sonhos com o Moisés. Loucura, né? Achei ele no face, depositei 35% do valor com antecedência e rezei para ele ser de verdade, e ele era, graças a Deus..rs.

Planejei toda minha viagem com ele, que sempre foi muito solicito em tudo, atencioso e gentil, e pessoalmente ele como pessoa e seu trabalho não deixaram a desejar.

Moisés faz todo tipo de viagem, no meu caso fiz um tour privado, só eu e uma amiga, mas ele faz excursões em grupos também, e seu tour é bem mais em conta que comprar em uma agencia aqui no Brasil.

trajeto-egito

Foto: Mapa do Trajeto da Minha viagem pelo Egito: 1- Luxor, 2- Edfu, 3- Kom Ombo, 4- Abu Simble, 5- Aswan, 6- Gizé, 7- Cairo, 8- Siwa, 9- Alexandria, 10- Sinai, 11- Sharm el Sheik e 12 – Dahab.

Partindo…

Comecei minha viagem dos sonhos saindo de Montes Claros as 6:00h com destino a São Paulo, de onde eu partiria para o Egito 1:00 am. Felizmente não tive que esperar este tempo todo a conexão, passei a tarde em São Paulo com amigos e parentes, e depois fui direto para o Aeroporto de Guarulhos.

Voei pela Ethiopian Airlines, e foi a primeira vez por esta empresa. Foi um voo não muito tranqüilo, tinha muita criança e foi um choreiro só, mas a empresa em si é boa, e teve alimentações bem gostosa (Na ida). Eles também tiveram o cuidado de na compra da passagem identificar restrições alimentares, o que pra mim, que tenho um pouco de intolerância a lactose foi um grande diferencial.

O voo faz uma parada depois de 7 horas de voo em Lomé (Capital de Togo, já na África), onde abastece e pega mais passageiros, depois voa por mais 5 horas até Addis Ababa, capital da Ethiopia, onde trocamos de aeronave e são mais 3 horas até Cairo. Foram umas 17 – 18 horas de viagem até chegar em Cairo, cheguei em torno de 1h30min am, o fuso horário em Cairo nesta época do ano são de 5 horas a mais em relação ao Brasil.

Chegando em Cairo…

Quando cheguei no aeroporto de Cairo, corri para o banheiro, e adivinha a primeira coisa que me aconteceu, me pediram gorjeta. Na hora mesmo já percebi que tudo que li na internet sobre as “propinas” era a mais pura verdade, e ao longo dos relatos vou descrevendo as várias situações que encontrei.

Chegando na saída já fui recebido pelo agente enviado pelo Moisés, meu guia, que foi me ajudar a tirar o visto, encontrei também minha grande parceira de viagens Luana.

Quando damos entrada no país, não passamos por guichês, e no próprio corredor preenchemos o papel de entrada e somos abordados pelos agentes que nos fazem as perguntas de sempre: Onde vamos? De onde somos? Onde vamos ficar? O que estamos fazendo aqui? etc…

Este agente enviado por Moisés me ajudou nesta entrevista, e depois foi comprar meu visto. Paguei $ 35 Dólares no visto. Não há necessidade nenhuma de tirar visto com antecedência para ir para o Egito, mas como as coisas sempre mudam é sempre bom pesquisar.

Como iríamos de Cairo diretamente para Luxor, tivemos que esperar até as 6h00min am para pegar nosso voo, e este agente enviado acabou que foi útil para ganharmos tempo procurando a EgyptAir, e também acabamos trocando com ele $100 dólares a um câmbio de $1 -> 9 Libras Egípcias (L.E), um pouco melhor que o oficial, que era 8.8, e descobrimos isso só depois, na hora que trocamos ficamos apreensivos, e por isso mesmo trocamos só $100.

Dia 01: Luxor.

O voo partindo de Cairo tem duração de 55 min,  e as 7:00 h chegamos em Luxor, onde fomos recebido por outro Mohamed,  de apelido Samura (Quase todo mundo no Egito chama-se Mohamed…rs), um guia excelente, simpático e que entende muito de história do Egito.

Foto: Chegando em Luxor é possível observar o contraste do deserto do Saara e a vida surgindo próximo as águas do Nilo.

Ainda bem cansados da viagem e “fedidos”…rs, fomos direto conhecer o Templo de Karnak, o maior do mundo, com construções pertencentes a 13 reis diferentes desde o século 19 A.C.

Templo de Karnak

Horário de funcionamento: Diariamente das 6h00 as 17h30min.

Entrada: 80 EGP (R$ 32,00)

Um pouco sobre o Templo de Karnak…

Karnak, é o principal templo destinado ao Deus Amon-Rá, sendo um enorme complexo de santuários, resultado de mais de 2 mil anos de construções, onde cada rei que assumia construía mais uma parte. Este templo também foi por séculos o principal local de culto aos deuses de Tebas (antiga Luxor).

O Templo é balizado por uma série de pátios e pilares, a sala hipostila possui uma verdadeira floresta de 134 colossais colunas em forma de enormes papiros com 21 m de altura e 4 m de diâmetro. Numerosos edifícios secundários completam o grande templo de Amon-Ra, como: capelas de Osíris, templo de Ptah, templo de Opeth etc…

Na minha cabeça, para ir a um templo deste eu ia sair da cidade, mas para a surpresa não, ele estava praticamente no meio dela. O acesso de carros a estas áreas são restritos e já de cara, observamos que o nosso guia nos identificou como turistas brasileiros, e isso aconteceu na maioria dos templos, e é bom ver que estão cuidando da segurança destes lugares tão especiais.

Quando chegamos ao templo, a primeira coisa que fomos entender foi a sua estrutura através de uma maquete, e depois de uma incrível aula do Samura fomos , conhecê-lo.

2

Foto: Maquete do templo de Karnak.

Na entrada do Templo, com as várias estátuas de cabeça de carneiro eu já estava feliz e tirando várias fotos, até que entrei na sala com colunas gigantes em formatos de papiro e não conseguia parar de pensar, como aquilo devia ser lindo na época, e entendi o por que lá era o maior templo do Egito. Tudo simplesmente fantástico.

3.0
Foto: Esfinges da avenida das procissões do templo de Amon em Karnak, com seus corpos de leão e cabeças de carneiro que simbolizam  o Deus Amón. Entre as patas as esfinges têm uma estátua da divindade ou do faraó, protegendo-os de influências maléficas.

3

Foto: Local onde chegavam os barcos do Nilo para o acesso ao templo. Hoje já distante do rio.

5

Foto: Meu primeiro contato com Karnak.

6

 Foto: Samura nosso guia me enriquecendo com todo seu conhecimento.

7

Foto: Entrando na sala hispóstila, com as 134 colossais colunas em forma de papiros.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

8

Foto: Eu e Luana, aproveitando os minutos de fotos.

9

Foto: Principal templo ao sol, iluminado por ele, não tinha como não publicar esta foto.

10

Foto: Tocando a história.

11

Foto: Há várias estátuas representando os faraós que ainda estão bem conservadas.

12

Foto: Estátua de Tutmoses III.

13

Foto: A colossal estátua (15m) de Pinudjem, grande sacerdote de Amón em Tebas.

14

Foto: O obelisco ainda bem preservado de Hatshepsut.

15

Foto: Detalhes das inscrições no obelisco.

16

Foto: Nós dois aproveitando o prazeroso momento na sombra do lado externo do templo.

17

Foto: Mostravam sua força com seus desenhos do lado externo com a esperança de botar medo nos inimigos.

18

Foto: O Escaravelho gigante que o faraó Amenofis III dedicou ao Deus Khepri. Sete voltas nele e seu desejo se realiza.

19

Foto: Ao lado do obelisco com os cartuchos de Amenofis III. OS cartuchos eram usados para identificar os faraós, eram tipo seus carimbos.

20

Foto: O lago sagrado, construído durante o reinado de Amenofis III, onde os sacerdotes se purificavam 4 x ao dia para os rituais.

21

Foto: Eu e Luana derretendo no sol.

22

Foto: Mais uma bela imagem dos monumentos.

23

Foto: Enquanto as vezes procuramos um pouco de privacidade para fotos, somos sempre seguidos pelos guardiões, que “arranham” um inglês, e tentam te explicar algo em troca de gorjeta.

Tempo de Luxor 

Horário de funcionamento: Diariamente das 6h00 as 22h00.

Entrada: 60 EGP (R$ 24,00);

Um pouco sobre o templo de Luxor…

Ainda encantados com a grandiosidade de tudo que vimos, fomos direto para o Templo de Luxor, bem próximo ao de Karnak, a aproximadamente uns 3 km.

O Templo de Luxor foi iniciado na época de Amenófis III e aumentado mais tarde por Ramsés II. Este templo é o único monumento do mundo que contém em si mesmo documentos das épocas faraônica, greco-romana, copta e islâmica, com nichos e frescos coptas e até uma Mesquita (Abu al-Haggag). Assim como Karnak, este templo era dedicado Amón e sua esposa. No século II, o templo foi ocupado pelos romanos, e depois foi sendo abandonado gradualmente.

O templo foi coberto pelas areias do deserto, até que em 1881 o arqueólogo Gaston Masperore o descobriu . Para iniciar a escavação a vila que entretanto tinha crescido perto do templo teve de ser retirada, apenas permanecendo uma mesquita, construída pelos árabes.

24

Foto: A entrada do Templo de Luxor, com as duas estátuas do faraó Ramsés II.

25

Foto: A mesquita que existe dentro do Templo.

26

Foto: O enorme pátio de Ramsés.

27

Foto: Detalhes da arquitetura de origem romana presentes no templo.

28

Foto: Mais um belo pátio.

29

Foto: Estátua de Ramsés II com a rainha Nefertari.

30

Foto: Ramsés II.

31

Foto: Vista geral do centro do templo.

32

Foto:  Eu neste lugar incrível.

33

Foto 33: Acesso Norte, com a avenida de esfinges com cabeça humana. Lugar de onde chegavam quando vinham de Karnak.

Após esta manhã incrível de muita história fomos para o nosso barco fazer o check in. Recebemos um suco de Karkade (Hibisco), muito bom, que é a bebida de boas vindas no Egito, e até que enfim pude tomar um banho e me esbaldar no excelente almoço do barco, além de dormir até o horário da janta, e nos preparar para madrugar no próximo dia.

Dia 03: Luxor.

Acordamos as 3:00 a.m para o ver o sol nascer em um balão. Quando fechei minha viagem este voo estava incluso, mas para quem for sozinho este voo custa $ 110 dólares.

Saímos do barco com nosso café da manhã pronto (preparam um lanche para levarmos se solicitar), e fomos para o ponto de encontro. Para chegar até lá vamos de carro até um barco, de onde atravessamos o Nilo para outra margem. Na outra margem, mesmo a esta hora já tinha algumas crianças pedindo gorjeta, acabei dando parte do meu café para elas.

Como chegamos bem cedo vemos toda a preparação dos balões, e para mim era novidade, tirei muita foto e filmei muito.

Tudo pronto subimos, e vamos sobrevoando o vale dos reis, o templo da rainha Hatshepsut e colossos de Memmón, até surgir como uma bola de fogo o Sol, e proporcionar um nascer muito especial para ser lembrado para sempre.

34

Foto: A preparação.

35

Foto: Voo de balão para ver o sol nascer.

36

Foto : Sobrevoando o vale dos Reis.

37

Foto: Templo da rainha Hatshepsut visto do balão.

38

Foto: Assim, grande e laranja ele surge no céu do Egito.

39

Foto: Mais belas imagens deste belo passeio.

40

Foto: O contraste do deserto e a vida no campo.

41

Foto: O momento que ele voa alto. De arrepiar!!! Fantástico.

O voo de balão dura em torno de 50 min, e é muito quente, fiquei até meio “pururucado”…rs, este é o único desconforto, ainda mais por estar no Egito, mas vale o calorzão.

Terminado o passeio fomos direto para os Colossos de Mêmnon, um passeio rápido com mais explicações de história .

Os colosssos são duas estátuas gigantescas do faraó Amenófis III. Estas duas estátuas eram entendidas como guardiãs do templo funerário do faráo. O templo tinha cerca de 385 000 metros, sendo um dos maiores da Antiguidade, mas foi completamente destruído devido às inundações do Nilo e à extração de materiais.

42

Foto: As estátuas representam Amenófis sentado no trono com as mãos pousadas sobre os joelhos. Em cada lado das suas pernas está a sua mãe, Mutemuia, e a sua esposa principal, a rainha Tié.

Logo depois seguimos para o vale dos reis, o lugar onde eram sepultados os faraós.

Vale dos Reis

Horário de funcionamento: Jun/out: 6h00 /19h00 – nov/mai: 7h00/17h00.

Entrada: 100 EGP (R$ 40)

Um pouco sobre o Vale dos Reis…

No vale do rei estão 62 tumbas descobertas, sendo que o ingresso da direito a entrada em três tumbas, e a mais famosa a de Tutancâmon temos que pagar a parte mais $100 EGP ( aprox. R$ 40 reais). Não ficam abertas as 62 tumbas para visitação, elas se revezam no intuito de preservá-las. Quando entramos no vale dos reis, vemos uma maquete interessante que nos explica, como é o complexo, e depois deste ponto, nada mais de fotos.

44

Foto : O Mapa do vale dos Reis, antes de entrarmos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

45

Foto: Pegando o transporte até a entrada das tumbas.

As três tumbas que visitei foram: Horemseb, Merenptah e Ramsés IV. Estas tumbas tem amplo corredores, com as paredes todas pintadas contando a história dos faraós, até chegar ao local onde ficavam os sarcófagos, em nenhuma delas há tesouros ou múmias, somente as pinturas bem preservadas.

Antigamente os faraós eram enterrados com toda sua riqueza e com tudo o que pudessem utilizar na sua vida após a morte, por isso muita destas tumbas foram saqueadas.

Os guias são proibidos de entrar junto nas tumbas, e na entrada de todas elas, ainda mais que estavam vazias quando fui, somos perseguidos pelos guardiões, que não param de nos seguir querendo gorjetas. Tentamos até não dar muita atenção a suas explicações para não ter que pagar, mas não tem jeito, na hora de sair te abordam e querem um “dinheirinho”, e reclamam se der coisa pouca.

Eu optei por entrar na tumba de Tutamkamon e não me arrependi, pois foi muito interessante vê-lo ainda bem preservado, seus pés com dedos compridos, suas mãos, dentes, dá pra observar cada detalhe, e no dia que fui estava só eu e ele. Pena que não tirei fotos.

Após a visita, passamos por uma loja de suvenir feitos com pedras, na tentativa de que gastássemos nosso dinheiro, mas começo de viagem ninguém quer carregar peso na mala, tudo muito lindo, mas foi só pra ver mesmo e Logo depois  fomos já para o belo Templo de Hatshepsut, a única mulher faraó que governou o país.

46.1

                                                                                                                                                                                    
Foto: Os artesões esculpindo esculturas de pedras.

Tempo de Hatshepsut

Horário de funcionamento: Diariamente das 8h00 as 17h00.

Entrada: 50 EGP (R$ 20,00).

O Templo de Hatshepsut, é um dos mais belos do antigo Egito. Foi construído por ordem da rainha-faraó Hatshepsut para ser seu templo funerário. Hatshepsut foi uma das mulheres mais poderosas da antiguidade, mais poderosa do que Cleópatra e Nefertiti.

46

Foto: O belo Templo Hatshepsut, também conhecido como Templo de El Der El Bahari.

47

Foto: Eu Faraó.

48

Foto: Estátua do Deus Hórus em forma de falcão na entrada do Templo. Hórus era o Deus dos céus.

49

Foto: Estátua da Deusa Hathor, com orelhas de vaca, a Deusa do que personifica os princípios do amor, beleza, música, maternidade e alegria.

h4

Foto: Osíris, o Deus maior do Egito.

h5

Foto: Hórus, filho de Osíris, em forma de Falcão, e Deus do céu.

h8

Voltamos para o barco para descansar e partir com destino a Edfu, onde continuo o relato.

E DAÍ, QUANTO FICOU A BRINCADEIRA??

Orçamento: R$ 750,00 / dia / 20 dias – Todo o meu roteiro com todos os gastos.

Gastos principais em Luxor, foram:

  • Templos – Entradas: 340 EGP.
  • Balão: $110.

Em torno de : R$ 540,00.

 LIÇÕES APRENDIDAS:

1- Luxor é uma cidade que vive muito do turismo, e assim como todo o Egito, hoje esta com o turismo em baixo, com ótimos preços.

2- No Egito te pedem gorjeta para tudo. Fujam das pessoas que te seguem, e ande sempre com trocado.

3- Luxor não parece ser uma cidade com muitos atrativos, penso que a melhor maneira de conhecê-la é desde mesmo modo, fazendo o Cruzeiro no Nilo.

OUTRAS INFORMAÇÕES ÚTEIS DO EGITO.

Fuso Horário: +5h (Brasília)

Língua

O idioma oficial do Egito é o idioma árabe, e outros idiomas são poucos falados no país, principalmente interior, portanto a comunicação é bem difícil.

Moeda

A libra egípcia é a moeda oficial do Egito.

Símbolos: EGP.

  • 1 EGP = R$ 0,18
  • R$ 1,00 = 5,63 EGP

*Sem impostos

Cotação atual: Clique aqui.

Visto e Vacinas

Precisa de visto para entrar no Egito, mas pode ser tirado na hora no próprio aeroporto. Recomendo pesquisar na embaixada para ver se teve alguma alteração na data da sua viagem.

O Egito também exige a vacina de febre amarela com carteira internacional de vacinação.

Eletricidade

A voltagem de Luxor é 220V.

Tipo de Tomada

Plug de tomada tipo C

plug-tipo-c

A VIAGEM CONTINUA…

Próximo Relato: Edfu.

Newsletter: Assine nossa newsletter na caixinha ai ao lado, assim você receberá notificação em primeira mão de todos os posts publicados pelo Quero Mochilar, e ainda terá acesso a cupons de desconto para nossos produtos.

QUEM PODE TE AJUDAR?

*Não recomendo viajar o Egito sem guia.

Gostou? Tem alguma sugestão ou atualização de informação? Enriqueça a pesquisa de seus amigos nos comentários. Além de ajudar o próximo viajante é super importante a opinião de vocês para o blog.

  1. Regina says:

    Olá! !!Gostei muito do seu relato sobre sua viagem ao Egito.Pretendo ir em nov/2017..provavelmente irei em um vôo com uma escala,odeio ficar fazendo conexões,ótimo sua informações sobre seu vôo, pensava que a escala seria só na Etiópia, não tbm Lomé. Qto as pessoas ficarem o tempo todo atrás pedindo gorjeta vai ser um problema para mim..odeio ser importunada principalmente qdo estou como turista…Acho que como baianeira (mineira-bahiana) vou dar muita Porraaaa.palavra que usamos na Bahia para tudo..Tipo trem em Minas…seu relato foi muito importante e verdadeiro! Qto ao guia uma pessoa maravilhosa…Tenho sempre contato com ele..Sou uma das administradoras dos grupos de mulheres e grupo de casais que desejam viajar para o Egito..que ele formou no Facebook com Andresa Araújo. Um abraço! !!

    • Marthon Livramento says:

      Olá Regina. Que bom que gostou e que ajudei de certa forma, semanalmente estarei publicando o relato dos outros dias no Egito. Ha!!! Vá com muita paciência e preparada psicologicamente para os vendedores, vai dar muita porrada lá…. abraço.

  2. Silvânia says:

    Adorei os relatos. Serão muito úteis para a viagem que pretendo fazer. Só para eu ter uma base, qual o custo dessa viagem?

    • Marthon Livramento says:

      Olá Silvana, que bom que gostou, falta muito ainda para eu terminar. Pergunte por mensagem no Face para eu não esquecer que te escrevo certinho sobre os valores, ok.

  3. Maria Cristina says:

    Marthon, estou adorando teus relatos, aguardando os próximos com anciedade pois estou indo agora em novembro para lá,e também com o Moses. Onde mais vocês trocaram o dinheiro? ou usaram mais o dólar mesmo? o que vale a pena?

    • Marthon Livramento says:

      Olá Maria…Não trocava todo o dinheiro, pois muitos lugares aceitavam dólar, então via sempre a conversão que valia mais apena para decidir como pagar. Eu troquei com o próprio Moisés, e em Luxor troquei com o guia de lá que arrumou uma pessoa no mercado negro e foi a melhor conversão de todas… estava trocando a 8,8 L.E o oficial (1 dólar), consegui trocar por 10 em Luxor. No aeroporto com o cara do transfer troquei por 9. Recomendo ir trocando de 100 a 200 dólares por vez, pois como as vezes tem muita coisa inclusa e aceita dólares fica melhor assim. ok…

  4. Leandro Ferreira says:

    Olá Marthon.

    Um ótimo relato, estou acompanhando tudo, pois pretendo passar uma semana no Egito em Setembro. Poderia me tirar algumas dúvidas?

    1 – O visto vc tirou no aeroporto quando chegou? Não tem que tirar com antecedência na embaixada ou consulado?

    2 – Podes me passar o contato do seu guia fluente em português no Egito?

    • Olá Leandro, bom dia.
      Em relação ao visto você não precisa se preocupar, se tira lá na hora mesmo, por $25 dólares.
      O contato do guia esta no blog, no final de cada relato, na parte “Quem pode te ajudar?”, ou se for no item parceiros e clicar na foto vai direto para o face dele. Seu nome é Mohamed Moses.
      No relato de Luxor, falo sobre o planejamento, e pode ter várias dicas úteis para você, confere lá!!!
      Boa viagem, Egito é o máximo.
      Se não encontrar o contato me avise.
      Abraço

Deixe uma mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estesHTMLtags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Language »