Chapada dos Veadeiros – GO

INFORMAÇÕES DE: Março 2014.

ROTEIRO PARA:4 dias.

TIPO DE VIAGEM:Carro – Feriado de Carnaval.

HOSPEDAGEM:Pousada dos Guias em Alto Paraíso. Muito bom atendimento, café da manhã excelente e o pessoal ajudou muito com a nossa programação.

SOBRE A CHAPADA DOS VEADEIROS

A Chapada dos veadeiros é uma unidade de conservação brasileira de proteção integral à natureza localizada na região nordeste do estado de Goiás, e abrange sete cidades sendo uma das principais Alto Paraíso de Goiás. O parque abrange uma área de 65.514 ha de cerrado de altitude. A chapada é um lugar místico com muitas histórias de OVNIs, cercado de belas cachoeiras, e ideal para quem curte trilhas, aventura e belas paisagens.

Por abranger uma área muito grande o ideal é ficar mais de 4 dias para conhece-la melhor, mas este tempo se bem otimizado podemos visitar muita coisa.

É possível conhece-la durante o ano todo, sendo que de abril a setembro ocorre o período seco (entre junho e agosto praticamente não há chuvas), e de outubro a março é o período úmido. Vale ficar atento a estes dados para programar a viagem de acordo com o clima que mais se adequa ao roteiro planejado. Fui em março e peguei muita chuva nas trilhas dentro do Parque, e também não consegui visitar um dos canyons por estar cheio demais e ser período de reprodução de uma ave. Além de pegar estradas de terra de péssimas condições.

ROTEIROS

Dia 01: Alto Paraíso de Goiás.

Como havia viajado a madrugada toda, pois saí de Montes Claros/MG no inicio da noite e fui chegar as 9 a.m,  deixei para o primeiro dia fazer os passeios mais próximos da cidade e de fácil acesso.

DSC08760 (Copy)

Foto: Paisagem chegando a Alto Paraíso de Goiás.

DSC08975 (Copy)

Foto: Entrada de Alto Paraíso – O Portal de entrada simboliza um disco voador.

 

Fui primeiro conhecer as cachoeiras Almécegas I e II, cachoeira São Bento e Jardim de Maytrea.
Estas 3 cachoeiras ficam em uma mesma fazenda particular, próxima a Alto Paraíso na estrada (parte asfaltada) que vai pra São Jorge, a aproximadamente uns 12 km da cidade.
Sobre as Almécegas I e II, cachoeira São Bento:
Trilhas: Fácil. Um pouco mais puxada (média) na Almécegas I – 3 km ida e volta.
Valor: R$ 20,00 (para visitar as 3 cachoeiras) – Somente as cachoeiras Almécegas (Melhores) seria R$ 10,00.
As 3 são boas para banho, sendo que a mais bela de todas é a Almécegas I. Sinceramente a São Bento deveria vir de brinde, pois os 10 a mais depois de ver as Almécegas não compensa.

ALMECEGAS I (Copy)

Foto: Almécega I – VIsta de Frente antes da descida.

 DSC08805 (Copy)

Foto: Almécega I – Bela Cachoeira da Chapada dos Veadeiros.

DSC08835 (Copy)

Foto: Um banho com os amigos nas águas geladas da Almécega I.

DSC08871 (Copy)

Foto: Parte de cima da Almécega, no mirante. Vale a pena ir neste lugar ver a cachoeira de cima.

 DSC08885 (Copy)

Foto: “Arte” no caminho para as cachoeiras… rs

 DSC08904 (Copy)

Foto: Almécega II -também é boa para um banho.

 DSC08937 (Copy)

Foto: Almécega II – Vista completa.

DSC08944 (Copy)

Foto: Cachoeira São Bento – Próxima a sede e a de mais fácil acesso, também e menos bonita das 3.

 

Depois das cachoeiras na mesma rodovia sentido a São Jorge ainda na estrada de asfalto, você pode almoçar no bar do Waldomiro, e comer a Matula, comida típica da região, em PF ou pedido a parte, lá é o único lugar que faz o prato típico (Um prato com várias carnes desfiadas e feijão com sabor bem diferente).
Ainda na mesma estrada sentido São Jorge, próximo ao Bar, tem o belo JARDIM DE MAYTREA, uma placa bem discreta na estrada indica o lugar onde você tem que parar no acostamento, e desce uma trilhazinha, do lado da rodovia, somente pra tirar fotos. O lugar é lindo e já pertence ao parque nacional! Vale a pena esta parada.

DSC08956 (Copy)

Foto: O belo Jardim de Maytrea – Ao lado da rodovia, vale a paradinha para foto.

 

Dia 02: Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros : Canyons I e II e Cariocas.

Para visitar o parque temos que ir até São Jorge e pegar um trecho de terra, que nesta época do ano estava bem ruim por causa das chuvas, cheguei a perder um pneu do meu punto.

A entrada do parque é bem próxima a cidade, 400 m, e na chegada assistimos um vídeo sobre o parque e instruções de segurança para depois assinarmos o livro de visitas e escolher nosso trajeto. O parque tem duas trilhas distintas, e fizemos uma em cada dia, por serem trilhas bem grande.

Nossa primeira trilha foi: Canyons I e II e Cariocas.
No mês de março o Canyon I fica fechado, devido a chuvas e reprodução de uma ave típica.
A entrada do parque é de graça, e justamente por ser uma unidade de conservação, tem limite de entrada, então se for em temporada se programe para chegar cedo.
Trilha: 9,5 km – Ida e Volta – Cansativa, primeiro vamos no Canyons II, que nesta época do ano devido as chuvas estava com um volume de água bem grande e top de se ver, é emocionante só de lembrar o barulho das águas correndo com tamanha força.

DSC09036 (Copy)

Foto: Canyon II – Estava com um grande volume de água devido as chuvas do mês de março.

 DSC09042 (Copy)

Foto: Eu e meu amigo Luiz na parte de cima do Canyon.

Depois de vermos o Canyon pela parte de cima, descemos para nadar. Lá em baixo é possível pular de uma pedra, e quando pula você fica de frente para a cachoeira do Canyon, e esta imagem é incrível.

DSC09102 (Copy)

Foto: Pulando da pedra para nadar na parte de baixo do Canyon.

Depois do banho caminhamos para chegar na Cachoeira Cariocas, onde temos que descer e subir uma pedreira bem íngreme, e é a parte mais difícil. Quem não tem preparo físico sofre um pouco pra fazer esta trilha, mas vale muito a pena, o lugar é lindo.

DSC09126 (Copy)

 Foto: A caminho das Cariocas.

 DSC09131 (Copy)

 Foto: Cariocas visto de cima – Os pontos em vermelho são salva vidas. A segurança do parque chamou minha atenção.

DSC09143 (Copy)

Foto: Admirando a Cachoeira Carioca. Linda!

 

Dia 03: Vale da Lua e Raizama.

Saí de Alto Paraíso e fui novamente sentido São Jorge para conhecer  o Vale da Lua e Raizama.
Valor: R$ 10,00 – para cada uma – área particular.
Trilha: Curta e fácil em ambas. Só não foi fácil no dia pois peguei muita chuva.
Vale da Lua: linda formação rochosa, muito diferente que vale a pena ver. É possível banho nas suas piscinas naturais, desde que não chova, devido risco de trombas d água.

DSC09171 (Copy)

Foto: Chegando no vale da Lua, temos um mirante para uma bela paisagem.

DSC09173 (Copy)

Foto: Sempre é bom seguir as orientações…rs

DSC09181 (Copy)

Foto: Uma visão geral do Vale da Lua.

DSC09192 (Copy) 

Foto: Linda foto com a regra dos terços com a minha amiga Mariana, curtindo a paisagem lunar..rs

Vale da Lua (Copy)

Foto: Este lugar merece muitas foto – Vale da Lua.
Raizama: É próximo ao Vale da Lua e tem canyons e queda de água. Em época sem chuva é possível nadar. Também muito interessante, com trilha leve. Fui só para conhecer mesmo, pois estava chovendo muito e não tinha como nadar.

DSC09226 (Copy)

Foto: Chegando no raizama.

DSC09239 (Copy)

Foto: O show das águas no Raizama.

Raizama (Copy) 

Foto: Mais show de imagens na Raizama.

DSC09266 (Copy) 

Foto: Canyon no Raizama – O lugar estava fechado para banho devido o alto volume de chuva dos últimos dias.

Voltei um pouco mais cedo este dia, fiquei pela cidade, curti até o carnaval a noite, que não é muito movimentado, a cidade é feita mesmo pra curtir a natureza.

DSC08994 (Copy)

Foto: Próximo a pousada havia uma árvore com muitos tucanos, e consegui uma boa foto de um. Eles estão bem presentes na cidade.
Dia 04: Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros: Saltos e corredeiras.

 Voltei novamente para São Jorge, sim, podíamos ter ficado lá! rs.

Fomos para o Parque bem cedo, e fomos fazer a outra trilha. Não podemos ir embora da região sem ver o salto do rio preto, uma queda de 120 metros, muito linda, no meio do cerrado. É a imagem símbolo e sem dúvida a mais bonita da região.

Esse passeio é a trilha mais pesada, também uns 9 km ida e volta, com muita subida, achei a mais difícil do passeio.

DSC09304 (Copy)

Foto: Vista do Mirante, chegando ao Salto do Rio Preto.

cacheira 1 (Copy)

Foto: O majestoso salto do Rio Preto – Está lindo esta época do ano.

No Salto do Rio Preto não se pode nadar, só o admirar do mirante, e quando estamos de frente a uma paisagem daquela, todo cansaço vale a pena. Depois de ver o Salto do mirante, continuamos andando, agora em uma trilha um pouco complicada pelas pedras margeando o rio, e depois de muito exercício de pular e contornar pedras chegamos a  cachoeira do garimpo (80 m de altura), que é uma queda de água antes do Salto, onde é possível nadar, e fique tranquilo que tem até salva vidas.

DSC08778 (Copy)

Foto: A beleza da trilha.

DSC09282 (Copy)

Foto: Mais curiosidades da trilha.

 DSC09297 (Copy)

Foto: Mais belezas do cerrado goiano.

 DSC09320 (Copy)

Foto: Cachoeira do Garimpo, a cachoeira acima do Salto do Rio Preto, ótima para banho..

NÃO POSSO DEIXAR DE …

PROVAR: Obrigatoriamente não podemos deixar de passar no bar do Waldomiro, a caminho de São Jorge, e ainda na estrada de asfalto para experimentar a famosa Matula, prato típico da região composto de várias carnes desfiadas e feijão. Este estabelecimento já foi indicado até pelo guia 4 rodas.

NOTAS:

1- Errei em ter ficado só em Alto Paraíso: A Estrada de terra que liga alto paraíso a São Jorge estava bem ruim na época, e ainda mais com tanta chuva, perdi um pneu e meu carro voltou cheio de barulhos, a distância é de uns 30 km (terra).

2- Lado bom de ficar em Alto Paraíso, é que temos um pouco mais de estrutura, quando pensamos em restaurantes, bancos etc.

3- Precisa de Guias? Não, a não ser que queira saber mais sobre a história do local e interagir com o pessoal da região e ajudar este belo trabalho. O Parque é bem sinalizado e as fazendas particulares também. Não precisa se preocupar com o roteiro com antecedência, dá pra fazer por lá mesmo, no dia a dia, de acordo com clima e disposição pra caminhar.

4- Para visitar o parque é bom chegar cedo, para pegar lugar fácil de estacionar e também se for temporada tem limite de 500 pessoas por dia. O parque fecha pra entrada ao meio dia.

5- Da pra fazer o parque e outros passeios no mesmo dia?
O parque tem dois caminhos, que leva aproximadamente 5 horas cada um, ou seja, um por dia se dá pra fazer, e é muito cansativo fazer o parque e outro passeio fora dele no mesmo dia, mas é possível um bem fácil, na verdade depende do seu grau de cansaço.

6- Sobre o Parque: Muito bem sinalizado, e a equipe preparada para receber turistas. Antes de iniciar o passeio assistimos um vídeo orientativo sobre o parque de 5 minutos. Nas cachoeiras tem salva vidas, o que chamou a atenção pela preocupação do Parque com os turistas.

Outras pesquisas que pode te ajudar:

Sites oficiais

Prefeitura de Alto Paraíso: www.altoparaiso.go.gov.br

Guia da Chapada dos Veadeiros: www.chapadadosveadeiros.com

 Informações turísticas

Há o Centro de Atendimento ao Turista (av. Ari Valadão Filho, 1.100. Tel: 62 3446-1159) na região, onde se pode contratar guias e pedir informações.

 

 

Language »