Santarém (De Barco) – PA

INFORMAÇÕES DE: Julho de 2015.

ROTEIRO PARA: 2 dia.

TIPO DE VIAGEM: Mochilão de férias norte do Brasil – Parte IV.

HOSPEDAGEM: Nas redes do barco Ana Beatriz V e Hotel Encontro das Águas em Santarém: Hotel ótimo, novo e excelente café da manhã e custo benefício (R$ 115,00/dia).

SOBRE A VIAGEM DE BARCO DE MANAUS A SANTARÉM.

Devido a falta de estrutura viária no norte do país, os rios são os principais e mais tradicionais meio de transporte da população da Amazônia, algumas viagens chegam a durar até 5 dias, como é o caso de Manaus a Belém, isso por que a viagem vai a favor da corrente, contra corrente este tempo aumenta ainda mais.

Minha felicidade não seria completa se não fizesse parte do meu trajeto de viagem este meio de transporte tão tradicional, uma viagem de barco dormindo em rede no meio da população local, nada turístico e confortável, mas muito interessante, sério, me senti num cruzeiro (rs).

Existem várias empresas de barco que fazem este trajeto, mas cada dia da semana sai uma específica, então, se fora escolher a empresa que quer ir, melhor se programar, não me programei e peguei o Barco Ana Beatriz V, dei sorte, pois dizem que é um dos melhores além de ser um barco bem grande, estruturado e aparentemente bem seguro.

A viagem até Santarém no Pará partindo de Manaus são aproximadamente 1.000 km e 30 horas só de deslocamento. A viagem começa ao 12h00, mas recomendo chegar cedo (8h00-08h30min) quando inicia o embarque para garantir um bom lugar.
Este barco é bem grande e tem 4 andares. Há de tudo lá dentro: um andar fechado e com ar condicionado, banheiros (não dá pra encarar um banho rs), bar tocando “brega”, restaurante, suítes (para quem quer mais conforto) e até um cineminha, dá pra crer? Rs.

Em relação a valores por pessoa:

1- Redes: R$ 120,00 (Área aberta ou fechada com ar – sua escolha).

2- Camarote (Cabines): R$ 500,00 – Quartos com camas.

ROTEIRO

Dia 08: Viagem de Barco.

Acordei cedo, peguei um Taxi até o barco e cheguei as 7h30min, bem cedo, nem precisava tanto, mas como estava preocupado em pegar um bom lugar madruguei..rs.

1

Foto: Barco Ana Beatriz V – Tido como um dos melhores.

Pensando no calor infernal escolhi ficar no andar do meio que era fechado e tinha ar condicionado, mas como toda escolha tem vantagens e desvantagens, pude observar:

Vantagens do andar fechado e com ar: Proteção do tempo: vento, chuva e frio, principalmente a noite, menos insetos, e proteção do sol, independe do lado que escolha.

Desvantagens: Hora do almoço e janta, todo mundo abre o marmitex e fica um cheiro muito forte. Tem bem mais crianças e conseqüentemente gritaria e choro.

Quando cheguei já peguei um lugar no centro, seguindo os nativos e peguei amizade com a dona Ruty, que logo me viu perdido tentando amarrar minha rede e me ajudou com o nó e a regular a altura, valeu a pena para ela também, pois no fim da viagem doei a rede e ela ficou toda faceira..rs.

2

Foto: Minha rede já armada. Observem as cordinhas que temos que levar para amará-las.

Como cheguei cedo e o barco demora para sair, fiquei “mareado” com o balanço e comecei a ficar um pouco zonzo e enjoado. Isso só aconteceu antes de começar a viagem, durante a viagem foi tranqüilo.

Quando a viagem começou aproveitei também para explorar o barco e conhecer a estrutura: Seu bar/restaurante, banheiros, outros andares etc…

4

Foto: O emaranhado de redes. Rede é tão cultural no norte que até em hotéis há lugares para pendurá-las, caso prefira ela a cama.

5

Foto: As  malas por todos os lados.

7

Foto: A parte de traz do barco com as pias.

8

Foto: Em frente as pias há um grande espelho.

9

Foto: Os banheiros.

10

Foto: O banheiro, como podem observar o chuveiro é quase em cima da privada, já deu ara imaginar a melequeira, né?

Depois de conhecer o barco fui para a parte superior e fiquei por lá o dia todo até o por do sol, e fui contemplado por um final de dia memorável no rio amazonas.

12

Foto: Só admirando o imenso rio Amazonas.

b3

Foto: Cotidiano no rio.

b2

Foto: Belas paisagens o caminho todo.

b1

Foto: Como vivem aqui???

b

Foto: Mais belas paisagens.

b6

Foto: Floresta inundada e uma casa perdida.

b5

Foto: As flores vermelhas chamam a atenção.

b4

Foto: Mais uma gigante amazônica.

c

Foto: Por do sol no rio Amazonas.

c7

Foto: Show de cores no fim de mais um dia.

c6

Foto: Me sentindo em um cruzeiro 5 estrelas…rs

c2-1

Foto: Por do sol especial, bela experiência para enriquecer minha memória.

O banho neste dia foi de lencinho umedecido e a janta um cup noodles, que vende no restaurante do barco que é bem fraco de opção, por isso recomendo levar lanche.

Este primeira noite dormi bem grudado nas malas, pois dizem que os furtos ocorrem na maioria das vezes a noite, tem até história dos piratas que amarram os barquinhos no barco, entram e saqueiam as malas.

Dia 09: Viagem de Barco e Santarém

Nem vi o dia nascer, acordei e estava em Parintins, fui na janela para observar o porto da cidade e logo partimos.

d2

Foto: O cotidiano no porto de Parintins.

Comemos nossas compras de café da manhã, mas se não trouxe nada no barco há como comprar seu café. Também em cada parada entram pessoas vendendo de tudo de Marmitex a salgados, preferi não arriscar, pois não queria correr o risco de usar o banheiro para o número 2.

Neste trajeto o barco pelo Rio Amazonas passamos por : Itacoatiara (AM), Parintins (AM), Juruti (AM), Óbidos (PA).

Nos embarques em cada cidade fiquei só observando e vi que vai de tudo aqui dentro, de tudo mesmo: cachorros, carros, mercadorias diversas, mudanças completas e etc.

d

Foto: Juruti – AM.

d1

Foto: Com certeza enfeite para algum festival. Bem interessante, não?

Em uma das paradas, na cidade de Óbidos a Polícia Federal entra no barco com cães e pedem documentos e conferem as malas uma a uma em busca de drogas, isso atrasa um com tempo a viagem e temos que ficar do lado da mala aguardando a vez.

e

Foto: Chegando em Óbidos, já no Pará.

e1

Foto: Pescador chegando no porto de Óbidos.

e2

Foto: Haviam uns 3 botos no porto de Óbidos, e foi a atração para mim.

Após as 30 horas cheguei em Santarém, as 18h00, quase na hora do por do sol, e já vemos aqui mais um encontro das águas entre os Rios Amazonas e Tapajós e foi um alivio, pois sabia que agora eu ia tomar banho quente.

e3

Foto: O Sol se preparando para se por em Santarém.

e4

Foto: Santarém vista do rio.

e5

Foto: Mais um encontro das águas, um passeio que não precisei fazer…rs. 

e6

Foto: Encontro rio Amazonas e Tapajós.

e7

Foto: Até que enfim em Santarém, feliz da vida com o futuro banho. 

No desembarque pegamos um taxi por R$ 20,00 até nosso hotel, Encontro das Águas, que foi uma bela surpresa. Como íamos chegar tarde este dia e cansados quis pernoitar em Santarém, e penso que foi ma ótima pedida.

Inicialmente pensei em passar direto por Santarém e ir para Alter, nem pernoitar na cidade, mas vale a pena passar um dia lá sim. Santarém, hoje a segunda maior cidade do Pará, tem uma orla bem organizada e interessante, com bares e restaurantes bem legais, onde podemos encontrar as comidas típicas,  escutar uma música ao vivo e passar um bom momento.

f

Foto: Vista do hotel para a Orla.

f1

Foto: Porto de Santarém da varanda do Hotel.

f4

Foto: E assim se encerra mais um dia.

Sai a pé mesmo a noite andando pela orla, andei até encontrar um deck que adentrava o rio e tinha um barzinho com música ao vivo, este é o mesmo lugar onde esta o CAT (centro de atendimento ao turista da cidade).

f8

Foto: A noite encerrando com uma porção de pirarucu.

f9-1

Foto: E claro que a noite também se encerrou com a Tijuca a cerveja local.

A viagem continua…

Relato anterior: Presidente Figueiredo.

Próximo Relato: Alter do Chão.

NOTAS:

1- Procure instalar a rede mais no centro do barco, para fugir do sol. Fica ruim esta escolha só para ir ao banheiro a noite.

2- É necessário levar suas próprias cordas para amarrar as redes e regular a altura, mas caso esqueça passam vendendo no barco antes de começar a viagem. Eu levei as minhas próprias, pois havia pesquisado. Comprei duas de 1,5 m cada.

3- Leve um dramim, pois antes de sair o barco podemos ficar mareados.

4- As malas vão ao nosso lado no chão. Sempre é bom ter cuidado, como não deixar nada de valor, fechar com cadeado etc… Deixamos algumas vezes as malas sozinhas por horas e não tivemos problemas, mas li vários relatos sobre furtos.

5- Leve lenços umedecidos para se limpar do calor.

6- Sempre bom ir com algumas coisas praticas para comer.

7- Leve repelente, apesar que mal usei e não fui importunados por insetos aqui, mas…

8- Santarém vale mais que uma noite, muito vão direto para Alter, eu recomendaria passar pelo menos uma noite aqui, e de dia aproveitar para conhecer o mercadão, que falam que é bem interessante.

9- Para quem quer ver botos: Falaram que tem como alimentá-los no porto de Santarém, próximo ao mercado. Que há muitos deles por lá.

10- Algumas vezes os nativos amarram seus barcos no nosso barco e entram para vender seus produtos.

 

 

 

  1. Carlos Dantas says:

    Excelente…Gostei muito do relato e das dicas, quero muito fazer essa trip. Em qual hotel ficaram em Santarém? Abs

    • Marthon Livramento says:

      Que bom!
      Carlos, chama encontro das águas. Foi excelente custo benefício!

  2. I have read so many posts on the topic of
    the blogger lovers however this piece of writing is really a pleasant article,
    keep it up.

  3. Clarissa says:

    Obrigada pelo relato! Muito bom. Vou fazer esta viagem também pelas próximas semanas

Deixe uma mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estesHTMLtags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Language »