Ouro Preto – MG

INFORMAÇÕES DE: Maio de 2015.

ROTEIRO PARA: 1 dia.

TIPO DE VIAGEM: Viagem em feriado prolongado.

HOSPEDAGEM: Por ser muito turística você encontra na cidade hotéis e pousadas para todos os gostos e bolsos.

Aproveite e reserve seu hotel aqui com o Quero Mochilar, você não paga nada a mais por isso e ajuda a manter o blog no ar.

SOBRE OURO PRETO

Uma das mais belas das cidades históricas do estado, Ouro Preto, antiga Vila Rica, é fascinante e não pode em hipótese alguma ficar de fora da sua lista das cidades de Minas Gerais.

Fundada por bandeirantes através da fusão de diversos arraiais, em 1711, Ouro Preto foi o primeiro sítio brasileiro considerado Patrimônio Mundial da UNESCO, título que recebeu em 1980.

Localizada em uma das principais áreas do ciclo do ouro, daqui foram enviadas a Portugal 800 toneladas de ouro no século XVIII, isso oficialmente. Nesta época o município chegou a ser a cidade mais populosa da América Latina, contando com cerca de 40 mil pessoas em 1730.

Esta cidade guarda muito, não só da história de Minas, mas do país. Ouro Preto foi palco de grandes acontecimentos, com conseqüências que nos ajudam a entender os dias de hoje, e ainda abrigou pessoas de grande importância na nossa história como Aleijadinho e Tiradentes.

17.9-Praca tiradentes - frente preto

Como chegar?

Os aeroportos mais próximos da cidade são os de Belo Horizonte:

  • Confins – 140 km de distância.
  • Pampulha: e esta a 109 km.

O Acesso até Ouro Preto não é complicado e é bem sinalizado, só temos que evitar pegar a pista cansado e tarde da noite, pois há muitas curvas e a viagem dura em média 1h40, principalmente por causa da impossibilidade de ultrapassagem em vários pontos.

O caminho é todo pela MG-356, passando por Itabirito.

Mapa – Aeroportos de Belo Horizonte para Ouro Preto.

Além de carro, é fácil encontrar informações para chegar de ônibus na própria rodoviária de Belo Horizonte e devido a proximidade várias são as combinações de horários possíveis. A passagem esta em torno de R$ 35,00 e a principal empresa é a Viação Pássaro Verde.

Há também opções de bate e volta de BH até mesmo com Táxi e Uber, por R$ 250 – $300 (para dividir em até 4 pessoas).

Quando ir?

Como a principal atração da cidade é a sua história, Ouro Preto é visitada durante o ano todo, principalmente nos finais de semanas por pessoas da capital e cidades próximas, e muito procurada em feriados prolongados e férias escolares, e caso seu objetivo seja fugir de preços altos e muvuca evite os meses de dezembro, janeiro, fevereiro e julho.

O feriado que mais atraem os turista e não é hora de conhecer os atrativos históricos da cidade é o carnaval, que é muito tradicional e o maior do estado. Também outras duas semana muito festivas e que lotam a cidade são a Semana Santa e o Corpus Cristhi, pois em Minas as festividades religiosas ainda são muito presentes.

Outro fator que é bom levar em consideração para decidir quando ir é o clima.

Esta região tem as estações de chuva e seca bem definidas e por estar rodeada de montanhas tem temperaturas agradáveis durante o ano todo.

Entre os meses de outubro e março, o clima é mais quente e úmido, com maior incidência de chuvas.

É bom saber que à noite sempre faz frio, portanto agasalho é item obrigatório.

De maneira geral:

– Meses mais quentes – Setembro a abril.

– Meses mais frios – Junho a agosto.

– Meses mais chuvosos – Novembro a março.

– Meses mais secos – Maio a agosto.

Segurança.    

Visitar Ouro Preto é um sobe e desce sem fim de ladeiras, e uma das coisas que devemos ter cuidado é em relação as pedras das ruas, principalmente se estiverem molhadas, pois temos que redobrar nossa atenção para não escorregarmos e acabar com o passeio.

ROTEIRO

Planejamento.

Já era madrugada, eu estava exausto da viagem, que para ajudar nos momentos finais me testava com tantas curvas. Forçando para resistir do cansado logo fui vendo luzes e me animei: Ufa!! Ouro Preto!! A bela cidade estava logo alí, só mais um “tiquim” e estaria em uma cama.

No dia seguinte, acordei cedo e corri para curtir o dia, já havia pesquisado alguns lugares que gostaria de rever, pois 15 anos atrás estive na cidade e planejado ir em outros que seriam novidade.

Já moro em Minas, mas me senti mais ainda no estado quando senti aquele cheiro delicioso de um bom café preto e uma mesa repleta de queijos, pão de queijo e goiabada, tudo muito animador para começar o dia.

pao de queijo

Foto: Café da manhã mais mineiro que isso impossível.    

O que Fazer em Ouro Preto?

Planejei conhecer a cidade em um feriado prolongado, com 2 dias pela frente, já sabia que me dedicaria um a Mariana, e o outro a cidade histórica mais famosa de Minas Gerais.

Se você se planejar bem e acordar cedo, poderá fazer este roteiro todo em um único dia.

Importante: “Não seja preguiçoso!” Curta esta cidade a pé, o subir e descer de ladeiras e admirar os detalhes desta cidade histórica caminhando por suas ruas é sem dúvida um dos passeios mais interessantes que há, e o melhor de tudo: É de graça e faz bem pra saúde!

Abaixo esta o mapa com o meu planejamento.

Mapa: Atrações Turísticas em Ouro Preto.

Em azul: As atrações que você pode fazer a pé.

Em laranja: As atrações mais afastadas que é bom ir de carro.

Café tomado, mochilas prontas, segui a pé pelas ruas rumo a Mina do Chico Rei.

1- Mina do Chico Rei.

Horário de funcionamento: 8h às 17h30, diariamente

Entrada: R$ 20,00 (não tem meia entrada).

Duração: Meia hora.       

Acho que você pensou como eu, que uma Mina seria algo afastado da cidade e difícil de ir a pé, mas esta não é assim. A Mina do Chico Rei fica dentro de Ouro Preto, a 500 m da praça Tiradentes, em torno de 7 minutos de caminhada. Só que caminhada com ladeiras, ok?

Quando estávamos nos aproximando da atração fomos abordados por um guia da própria Mina, que nos conduziu até o local, ficamos desconfiado, mas logo percebemos que estes guias ficam nas ruas abordando turistas para conhecer a atração e não tinha problema.

Um pouco sobre Chico Rei…

Diz a lenda que Chico Rei (Francisco foi o nome que recebeu no batismo) se chamava Galanga e foi rei em uma tribo no Congo. Capturado com a sua família e seu povo por portugueses nos anos de 1730, falam que sua esposa e filha foram jogadas ao mar por estarem fracas e quem sobreviveu a esta travessia foi comprado pelo Major Augusto, o dono da Mina da Encardideira (Atual mina de Chico Rei).

Dizem que Chico escondia ouro entre os cabelos e, assim, foi juntando pedras para a liberdade dele e de seus parentes e amigos, até quando Major Augusto, doente e já no final da vida, vendeu a mina para Chico.

Sua existência é muito controversa até hoje, pois não há documentos oficiais que comprovem ela.

Um pouco sobre a Mina…

1- Mina Chico Rei

Foto: Entrada da Mina.

No Brasil colonial esta foi uma das minas de onde partiram muitas das nossas riquezas para Portugal.

Inicialmente esta mina ficou conhecida como Encardideira, depois veio levar o nome de Chico Rei.

Um fato interessante é que esta Mina ficou escondida por anos após sua desativação, até que nos anos 50 a família de dona Mariazinha adquiriu um imóvel, e em seu quintal estava a entrada da mina, mas até então todos desconheciam, até quando um dos seus filhos que brincava com uma bola viu o brinquedo desaparecer em um buraco. Surpresos ao perceber que o tal buraco parecia a entrada de uma galeria, resolveram pesquisar e descobriram que se tratava da famosa Mina da Encardideira.

Hoje, além da família usar o local para visitações turísticas a mina também é objeto de estudos.

Após entender a história fomos conhecer o interior da Mina.

A visita é guiada e rápida, em torno de meia hora, apesar que estava no dia só nós dois na Mina e foi um tour bem produtivo e muitas coisas foram aprendidas.

O Interior da Mina é todo iluminado por lâmpadas e bem estreito, muitas vezes temos que abaixar para passar de uma galeria para outra (cuidado com a cabeça, mesmo com o capacete… rs).

3-dentro da mina

Foto: Interior da mina – Capacete é item obrigatório.

A área de visitação é bem pequena, nela vemos rochas de cristais e marcações da época da exploração.

Aprendemos muito neste dia, e uma das coisas que mais gostei foi de saber de onde vem alguns ditados como “encher o bucho” e “feito nas coxas”.

Os buracos nas paredes das minas são os buchos, e os escravos tinham que encher eles de ouro, e depois os responsáveis vinham coletando o ouro dos buchos, o importante e mais valorizado escravo era aquele que sempre deixava o bucho cheio.

Outro Ditado que vem desta época é o “Fazer nas coxas”, que vem do costume daquela época de fazer telhas usando de molde as coxas dos escravos.

2- Quero mochilar

Foto: Interior da Mina.

2.1- Quero Mochilar

Foto: Há muita infiltração e umidade lá dentro.

Depois da Mina subimos ladeira acima rumo a Igreja São Francisco de Assis.

2- Igreja São Francisco de Assis

Horário de funcionamento: Terça a Domingo, de 08h30 á 12h e de 13h30 á 17h. Missas aos domingo, às 19h.

Entrada: R$ 10,00 (Estudante paga meia).

Duração: 15 a 20 minutos.

Um pouco sobre a Igreja São Francisco de Assis

Construída na segunda metade do século XVIII esta é uma das principais igrejas da cidade, toda no estilo barroco e rococó mineiro e uma das 7 maravilhas de origem portuguesa, e pra deixá-la ainda mais interessante há nela acervos dos artistas Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho e Manoel da costa Ataíde, quem fez as pinturas do teto.

6- nos sao franscisco

Foto: Em frente a Igreja São Francisco de Assis.

5- Frente igreja sao francisco

Foto: Aleijadinho era Maçon, e muita de suas obras nas igrejas remetem a símbolos da maçonaria, como na entrada da igreja podemos ver, os três anjos bochechudos e de cabelos caracolados, em disposição triangular.

Uma curiosidade: Nas igrejas os homens ficavam separados das mulheres, eles na frente e um degrau abaixo vinham elas atrás. As pessoas eram enterradas na igreja, sendo que os mais ricos eram enterrados mais próximos ao altar. Cada família, para mostrar importância, construía sua Própria igreja, por isso há tantas nas cidades históricas.

Na porta da Igreja fomos abordados por um guia local credenciado, que começou a dar explicações de tudo de um modo tão interessante, que contratamos seu trabalho por 4 horas por R$ 78,00 e foi muito bom, ele organizou nosso roteiro, explicou muita coisa e nos levou em lugares que não iríamos se estivéssemos sozinhos.

Os valores de guia geralmente são tabelados, e são preços justos. Existem os guias treinados e oficiais da cidade. Peça a identificação e procure por estes.

Antes de partir com o guia aproveitamos para conhecer a feira de artesanato que esta logo a frente da igreja.

3- Feirinha de artesanato.

Funcionamento: Das 9h às 19h

Em frente a igreja de São Francisco de Assis esta a melhor feira de artesanato em pedra sabão da cidade. A feira do Largo do Coimbra é o melhor lugar para encontrar peças que representam a cidade.  Tudo é muito lindo aqui!

4- Mirante do Morro Sebastião.

Nosso primeiro pedido para o guia foi ir a um lugar que tivéssemos uma bela vista para a cidade. Pegamos nosso carro , que estava próximo e fomos para este morro pouco disputado e com maiores chances de estar vazio.

Chegar lá não é tão simples e ainda para ajudar não há sinalização, eu mesmo não sei nem te orientar para ir até lá, pois passa por várias ruas estreitas e lá é meio difícil de estacionar, sem o guia não teríamos chego.

Escondido, caminho sofrido, mas o visual compensa tudo.

8- nos mirante

Foto: Vista do mirante, com as principais atrações de Ouro Preto ao fundo.

Deste mirante conseguimos admirar a beleza de Ouro Preto, com visão privilegiada para praça Tiradentes, Igreja são Francisco entre outras, uma panorâmica sem igual desta encantadora cidade.

7- vista mirante sao sebastiao

Foto: A esquerda a Igreja São Francisco e em frente a ela a feirinha, e a direita a Praça Tiradentes.

9- Praca tiradentes - Mirante

Foto: A praça Tiradentes vista do mirante.

10- Sao Franscisco - Mirente

Foto: Igreja São Francisco e a feirinha vista do Mirante.

Daqui, seguimos para um tour nas principais igrejas, e neste momento seguimos de carro, pois além de vir no mirante iríamos em igrejas mais afastadas.

5- Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Pretos.

Horário de funcionamento: Terça a domingo, de 8h30 á 11h45 e de 13h30 á 17h.

Entrada: Não há entrada paga, e se você quer conhecê-la por dentro tem que ver os horários das missas, pois dificilmente esta aberta.

Duração: 10 minutos.            

Um pouco sobre a Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Pretos…

Felizmente chegamos e estava aberta, foi uma visita super rápida, mas por que vale a pena conhecê-la, mesmo que por fora.

Então, a história é o seguinte: Como todos os escravos eram obrigados a serem católicos e não podiam frequentar as outras igrejas, eles construíram sua própria.

12- escravos escadas

Foto: Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Pretos.

Para entrar na igreja há 142 degraus, que é uma homenagem aos 142 escravos que a construíram.

14- nos na escada 13- Igreja dos escravos

Foto: Em frente aos 142 degraus.

Aqui, após as missas eles fechavam suas portas e realizavam seus rituais tradicionais, mantendo suas raízes.

No alto da igreja há uma estátua construída por Aleijadinho em homenagem a sua mãe, e dado de presente a igreja, um acervo de alto valor cultural.

15- Mae do alejadinho

Foto: Estátua de Aleijadinho no alto da Igreja.

6- Capela Padre Faria.

Horário de funcionamento: Terça a domingo, de 8h30 á 16h30. O horário não é regularmente cumprido.

Entrada: Não precisa pagar entrada, desde que consiga pegá-la aberta…rs.

Duração: 10 minutos.     

Infelizmente chegamos e nos deparamos com as portas fechadas, mas valeu conhecê-la por fora e escutar as explicações do guia.

Esta é uma pequena igreja de fachada simples em meio a casas populares, mas não se engane com isso, pois em seu interior esconde-se um rico acervo, onde o altar é em estilo barroco e o teto, uma bela pintura.

16- Primeira Igreja Ouro Preto

Foto: A primeira igreja de Ouro Preto, poucos a conhecem.

Estima-se que a capela foi construída em meados do século XVIII e seu nome remonta ao padre que foi capelão da expedição que fundou Ouro Preto e, nos primeiros anos do século XVIII, ergueu uma ermida em homenagem a Nossa Senhora do Carmo no local.

Mesmo sem muita beleza externa, em uma cidade onde as principais atrações são as igrejas não poderia deixar de fora do roteiro a primeira delas, não é?

17- Muros de Ouro

Foto: Do lado de fora os muros nos lembram o quanto histórica é Ouro Preto.

Tour pelas Igrejas afastadas concluído bora para o centro da cidade, onde todos estes próximos passeios podem ser feitos a pé.

7- Igreja Nossa Senhora do Pilar.

Horário de funcionamento:Terça a domingo, de 9h ás 10h45 e de 12h ás 16h45.

Entrada: R$ 10,00 (Estudante paga meia).

Dica: O ingresso dá um desconto de 10% em um restaurante próximo, que vale a pena, é muito bom e barato.

Duração: 20 – 30 minutos.         

Um pouco sobre a Igreja Nossa Senhora do Pilar..

Erguida na primeira metade do século XVIII, esta igreja substituiu a antiga capelinha construída em madeira e taipa. Logo devido a riqueza e beleza a nova igreja ganhou reputação de templo oficial, por ser local de cerimônia de posses de governadores e também festividades governamentais.

Hoje a Igreja de Nossa Senhora do Pilar é uma das mais belas e procuradas igrejas de Ouro Preto e é a segunda igreja mais rica em Ouro do país, com 432 kg da pedra.

Esta igreja além de bela, abriga um Museu de Arte Sacra bem interessante que já esta incluso no ingresso de entrada. Neste museu é possível observar objetos e peças de arte sacra que fizeram parte da história de Ouro Preto, mesmo com um acervo pequeno é bem interessante.

Depois desta visita, por indicação do guia almoçamos em um restaurante com muita comida mineira. Ele era bom e barato e bem ao lado, em torno de R$ 35,00/kg.

11- Pilar

Foto: Infelizmente fotos só do lado de fora.

Daqui para frente, pegamos informações e orientações com o guía e fizemos o resto do passeio por conta própria.

8- Praça Tiradentes.

Um pouco sobre a Praça…

Esta é a praça símbolo e a mais famosa da cidade. Localizada no centro, esta foi a praça onde a cabeça do mártir da independência, Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes foi exposta (1792) na então chamada Vila Rica.

18- Praca tiradentes - frente

Foto: A bela Praça e o Museu ao fundo.

Hoje no exato local onde a cabeça de Tiradentes foi exposta há um monumento para nos lembrar desta fato histórico tão importante para o nosso país.

19- Tiradentes

Foto: Monumento erguido onde foi exposta a cabeça de Tiradentes.

Ao redor desta praça há dois imponentes prédios: o Museu da Inconfidência (antiga Casa da Câmara e Cadeia – 1784) e o Museu de Ciência e Técnica (antigo Palácio dos Governadores).

Sem dúvida este é um dos melhores lugares para curtir a cidade, e ao redor e em sua proximidade há vários bares, restaurantes e lojas de artesanatos.

20 - Minha na praca

Foto: Foto praxe não pode faltar.

Explore-a com calma, e aproveite. Todas as noite eu ia andar por ela para beber meu chopp e comer as coisas gostosas de Minas Gerais.

9- Museu da Inconfidência

Horário de funcionamento: Terça a domingo, das 10h às 18h

Entrada:  R$ 10,00 reais (estudante paga meia).

Duração: 1 hora.

Um pouco sobre o Museu da Inconfidência…

Sem dúvida não podemos conhecer Ouro Preto e não ir neste Museu e conhecer a história dos inconfidentes mineiros e do mais famoso deles, o Tiradentes.

A arquitetura deste Museu é o símbolo da cidade. Este é um espaço todo dedicado à história da cidade, especialmente ao período que marcou o processo de independência do Brasil.

Originalmente aqui funcionou a Casa de Câmara e Cadeia de Vila Rica, e foi virar museu somente quando, a pedido do então presidente Getúlio Vargas, os restos mortais de personagens que participaram da Inconfidência Mineira foram repatriados da África, pra onde eles foram exilados e foram aqui colocados.

Conhecer este museu é encontrar a historia do nosso país e entender a vida social, política e artista daquela época, através de belos objetos, mobílias, vestuário etc…

17.9-Praca tiradentes - frente preto

Foto: O Museu da Inconfidência.

Muitos indicam começar a visita a cidade por aqui, e eu mesmo não tendo feito isso acho pertinente.

10- Casa dos Contos

Horário de Funcionamento: Segunda, das 14h às 18h; Terça a sábado, das 10h às 17h; Domingos e feriados, das 10h às 15h.

Entrada: Gratuita.

Duração: 40 minutos eu recomendo.

Um pouco sobre a Casa dos Contos…

22- Arquitetura

Foto: O Charme das ruas de Ouro Preto pelo caminho da Casa dos Contos.

Este é outro lugar que merece ser conhecido na cidade.

Bem localizada, aqui no fim do século XVIII serviu até de refúgio de inconfidentes e, mais tarde, local de prisão para eles.

Levou este nome quando a casa foi destinada para ser a sede da Administração e Contabilidade Pública da Capitania de Minas Gerais, passando então a sediar órgãos relacionados a questões financeiras e orçamentárias.

24.1- Pedra ouro preto

Foto: Esta é a pedra que dá nome a cidade. Toda preta com várias pepitas de ouro. Show, né?

Hoje, este grande sobrado barroco funciona como um museu com exposição de objetos e móveis de época e uma senzala, que é parte mais interessante.

Não deixe de conhecê-la, para mim é o lugar mais interessante e que vale a visita.

Lá você ira ver instrumentos usados de castigo na época da escravidão.

24- sensala

Foto: Sabe o que é isso? Uma latrinas (tipo privada), inacreditável, mas as latrinas da casa grande eram ligadas a cozinha dos escravos. Então o que você fazia lá, caia na cozinha deles, triste, não?

Nos fundos do Museu há um belo bosque, chamado de horto dos contos.

11- Igreja Nossa Senhora do Carmo.

Horário de Funcionamento: Terça a domingo, das 8h30 às 11 e das 13h às 17h.
Missas aos domingos às 8h30

Entrada: Gratuita.

Um pouco sobre a Igreja Nossa Senhora do Carmo…

Bem ao lado do Museu da Inconfidência, esta a Igreja Nossa Senhora do Carmo, um lugar de onde temos uma das mais belas vistas da cidade. Dizem que o por do sol aqui também é incrível, mas no dia que estive o tempo não colaborou, e fiquei devendo essa. Por isso, faça deixe-a por último.

Construída em 1772, esta bela igreja foi um Projeto de Manuel Francisco Lisboa, que foi posteriormente modificado por seu filho Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho.

4- Igreja atras do Museu

Foto: A bela igreja Nossa Senhora do Carmo.

O destaque da igreja são suas torres, que possuem um coroamento em forma de sino arrematado por pequena pirâmide em obelisco.

Ao lado da Igreja esta a casa do Noviciado, onde Aleijadinho viveu seus últimos dias, hoje neste lugar existe o Museu do Oratório. Também anexo à Igreja há um cemitério.

E DAÍ, QUANTO FICOU A BRINCADEIRA??

Orçamento para o dia: R$ 413,00 / dia.

Hotel: R$ 150,00.

Entradas nas atrações acima: R$ 50,00.

Guia: R$ 78,00.

Almoço: R$ 15,00.

Jantar e lazer: R$ 70,00.

Lembrancinhas e doces: R$ 50,00.

Gasto com Gasolina na viagem de Ida e Volta de Montes Claros: Aproximadamente R$ 245,00.

NÃO POSSO DEIXAR DE PROVAR…

Nos dois dias que aqui ficamos fomos em um lugar no inicio da Praça Tiradentes chamado Chopp real, que é um pouco salgada os preços, mas tudo muito bom e de qualidade, como estava frio, uma vaca atolada caiu perfeitamente, outro caldo típico bom de se provar é o Bambá de couve.

26- Bamba

Foto: Bamba de couve – Deliciosa e combina demais com o frio – Típico da cidade.

27- vaca atolada

Foto: O caldo Vaca Atolada – Sou apaixonado por este caldo…rs.

Resumão do Quero Mochilar pronto para imprimir -> Resumão Ouro Preto

A viagem continua…

Próximo Relato: Mariana – MG .

Recomendo: Diamantina – MG.

Newsletter: Assine nossa newsletter na caixinha ai ao lado, assim você receberá notificação em primeira mão de todos os posts publicados pelo Quero Mochilar, e ainda terá acesso a cupons de desconto para nossos produtos.

LIÇÕES APRENDIDAS:

1- Os preços que relatei são em feriados, dias normais fora de temporada pode ser menor.

2- No interior das igrejas não podem fotografar, para preservar as pinturas e suas belezas. Sendo liberadas somente em dias de casamentos e formaturas.

3- Vá com roupas confortáveis para subir e descer bastante ladeiras.

4- Voltagem: 110V.

 QUEM PODE TE AJUDAR?

Muito mais história e informações no site: http://www.ouropreto.com.br

  1. nossa, falei esses dias que queria ir pra ouro preto e vem você com esse post ahahahah… ADOREI! super detalhadinho, vou vltar aqui quando eu for.

  2. Como não amar Minas né?.. estava justamente pensando sobre isso, em montar um roteiro, sou apaixonada por cidades históricas , um charme essas igrejinhas. Adorei as dicas, os valores também rs… nada absurdo! .. Vou me programar para ir em breve. Obrigada pelas dicas abraços

  3. Ana says:

    Cidade linda, histórica e um friozinho pra dar aquele charme a mais! Ótimo roteiro e dicas!

  4. Mais um excelente post. Essa é uma das cidades de Minas que estão na listinha para conhecer urgentemente! Belas fotos, super bem ilustrado. Adorei a visita à mina, conhecer mais sobre o motivo do nome da cidade (adorei!) e, é claro, deliciar com os pratos típicos!

  5. Amei esse roteiro em Ouro Preto! Definitivamente está na minha lista, assim como várias outras cidades de Minas. Já salvei aqui pq tem mta info importante, obrigada!

  6. Nunca fui à MG, sei que tem muitos lugares lindos… Adorei saber mais de Ouro Preto =) Quanta coisa legal para fazer por lá! Obrigada por compartilhar com a gente…

  7. Ahhh, eu amo Ouro Preto! Mas só visitei a cidade quando era adolescente e com meus pais. Achei o artigo que vai me ajudar muito na trip quero fazer por Mariana, Ouro Preto e as cidadezinhas próximas. Valeu demais!!!

Deixe uma mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estesHTMLtags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Language »