Januária – MG

INFORMAÇÕES DE: Outubro de 2016.

ROTEIRO PARA: 2 dias.

TIPO DE VIAGEM: Fim de semana.

HOSPEDAGEM: Visitei a cidade em ocasiões diferentes, por isso 2 diferentes hotéis.

Hotel Rondônia (R$ 110,00/dia): Bem localizado, central em frente a praça Getúlio Vargas e com garagem.

Hotel Sesc (R$ 102,00/dia): Boa infra-estrutura. Estrutura de lazer para passar o dia com piscinas, quadras etc… mas um pouco mais afastado do centro da cidade.

SOBRE JANUÁRIA

Januária é um município do norte mineiro situado na região do médio São Francisco, ao lado esquerdo do rio. É uma cidade de médio porte com uma população de 68 Mil habitantes (IBGE/2014) muito desfrutada pelos mineiros nos tempos de calor, que a procuram para se refrescar nas águas do São Francisco.

Como já dito o principal atrativo da região é o rio, que em determinada época do ano quando suas águas baixam forma várias praias de areia branquinha, onde além de um bom banho, você pode curtir a praia tomando uma cervejinha e comendo uma porção de surubim.

Na cidade e região ainda há vários outros pontos turísticos naturais que valem a pena conhecer como as Moradeiras, Catulé e as cachoeiras do rio Pandeiros.

Mas quem se aventura por Januária, não se encanta só com sua natureza, mais também como seu contexto histórico e cultural e com seu povo extremamente gentil e hospitaleiro.

 Como chegar?

A maior cidade mais próxima é Montes Claros, de onde pegamos a BR-135. A distância entre as duas cidades é 168 km e o tempo estimado de viagem de carro fica entorno de 2 horas.

ROTEIRO

0 que fazer em Januária em um fim de semana?

Conheci Januária em dois finais de semana diferente e com objetivos diferentes. Na primeira vez, a intenção era curtir as praias da cidade no mês de agosto. Já na segunda fui conhecer o Rio Pandeiros e o parque nacional das Cavernas do Peruaçu, que fica relativamente próximo a cidade.

Aproveitando estas duas visitas, vou escrever sobre o que você pode fazer lá em um fim de semana.

 1- Praias

As belas praias de Januária se formam no meio do ano coincidindo com o período de férias escolares, onde turistas de cidades da região aproveitam para se refrescar nas águas do São Francisco.

Quem quiser conhecer as praias tem que se programar para ir na época certa, pois elas não ficam expostas o ano todo. Elas começam a aparecer em meados de julho, ficando no auge em agosto e não duram muito mais.

Quando se formam as praias é montada toda uma estrutura nas suas areias composta por barracas com música, peixe-frito e cerveja gelada.

Os espaços também são ótimos para práticas de esportes como bola e peteca.

A praia fica localiza na outra margem do Rio São Francisco (margem contraria a cidade), sendo a travessia feita a todo o momento por canoas e barcos a um preço justo, paguei R$5,00/pessoa a travessia. E se quiser, você pode esticar a travessia pagando um pouquinho a mais para o barqueiro e fazer um tour pelo São Francisco.

1

Foto: As travessias são feitas em barcos simples e são bem rápidas, não duram nem 5 minutos.

2

Foto: A praia formada no meio do São Francisco.

3

Foto: A toda hora tem barqueiros fazendo a travessia, não precisa se preocupar com a volta.

4-1

Foto: Um tour pelo São Francisco.

4

Foto: Chegando a praia no inicio da tarde, muita coisa para curtir.

5

Foto: Aviso e alerta nunca é demais.

6-1

Foto: O rio fica bem baixo esta época do ano, formando vários bancos de areia ao longo do rio.

6-2

Foto: Nesta foto na praia podemos ver o local de onde pegamos o barco, como podem observar a distância não é grande.

6

Foto: Ah esta porção de surubim é boa demais.

7

Foto: Nosso barqueiro, a cara do norte de minas.

2- Centro da Cidade

A praça Getúlio Vargas é o ponto central da cidade. Bem arborizada, a praça possui bancos, iluminação e uma fonte luminosa bem moderna ao centro. A praça é contornada por casas coloniais, lojas, bares, restaurantes e o antigo Hotel Rondônia, onde fiquei hospedado na primeira vez que fui.

Na praça a noite tem bastante movimento e você pode comer desde tapioca até a famosa capim e canela (como chamam o caldo de vaca atolada aqui), que é delicioso.

Outros pontos de interesse na cidade são o Mercado Municipal e algumas ruas históricas como: Rua Visconde de Ouro Preto bem atrás do hotel Viva Maria, onde há a Biblioteca Pública Municipal, o Centro de Artesanato da Região de Januária e várias casinhas antigas e coloridas.

Há também a casa da Memória, que é um espaço cultural que conta com uma pequena exposição de pinturas locais, uma biblioteca, um museu sobre a região e salas para cursos de música e de artesanato.

8

Foto: Monumento na Praça Getúlio Vargas.

3- Moradeira.

Às margens do Rio São Francisco, já do lado da margem que fica a cidade a poucos quilômetros do centro, fica um lugar chamado de Moradeiras. Neste lugar há para quem quer mais contato com a natureza uma pousada com um bar, que mesmo você não ficando hospedado pode usufruir do bar e passar a tarde.

Fui em um fim de tarde tomar uma cerveja e esperar o por do sol. O que incomodou foram as muriçocas que estavam atacando e não levei repelente, portanto fica a dica, mas o por do sol e a paisagem daqui foi especial e este dia fechei minha programação com chave de ouro.

Como o lugar é próximo a cidade, não custa passar por lá para conhecer.

9

Foto: Macaco prego de estimação na Moradeira.

10

Foto: A praia em frente a moradeira.

11

Foto: Mais rio São Francisco visto da Moradeira.

12

Foto: Esporte aquático tem muito por aqui.

13

Foto: Para acessar a margem do rio temos que descer por este caminho de pneu.

14

Foto: E lá chega o grande momento – o por do sol.

15

Foto: E Assim terminou meu primeiro dia em Januária, com um show de cores no céu.

4- Balneário do Catulé.

O Balneário do Catulé fica no município de Bonito de Minas, a 39 km de Januária, sendo o acesso pela BR 479. A rodovia esta boa, mas a estrada de terra tem trechos com muita areia e carros baixos podem atolar no seco se o motorista não for habilidoso.

Este balneário fica em uma corredeira do rio Catulê em meio à vegetação típica do cerrado, sendo uma área de lazer e entretenimento na região.

As águas cristalinas, límpidas e geladas do rio tornam o convite ao banho irrecusável. O local é equipado com palhoça, mesas e churrasqueiras de uso público.

Em relação a infra-estrutura do local é limitada, portanto para passar o dia recomenda-se levar alimentos e bebidas.

16

Foto: Acesso (volta) – Belas paisagens de sertão pelo caminho.

17

Foto: As águas geladas do Catulé.

18

Foto: Mais belas fotos da corredeira do Catulé.

19

Foto: Este é um lugar ótimo para crianças. Raso e tranquilo.

5- Rio Pandeiros

O Rio Pandeiros é um importante rio brasileiro, considerado um dos afluentes do Rio São Francisco e um dos berçários de peixes da região. O rio tem trechos bem rasos, o que torna possível atravessá-lo de um lado a outro. Durante o seu percurso, surgem diversas ilhotas e três cachoeiras.

As cachoeiras do rio pandeiros ficam a 50,6 km de Januária e a maior parte do trajeto é feita em estrada de terra, independente do caminho que escolha (há mais de um). As estradas estão em condições medianas, o que leva em torno de uma hora e meia de viagem. Vale ressaltar que o Caminho é pouco sinalizado.

Para quem esta na cidade, próximo a rodoviária há uma placa que indica o caminho mais comum, dai é só seguir as placas e ir perguntando nos vilarejos pelo caminho que chegará lá sem erro.

Chegando no rio pandeiros há um barzinho que tem pouca coisa de opção, como a turma que eu estava tinha levado praticamente tudo, nem procuramos nada no bar, mas quando precisei de uma água mineral não encontrei, então é bom levar tudo mesmo. Ah, cerveja (Antártica) tinha…rs.

Paramos o carro já na primeira cachoeira, a do balneário, com 6 metros, que é ótima para banho e quando eu fui estava bem rasa, dava para nadar tranquilo e sem perigo.

Acompanhando o rio pelo lado do balneário, caminhando por trás da mata e da cerca temos mais duas quedas de água, sendo a última a melhor de todas para banho. Como não há sinalização é bom perguntar no bar onde se inicia a trilha par as demais cachoeiras, é fácil.

Sobre a Trilha para as Cachoeiras do Buriti e da Vila:

Esta ficha técnica é em relação as duas cachoeiras após a cachoeira do balneário, pois na mesma trilha você tem acesso primeiro para a cachoeira do Buriti, a 400 metros, e 500 metros depois você chega na Cachoeira da Vila, a melhor e mais tranquila para um banho.

januaria-trilha

20

Foto: A cachoeira do Balneário do Rio Pandeiros.

21

Foto: Turminha “farofando”… bão demais!

22

Foto: Oh vida boa!! Uma massagem de graça.

23-1

Foto: Água límpida com cardumes de peixes.

23

Foto: A trilha para o acesso para a cachoeira do Buriti.

24

Foto: A segunda queda de água do rio pandeiros – Cachoeira do Buriti.

25

Foto: Show de lugar.

26

Foto: A terceira cachoeira, chamam de Cachoeira da Vila e esta a 500 metros da Cachoeira do Buriti.

27

Foto: Nadar com chuva! Tem coisa melhor???

28

Foto: Dia inesquecível em Januária.

A viagem continua…

Próximo Relato: Cavernas do Peruaçu.

NÃO POSSO DEIXAR DE …

PROVAR:

1- Cachaça Claudionor: Típica da cidade.

2- Carne de sol, assim como em todo norte de Minas é especial aqui também.

3- Capim e Canela (Vaca atolada para muitos) nas barraquinhas da praça Getúlio Vargas.

4- Pequi, este fruto do cerrado é muito tradicional aqui, sendo bastante utilizado na culinária local, com variados pratos como: arroz com pequi, frango com pequi e mandioca, farofa de pequi e até o fruto cozido, podendo acrescentar sal ou açúcar. Do pequi ainda se extrai o óleo e a castanha, que podem ser facilmente encontrados no Mercado Municipal. Época do Pequi e fim de ano.

5- Porção de Surubim na praia da cidade.

Lições aprendidas:

1-  Levar repelente.

2-  Levar comida e bebida para o Rio Pandeiros e Catulé.

3-  Vá com tanque cheio para o rio pandeiros e Catulé que é longe e não tem posto no caminho.

Deixe uma mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estesHTMLtags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Language »