Chernobyl e Pripyat – Ucrânia

INFORMAÇÕES DE: Agosto de 2012.

ROTEIRO PARA: 1 dia.

TIPO DE VIAGEM: Mochilão – Capitais Leste Europeu – Parte V.

HOSPEDAGEM: Foi um bate a volta de Kiev, a capital do país e detalhes estão no link para o post logo abaixo.

Esta de viagem marcada? Então aproveite e reserve seu hotel aqui no Booking.com com o Quero Mochilar, você não paga nada a mais por isso e ajuda a manter o blog no ar.

SOBRE

Em 26 de abril de 1986, após causas ainda pouco conhecidas relacionadas a má engenharia e falha de operadores, o reator 4 da Usina nuclear de Chernobyl veio a explodir, causando um incêndio extremamente tóxico que espalhou material radiativo – Césio 137 – por toda Europa.

De imediato foram acionados os bombeiros de Pripyat, que eram bem treinados e reconhecidos como bons profissionais na região. Os mesmos chegaram no local em somente 3 minutos, controlaram o incêndio e cobriram o buraco da explosão com concreto.

No momento do ocorrido, a explosão parecia algo relativamente simples, nenhum funcionário se machucou, e os bombeiros “solucionaram” rápido o problema, o que tranquilizou a todos e fez parecer estar tudo sob controle.

Como as partículas radioativas não tem peso, cheiro e cor, todos seguiram com suas vidas normalmente, sem saber que estavam se expondo a radiação e piorando as conseqüência para seu organismo a cada segundo.

O que tinha sido feito até então não foi possível reter o calor desta explosão de dimensões e consequência preocupantes, tanto que o próprio governo na época demorou a divulgar o ocorrido na tentativa de ocultar os fatos, mas de nada adiantou, pois logo alguns países da Europa, entre eles a Escandinávia, detectaram altos níveis de radiação na atmosfera, e o governo acabou tendo que admitir o que ocorreu.

Deste desastre uma das contas mais difíceis de se fazer é em relação ao número de vítimas. Ninguém morreu com a explosão inicial, mas uma semana depois o governo reconheceu como vítimas da tragédia 30 pessoas, sendo na sua maioria bombeiros e funcionários da usina que tiveram contato com altos níveis de radiação e morreram uma semana após a tragédia. Porém, o pior impacto de um desastre como este não é visível de imediato, sendo percebido somente com o passar do tempo. Difícil de saber os números, mas milhares de pessoas morreram de câncer na região e provavelmente a causa foi o contato com a radiação de Chernobyl. Nas estimativas na OMS – Organização Mundial de Saúde – Calcula que 4.000 pessoas morreram por causa deste desastre, mas algumas outras ONGs acreditam que este número é bem maior.

Após este desastre uma região no raio de 30 km ficou fechada por mais de duas décadas que recentemente abriu para o público, podendo até realizar visitas guiadas e é claro que quis conferir isso de perto…

 Como chegar?

Chernobyl fica ao norte da Ucrânia, já quase na fronteira com a Bielorrússia, a 153 km de Kiev – a capital, de onde é possível chegar de carro em aproximadamente 2h30min de deslocamento.

Por ser uma área de acesso restrito você só ira chegar até lá com auxílio de agências autorizadas e existem várias delas em Kiev- dou mais informações no decorrer do post.

Segurança.

Claro que não sou louco de ir para um lugar deste se não me sentisse seguro e sem pesquisar antes (rs).

Você sabia que apenas algumas horas neste tour temos o mesmo efeito de uma exposição de radiação que em um voo transatlântico? Pois é….. Assim, os níveis de radiação que somos expostos são baixos e não apresentam risco para saúde.

Pode ir tranquilo meu amigo!

Para a segurança de quem se aventura neste exótico passeio para entrar na zona de exclusão temos que seguir algumas regras, como:

1- Não se alimentar durante o tour.

2- Não ingerir líquidos durante o tour.

3- Não sair das trilhas e nem tocar em objetos sem a consentimento do guia.

4- Não pisar em poças d’água, lama e nos musgo que crescem no chão, estes dizem ser extremamente radioativos ..rs.

5- Evitar áreas com vegetação – nestes lugares a contaminação pode ser mais alta.

Alguns estudos relataram que as árvores caídas nesta área ainda estão lá intactas porque a radiação inibiu a decomposição e que toda camada de solo nessas áreas estão altamente contaminada.

Quando chegamos e saímos da zona de exclusão passamos por uma inspeção.

A inspeção é o seguinte: Você passa em uma máquina (não me recordo o nome) que se detectar um nível alto de contaminação por radiação em um dos seus pertences você tem que retirá-lo e ele será destruído.

O mais comum é contaminar calçados, por pisarem em local proibido. Então cuidado, você não vai querer ir embora descalço, não é?…rs.

ROTEIRO

Planejamento para visitar Chernobyl.

Acho que uma visita a Chernobyl é o top 1 dos passeios macabros que há por ai, pelo menos na minha opinião… rs.

Como estava em Kiev não queria deixar de conhecer este lugar e adorei a visita.

Mesmo com as piadinhas que ia voltar radioativo, nascer mais um olho, que era louco, caro e etc… resolvi conhecer, pois gosto de ver de perto lugares que foram palco de grandes acontecimentos da história, e isso não inclui só bons acontecimentos.

Pela internet pesquisei e descobri que para fazer a visita precisa-se de uma agência e de uma autorização do governo que deve ser solicitada com pelo menos 11 dias de antecedência, sendo que pedidos solicitados com menos que isso são automaticamente recusados.

As agências oferecem passeios de 1 ou 2 dias, eu optei pelo de 1 dia e fiquei satisfeito.

Passos para visitação:

1- Encontrar uma agência (Informações no fim do post).

2- Preencher formulário em inglês que será enviado pela agência.

3- Agência recebe formulário e encaminha para o governo.

4- Ocorre a análise da ficha – Governo.

5- Envio da autorização para a agência – Governo.

6- Te informam da autorização.

IMPORTANTE: Levar com você no passeio o mesmo documento que citou na autorização. Você apresentará o documento para entrar na zona de exclusão e em outras ocasiões lá dentro nos check points e ele tem que ser o mesmo que consta na autorização.

O guia falou de casos em que a pessoa citou o RG na autorização e levou o passaporte e acabou sendo barrado, não podendo fazer o passeio.

As visitas bate e volta de Kiev, capital da Ucrânia, levam cerca de 8 horas.

Como é o tour em Chernobyl e Pripyat.

A hora marcada pela agência para sair o tour foi as 8h50min de frente do Dnipro Hotel, no centro de Kiev na European Square.

O transporte foi em uma minivan, que estava em boas condições e era bem confortável.

Algumas horas de estrada e estávamos já chegando a Zona de Exclusão, a partir daqui só entramos com autorização.

01-chernobyl-quero-mochilar

Foto: Entrada da zona de exclusão. A partir deste ponto só entra mostrando a autorização.

02-chernobyl-quero-mochilar

Foto: Olha só minha alegria, mesmo não entendendo “bulhufas” do que estava escrito…rs.

A estrutura “turística” da zona de exclusão é bem razoável, nada muito grandioso ou moderno, tudo muito simples, mas bem controlada.

Aqui mostramos nossas autorizações e passaportes e então começamos nosso tour sinistro.

1- Museu e Memorial.

A primeira coisa é escutar as histórias desta tragédia – tudo em inglês – e direto em um pequeno museu que há nas imediações.

Este museu achei bem sem graça, poucas coisas, só uns objetos pendurados, algumas fotos penduradas nas paredes contando a história, mas tudo em russo, assim fica difícil, né??

03-chernobyl-quero-mochilar

Foto: Estrutura do” Anjo da Morte” em frente ao pequeno museu.

04-chernobyl-quero-mochilar

Foto: A tragédia gerou altos índices de  câncer de tireoide, deformação de fetos e recém nascidos. Tudo isso é contado neste pequeno museu.

Dizem que o museu de Chernobyl em Kiev é bem mais interessante que este, mas infelizmente não consegui conhecê-lo para dar minha opinião para vocês.

Após as explicações e o Museu vamos direto para uma área externa onde estão expostas todas as máquinas que trabalharam na contenção da radiação na época, os atores principais deste cenário.

Aqui também tem um belo monumento realizado para homenagear os bombeiros, os verdadeiros heróis desta tragédia, pessoas que deram suas vidas pela do povo da Ucrânia.

05-chernobyl-quero-mochilar

Foto: Um belo monumento montado em homenagem aos 7 bombeiros que deram suas vidas para diminuir as proporções desta tragédia.

06-chernobyl-quero-mochilar

Foto: Eu com este grandes heróis que morreram 7 dias após este trabalho devido o contato com um índice altíssimo de radiação. Segundo o guia ao morte dos heróis desta tragédia foi bem dolorosa, dizem que eles cozinharam de dentro pra fora, devido a exposição exagerada a radiação.

07-chernobyl-quero-mochilar

Foto: Os equipamentos que ajudaram no trabalho de contenção da radiação.

08-chernobyl-quero-mochilar

Foto: Mais fotos deste equipamentos, que hoje devido sua importância são apensas peças de museu.

09-chernobyl-quero-mochilar

Foto: Pena que não anotei pra vocês o que fazia cada um, pois nesta época não tinha o Quero Mochilar ainda…rs.

Daqui entramos na van e fomos explorar o entorno da Usina, onde havia uma creche-escola.

2- Creche-escola.

Quando o sino de alerta tocou avisando o desastre a cidade foi evacuada no mesmo instante a as aulas das crianças foram interrompidas na metade, famílias saíram de casa sem olhar para trás e trabalhos foram abandonados sem conclusão, um desespero total, imagine abandonar tudo que é seu em questões de minutos, sem carregar nada? Deve ser desesperador…

E é exatamente isso que mostra esta escola, ainda com sapatos de crianças, brinquedos, berços e muito material escolar.

10-chernobyl-quero-mochilar

Foto: Caminho para escola.

12-chernobyl-quero-mochilar

Foto: O quadro escolar com as matrioskas…

13-chernobyl-quero-mochilar

Foto: Uma lição ainda na parede… não me pergunte do que, ok?…rs.

14-chernobyl-quero-mochilar

Foto: Mais detalhes da escola.

15-chernobyl-quero-mochilar

Foto: As camas da creche. Dai vocês perguntam: Cadê os colchões?? Bem brasileiros os ucranianos voltaram e saquearam muitas coisas da cidade abandonada, mesmo que contaminadas. 

11-chernobyl-quero-mochilar

Foto: O tempo todo com o guia caminhamos com um medidor de radiação para controlar a exposição a radiação e evitar ficar muito tempo em lugares onde ela possa estar muito alta. Aqui ele nos demostrava a radiação próxima ao solo onde gotejava água da chuva. Nestes lugares ela costuma ser mais alta.

Depois deste tour sinistro na escola fomos para o lugar principal, o sarcófago que cobre o reator 4.

3- Sarcófago do reator 4.

No caminho para conhecer o sarcófago tem uma parada para vermos a usina como um todo.

16-chernobyl-quero-mochilar

Foto: Uma vista panorâmica da Usina de Chernobyl.

17-chernobyl-quero-mochilar

Foto: Chernobyl.

18-chernobyl-quero-mochilar

Foto: Eu e minha companheira de aventuras neste lugar inóspito…rs.

Agora sim chegamos no ápice do passeio: conhecer o Sarcófago.

Sobre o Sarcófago.

Logo após o acidente a equipe de bombeiros contiveram temporariamente o buraco provocado pela explosão, algo paliativo foi feito neste dia e somente em novembro,  quase 7 meses após o corrido concluíram outra estrutura provisória de concreto, bem mais resistente, chamada de “Sarcófago”, com o objetivo de conter a radiação dentro do reator. Essa estrutura tinha uma vida de 30 anos e dizem que há um risco iminente dela ruir e causar um acidente muito pior do que a primeira explosão e espalhar no mundo inteiro níveis de radiação altíssimos, por isso desde 2007 a Ucrânia trabalhou no projeto conhecido como New Safe Confinement (NSC), que nada mais é que uma nova estrutura que conseguiria conter a radiação com segurança por mais 100 anos. A inauguração está prevista para esse ano( 2017).

19-chernobyl-quero-mochilar

Foto: O monumento erguido da tragédia, e o reator 4, que explodiu ao fundo, coberto com o sarcófago, para evitar a saída do Césio 137.

20-chernobyl-quero-mochilar

Foto: Neste local não podemos ficar mais que 15 minutos, pois os níveis de radiação aqui são mais altos, então uma exposição demorada pode trazer riscos.

21-chernobyl-quero-mochilar

Foto: Eu desconfiado e juro que queria sair logo daqui…kkkkk.

22-chernobyl-quero-mochilar

Foto: Nós com o nosso guia, que deixou muitas dúvidas no ar e não esclareceu algumas dúvidas…rs. Ahhh além de fumar lá dentro o tempo todo. Devia ser proibido, mas ele não estava preocupado não…rs.

Estar de frente ao Reator 4, a 15 metros do sarcófago com um contador de Geiger (medidor de radiação) na mão foi uma experiência que me marcou e sem dúvida uma das mais exóticas da minha vida.

Depois deste 15 minutinhos aqui fomos conhecer a famosa cidade fantasma Pripyat.

4- Pripyat – A cidade fantasma.

Antes de explorá-la foi preciso conhecer um pouco sobre esta cidade pelo nosso guia.

Pripyat foi a cidade base da Usina. Criada em 1970 com objetivo de abrigar os trabalhadores, hoje estimam que esta área esta inabitável pelos próximos 20.000 anos.

Na época Pripyat era tida como a menina dos olhos da União soviética, uma cidade modelo, onde tudo funcionava de acordo com os mandamentos da doutrina socialista e com ela queriam mostra ao mundo que este modelo funcionava (Não ia durar muito observando os países socialista que temos hoje, né?, mas…rs).

Seus prédios para época eram modernos e confortáveis, a cidade possuía uma biblioteca de primeira, além de supermercados bem equipados, quadras para esportes e toda uma estrutura para lazer.

Pripyat era uma promessa para União Soviética. Suas escolas tinham objetivo de formar futuros lideres e cientistas, seus ginásios esportivos prometiam criar os melhores atletas do país. A cidade tinha até um restaurante, algo muito raro em um regime socialista onde tudo é fornecido em pontos de distribuição.

Na época somente 30 horas após a explosão o alarme da cidade de Pripyat soou e o exercito invadiu a cidade e em 3 horas removeu os 50.000 habitantes.

Os habitantes de Prypyat além de abandonar suas casas e todos os seus pertences não puderam ficar nem com a roupa do corpo e foram todos realocados em um campo de refugiados em Belarus.

Para evitar o aumento da tragédia o governo tomou duas ações:

  1. Evacuação da população da zona de risco: Em 10 dias após o ocorrido, mais de 130 mil pessoas foram evacuadas no raio de 30 km em torno da Usina.
  2. Tentativa de conter o fogo: Helicópteros lançaram 5 mil toneladas de areia e chumbo na chama do reator, que não parava de queimar e expelir fumaça radioativa.

Após a evacuação, Pripyat sofreu inúmeros saques, e ficou ainda mais destruída e a mercê da natureza e do tempo que deu a ela um ar de abandono e o apelido de cidade fantasma.

Por questões de segurança e risco de desabamento desde 2008 não é permitida a entrada nos prédios e várias das construções da cidade.

Neste tour passamos por vários pontos importantes da cidade, que eram bastante frequentados pela população.

23-chernobyl-quero-mochilar

Foto: Primeiro contato com Pripyat.

24-chernobyl-quero-mochilar

Foto: Gente, lembra os musgos verdes super radioativos que eram para evitar. Então, são estes que estou em cima…rs.

Um fato interessante é que foi criado para o lazer das famílias um parque de diversão e a evacuação ocorreu dias antes da inauguração da roda gigante, a mais esperada pela criançada.

25-chernobyl-quero-mochilar

Foto: O parque de diversões. Penso que este é o símbolo de Chernobyl.

27-chernobyl-quero-mochilar

Foto: O lugar mais fantasmagórico de todos… sem dúvida.

28-chernobyl-quero-mochilar

Foto: Um Brinquedo tipo chapéu mexicano.

29-chernobyl-quero-mochilar

Foto: Juro que não encostei…rs.

Passamos ainda por vários lugares muito frequentados na antiga cidade a algumas décadas atrás.

30-chernobyl-quero-mochilar

Foto: A caminho do estádio da cidade.

31-chernobyl-quero-mochilar

Foto: Em frente ao estádio.

32-chernobyl-quero-mochilar

Foto: Prédios inteiros abandonados e a natureza voltando a tomar conta de tudo…

33-chernobyl-quero-mochilar

Foto: Um dos principais lugares de lazer da população, hoje neste estado.

35-chernobyl-quero-mochilar

Foto: Mais prédios abandonados. A sensação de andar por eles e pensar tudo que aconteceu aqui é demais.

36-chernobyl-quero-mochilar 37-quero-mochilar

Fotos: Escola de músicas da cidade.

Algumas horas andando por Pripyat e chegou a hora de partir.

 5- Saída da zona de exclusão.

Na saída passamos pelo checkpoint Dytyatky, onde há uma máquina que mede seu nível de radiação ao sair da Zona de Exclusão.

Obs: Pra falar a verdade quando eu estava saindo apitou a máquina, mas não tive que deixar meu tênis não, o guia mandou eu passar e ficou por isso, mas a regra é sempre levar um calçado extra, caso você tenha problema,. Eu estava com o meu na mochila, e ainda bem que não tive que usar.

38-chernobyl-quero-mochilar

Foto: Vendo se eu estava radioativo…rs

Liberado, agora estávamos prontos para o almoço…

 6- Almoço na Usina de Chernobyl.

Há na área da Usina uma cantina que é mantida pelo governo para servir alimentação para os trabalhadores da manutenção, normalmente os tours param lá para o almoço (fique tranqüilo, os alimentos são trazidos de fora…rs).

Há medidores de radiação que indicam que é seguro comer essa comida e ingerir líquido aqui, mas você encontrará nas suas pesquisas vários blogs dizendo  que é melhor levar sua própria água e sanduíche. Penso que não precisa.

Eu confiei e almocei aqui tranquilasso, acho que não tem por que estarem colocando turistas em risco.

39-chernobyl-quero-mochilar

Foto: Servidos??? Esse foi meu almoço radioativo…rs.

Depois do almoço passamos ainda por um rio, onde fomos observar enormes peixes gatos que vivem ali e assim finalizamos este dia super exótico.

41-chernobyl-quero-mochilar

Foto: Peixe Gato.

43-chernobyl-quero-mochilar

Foto: Alimentando os peixes.

42-chernobyl-quero-mochilar

Foto: Até o próximo post.

E DAÍ, QUANTO FICOU A BRINCADEIRA??

Orçamento para o dia: Passeio bate e volta de Kiev: ₴ 1.636 (R$ 409,00) – Este valor varia muito entre agências e de acordo com a temporada. Verão – meio do ano – mais turismo na Ucrânia.

As agências trabalham na faixa de 90 a 120 dólares.

NÃO POSSO DEIXAR DE PROVAR:

A viagem continua…

Relato Anterior: Kiev.

Próximo Relato: Varsóvia – Capital da Polônia.

Primeiro Relato desta viagem: São Petersburgo – Rússia.

LIÇÕES APRENDIDAS:

1- O tour costuma ser em inglês,

2- Vá com sapato velho caso tenha que ser descartado.

3- Sobre o passeio de 2 dias: Levam os turistas para conversar com pessoas que decidiram por conta própria voltar a viver nas vilas da Zona de Exclusão. Em sua maioria são pessoas idosas, conhecidas como samosels, que vivem com muita pobreza. Nesta área não há assistência do governo e sendo este turismo uma fonte de renda para eles.

4- Há 2 hotels dentro da Zona de Exclusão, o Desyatka e o Pripya. Nas proximidades há opção de um hotel mais confortável, chamado Countryside Cottage “Chernobyl Hotel”.

5- Foi demais descobrir que a palavra Chernobyl significa Absinto.

QUEM PODE TE AJUDAR?

Há inúmeras agências em Kiev que fazem o passeio por Chernobyl.

Fiz meu tour pela Chernobyl agency , e não consegui encontar o contato dela pois perdi minha caderneta… (vergonha…rs), mas pesquisando no Trip Advisor: Vi boas recomendações para ajudá-los para as empresas:

1- Chernobyl-tour;

2- SoloEst Travel (a mais indicada por veículos de mídia internacional);

3- CHERNOBYLwel.come.

4- UkranianWeb

Deixe uma mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estesHTMLtags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Language »