Glacial Perito Moreno – Argentina

Ah o Glacial Perito Moreno! Só mesmo estando em frente a esta magnífica obra da natureza para entendermos o quanto ela é incrível.  Ao vê-lo pessoalmente, o glacial ganha dimensões impressionantes ,cores que foto nenhuma traduz e mostra a nós sua força, além da beleza. Eu seria capaz de passar horas, sem perceber o tempo passar, só olhando para este incrível espetáculo. Inesquecível!!!!!

INFORMAÇÕES DE: Novembro de 2018.

ROTEIRO PARA:  1 dia.

TIPO DE VIAGEM:  Mochilão de Férias Patagônia e Terra do Fogo – Parte II.

HOSPEDAGEM: Calafate Hostel – R$ 73,00 / dia.

Preço de quarto misto com 4 camas. Neste valor também está incluso o café da manhã, que é muito bom para um hostel. O Calafate hostel é bem localizado, a equipe ótima e tem um clima bem agradável para fazer amizades.

Consulte e reserve sua estadia pelo BOOKING.COM nos atalhos do blog, estas reservas viram pequenas comissões, VOCÊ NÃO PAGA NADA A MAIS POR ISSO, e estará ajudando o Blog a se manter no ar, monetizando nosso trabalho e rendendo ótimas dicas para você.

Booking.com

SOBRE O GLACIAL PERITO MORENO

Não é atoa que este glacial é um dos patrimônios naturais da humanidade reconhecido pela UNESCO desde 1981, e também já foi apelidado de a oitava maravilha do mundo.

O Glacial Perito Moreno, localizado em uma área protegida pelo Parque Nacional los Glaciares, é de uma beleza e dimensões impressionantes: são 5 quilômetros de largura e 60 metros de altura, que se estendem desde o campo de gelo Patagônico Sul, na fronteira entre Argentina e Chile, até o braço sul do lago Argentino. Para se ter uma ideia, sua área corresponde ao tamanho de Buenos Aires.

Este imenso “bloco de gelo” é também uma das reservas de água doce mais importantes do mundo. Você sabia, que os glaciais patagônicos só perdem para Antártida e Groenlândia, quando o assunto é água potável congelada? Pois é…  e tem mais, diferente de outros glaciares ao redor do mundo que estão derretendo por causa do aquecimento global, o Perito Moreno se mantém estável. 

Seu nome foi em homenagem a um renomado pesquisador da região austral da patagônia, chamado Francisco Pascasio Moreno, pessoa influente e importante na preservação dos glaciares, e também o criador da Sociedade Científica Argentina.

Ele é a atração principal de El Calafate e o motivo de 100% dos turísticas procurarem a cidade.

Foto: Glacial Perito Moreno visto das passarelas.

Como chegar ao Glacial Perito Moreno?

A entrada do Parque Nacional los Glaciares fica distante de El Calafate, são 71 km na direção sul, na RP11. A viagem toda dura cerca de uma hora e meia a duas horas.

Você pode ir até lá dependendo do seu objetivo:

1- Só conhecer as passarelas por conta própria: Não precisa de agência, e você pode se deslocar de:

Carro alugado: A estrada é ótima, toda asfaltada e bem sinalizada. Somente no inverno não é recomendado para quem não sabe dirigir em estradas “congeladas”, assim digamos.

Ônibus: Você pode ir por conta própria. É só seguir até o terminal rodoviário, escolher uma das empresas e comprar sua passagem de ida e volta. Os horários recomendados de ida e volta para fazer as passarelas são: sair às 9h00 e voltar entre às 14h00 e 16h00.

Valor: $ 600 ARS / pessoa (R$ 70,58).

Foto: Vista para o lago argentino do ônibus.

2- Com agências de turismo para caminhar sobre o glacial: Esta é a forma mais cara e cômoda, pois te pegam na porta do hostel (se incluir o transfer na sua aventura).

É também a única opção para quem quer além de ver o glacial, ter a experiência de caminhar sobre ele. Foi a que eu escolhi e vou relatar “procês”.

Quando conhecer o Glacial Perito Moreno?

Você pode conhecer o Glacial Perito Moreno em qualquer época do ano. No entanto, a melhor época é de outubro a março, quando é mais quente. Nesta época além de ser menos frio na região, durante a visita é possível observar os desprendimentos dos blocos de gelos e ainda caminhar sobre o glacial.

Tanto o minitrekking como o Big Ice, que são as caminhadas sobre o glacial, não estão disponíveis no inverno (junho até final de agosto).

Recomendo ler para planejar sua viagem: Como planejar uma viagem para patagônia?

Segurança no Glacial Perito Moreno. 

Conhecer e caminhar sobre o Glacial Perito Moreno é super seguro, desde que você siga fielmente todas as instruções, caso contrário pode ser perigoso.

No Glacial, tomar os seguintes cuidados:

  • Não caminhar fora das trilhas.
  • Usar roupas adequadas e não esquecer de maneira nenhuma : Jaqueta impermeável (com gorro de preferência) e que seja corta vento, calça impermeável, calçado adequado, luvas e algo para proteger o pescoço do vento.
  • Óculos de sol: Não é pra ficar bonito na foto. Longa exposição devido a claridade das geleiras, pode provocar danos na retina.
  • Usar protetor solar – Tá frio mais queima muito.

Caminhar sobre o Glacial Perito Moreno não é indicado:

  • Menores de 10 anos.
  • Maiores de 65 anos.
  • Pessoas com sobrepeso: O sobrepeso é quando o peso da pessoa equivale ao dobro da sua altura em cm menos 100. 
  • Mulheres grávidas.
  • Pessoas com problemas cardíacos.

Falando em segurança: Você já tem seguro viagem? Não? 
Viajar sem é loucura, portanto nunca faça isso!

O Quero Mochilar fechou parceria com uma famosa marca de seguro viagem e esta com preços imbatíveis. Confira fazendo uma cotação no banner publicitários deste artigo, ou saiba mais sobre os benefícios de fechar o seguro viagem com a gente neste link: Saiba mais. 

ROTEIRO NO GLACIAL PERITO MORENO

 Dia 2 – 19/11/2018

Meu segundo dia de viagem foi também um dos mais especiais, pois foi quando conheci e caminhei sobre o incrível Glacial Perito Moreno. Antes de relatar minha experiência, queria abrir um parêntese para falar das maneiras de conhecer esta maravilha, já que nem todos pretende encarar esta aventura.

FORMAS DE CONHECER O PERITO MORENO.

Há diversas formas de conhecer e explorar este incrível glacial, e a melhor vai depender do quanto você pode investir e também da sua disposição para aventura.

1- Passarelas: Se você desejar conhecer o glacial sem aventura e gastando pouco, você pode ir somente às passarelas.

São 5 trilhas, todas suspensas e bem estruturadas, com acesso até para cadeirantes. Você não caminha em pedras. Super tranqüilo e o visual é incrível. Detalho melhor no final do post, onde conto minha experiência.

Foto: Caminhos pelas passarelas para ver o Glacial Perito Moreno.

Para conhecer as passarelas você pode ir:

Por conta própria: Recomendado sair em torno das 9h00 e voltar entre às 14h00 e 16h00. Partindo do terminal rodoviário da cidade, caso vá de ônibus, pois é possível também ir de carro.

Valor: $ 600 ARS / pessoa (R$ 70,58) + Entrada do parque : $ 600 ARS / pessoa (R$ 70,58) + Deslocamento até terminal rodoviário (valor vai depender da sua localização, mas é o menor dos custos).

Ir com agência: Te pegam e deixam no final do passeio na porta do hostel.

Geralmente oferecem o passeio da passarela, com a navegação.

2- Passarelas + Navegação (Safári náutico): Além das passarelas, quem quer ter uma experiência mais próxima ao glacial pode fazer uma navegação no lago argentino. Penso que não vale a pena para quem já vai fazer o rios de hielo, outro passeio pelo lago argentino para ver outros glaciares. Se for seu caso, converse para fazer só as passarelas.

Valor pago em dinheiro (pesos): $  1.650 ARS / pessoa (R$ 194,12) – para pagar no cartão cobram: $ 1.800 ARS.

Foto: Navegação pelo lago argentino para observar o Glacial Perito Moreno.

Para quem quer um contato maior e mais aventura, tem a opção de caminhar sobre o Glacial Perito Moreno, que mesmo sendo opções caras, acho que vale juntar um dinheirinho para pagar esta experiência, pois é ímpar, ainda mais para nós brasileiros que mal sabemos o que é frio e gelo.

Há duas formas para explorar o glacial no modo aventura, e ambas só são possíveis com as agências.

3- Minitrekking:  Consiste em uma caminhada de 1 hora e meia sobre o glacial, onde fornecem os grampones (equipamento para colocar nos pés e andar sobre o gelo) e dois guias para acompanhar o grupo.

Duração do passeio: Partem às 8h30 – retornam: 19 horas.

Incluem:

  • Transfer ida e volta até o parque (80 km): Buscam e deixam na porta do seu hostel (opcional).
  • 1 hora para caminhar nas passarelas.
  • Equipamentos como grampones.
  • Barco até inicio do trekking.

Não inclui: Alimentação.

Valor pago em dinheiro (pesos): $  5.250 ARS / pessoa (R$617,65) – valor no cartão $ 5.500 ARS.

Big Ice:  É uma caminhada mais longa sobre o glacial, em torno de 4 horas, que passa por bem mais lugares. Neste passeio você não chega a ir nas passarelas, pois não há tempo. Aqui só maiores de 18 anos para poder participar.

Duração: Partem às 8h30 – retornam: 19h00.

Valor pago em dinheiro (pesos): $  7.900 ARS / pessoa (R$ 929,41) – É isso mesmo!! Caríssimo…

Foto: Caminhar 4 horas por aqui requer preparo e grana $$$!!!

A opção  que escolhi foi o minitrekking, primeiro pelo preço e segundo, para ir uma vez só ao parque, para pagar somente uma entrada.

Observação: Há a possibilidade de fechar estes passeios sem translado, e você ir de carro ou de ônibus até a entrada do parque, combinando local de encontro e horário com a agência. Essa opção diminui em torno de 1.000 ARS o valor do tour.

Como funciona o Minitrekking?

Contratei o tour com o transfer, como eu estava só, preferi o comodismo. Com o transfer, eles te buscam na porta do hotel e te deixam lá também no final do dia.

Duração do Minitrekking: Parte em torno das 8h30 e chega em El Calafate em torno das 19h00.

Foto: Tempo todo só sigam as filas e os guias.

Primeira etapa: Deslocamento até o parque.

Para nós que não estamos acostumados com esta tipo de paisagem a viagem já começa no trajeto de ônibus. Por isso, procure sentar ao lado direito para apreciar a estrada e o lago argentino.

A viagem é longa, em torno de 1 hora e meia, e assim que chegamos nem saímos do ônibus. Paramos na portaria e um funcionário do parque vem cobrar as entradas do parque, que eu achei super salgada, e só valem por um dia.

Segue algumas informações úteis sobre o Parque Nacional los Glaciares, pois o horário de atendimento muda dependendo da época do ano:

  • De 1° de Setembro até a Semana Santa das 08:00 às 18:00hs.
  • Da Semana Santa até 31 de Agosto das 09:00 às 16:00hs.

Horários de funcionamento e mais informações consulte o site oficial, pois pode haver mudanças: clique aqui.

Valor: $ 600 (R$ 70,59 ) – Preço Novembro 2018.

Assim que entramos já fazemos uma parada para ir ao banheiro e depois seguimos para pegar um barco.

Segunda etapa: Deslocamento até o ponto de apoio.

O tour começa com um deslocamento de barco, que pra mim, já é um passeio, nem precisava fazer o safári náutico depois disso… rs. São em torno de 20 minutos navegando pelo Brazo Rico, vendo o incrível glacial de frente. Só isso já valeria o passeio.

Foto: Fila para o embarque.
Foto: A gente até tenta ficar lá fora, mas é muito frio, e com chuva ainda, quase impossível. Eu fiquei no vai e volta o tempo todo… rs.
Foto: Que visual!!!
Foto: Só o rosto pra fora…rs.
Foto: Pelo caminho vamos vendo os pedaços que se desprendem do glacial, agora que começou a época quente.
Foto: Observar esta monumento natural de perto e ver seu azul é incrível.
Foto: Incrível não??? Você não tem ideia por foto a altura que é isso aqui.

Desembarcamos então em um refúgio, aos pés do bosque, onde fazemos uma pequena trilha com um visual incrível até a estação para recebermos as trações no pé para subir no bichão.

Foto: Quando chegamos no refugio temos ainda uma vista linda.
Foto: Vista da trilha para iniciar o trekking.
Foto: passamos por um bosque, e eu como eng. florestal, não conseguia parar de observar a vegetação – muito diferente.
Foto: Fique de olho que a qualquer momento você pode ver um pedaço se desprendendo.
Foto: E quando se desprende, o barulho é muito alto – a natureza mostrando sua força – show!
Foto: Conseguimos fotos ótimas do caminho. Fiquem de olho no cenário.

Terceira Etapa: Preparação.

Quando chegamos ao centro de preparação somos separados em grupos, e então funcionários do parque instalam os grampones para que possamos caminhar sobre o gelo com facilidade.

Foto: Centro de preparação para subir no Glacial Perito Moreno.
Foto: Grampones adaptado ao calçado. Aproveitem e conheçam as botas ecosafety – vários modelos de couro legítimo – botas especialistas em trekking . Com o cupom: queromochilar você tem grandes desconto – confiram!!
Foto: Daqui vemos esta imagem e a vontade só aumenta.

Quarta Etapa: Minitrekking.

Duração: 1h 30 min de caminhada.

Tudo pronto iniciamos a subida. Logo no começo recebemos várias instruções para nossa própria segurança e também de como caminhar com os grampones. Recomendo seguir a risca. Afinal, ninguém vai querer se machucar por lá, não é?

Foto: Sem grampones deve ser impossível…rs.
Foto: Guia explicando como caminhar com segurança pelo glacial e com os grampones.

No dia que fiz não tinha sol, mas indo vestido adequadamente juro que não incomodou. Choveu maior parte do passeio, chuviscou na verdade, mas não atrapalhou em nada. As roupas segunda pela e jaqueta corta vento, luva, protetor do pescoço, seguraram o frio certinho.

Foto: To todo coberto, mas juro que não foi um passeio torturante. Foi ótimo!!

A caminhada é um experiência incrível, não dá pra quem tem saúde e o dinheiro para fazer o minitrekking pular esta experiência na sua passagem por El Calafate.

Passamos por paisagens incríveis: crateras, mini cachoeiras e lagos.

Foto: Feliz, mais um lugar show pra lista!
Foto: Vemos várias lagoas de gelo, mini cascatas e corredeiras, tudo muito lindo!
Foto: Tirei centenas de fotos – o Glacial Perito Moreno é muito fotogênico…rs.

E para finalizar o passeio, bebemos um Whisky com o gelo do glacial, o que cai muito bem pra dar uma esquentada.

Foto: Uma família de italianos que tive o prazer de conhecer aqui e depois beber uma cerveja em El Chaltén.
Foto: Um brinde a este dia incrível no Glacial Perito Moreno.

Quando terminou eu queri mais, e minha vontade era de estar fazendo o Big Ice. Meu Deus que arrependimento no final, de tanto que gostei da experiência… rs. Porém o mini era o que se encaixava no meu orçamento e ainda passava pelas passarelas, ou seja, uma entrada só no parque – saia bem mais em conta.

Foto: Na volta começou a chover bem mais e o tempo fechou.

Após o minitrekking, paramos no refugio novamente, onde almoçamos a comida que trouxemos, pegamos o barco e voltamos para onde estava o ônibus para o final do passeio – as passarelas.

Quinta Etapa: Passarelas.

As passarelas é uma parte do parque bem mais turística e acessível a todos. Por isso mesmo lá temos uma estrutura com banheiro e uma ótima lanchonete.

Logo no ínicio das passarelas há uma placa indicando a duração e nível de dificuldade das trilhas. São 5 trilhas e as informações de cada uma dela estão na foto abaixo.

Na trlha azul, que não cheguei a fazer, tem vans gratuitas do parque de tempo em tempo que trazem os passageiros para a entrada principal. Procurem saber mais informações por lá.

PAssarelas do glacial perito moreno
Foto: As trilhas e suas cores, com duração e nível de complexidade.

Creio que precisamos de duas horas a duas horas e meia para andar as passarelas com calma e fazer todos os trajetos.

No dia eu tinha somente uma hora e dei azar que choveu a maior parte do tempo e estava muito mais frio que em cima do glacial… rs. Com isso nem usei a minha uma hora toda. Vi o básico e logo voltei para o restaurante que estava quentinho por lá.

Foto: A passarela logo em frente ao Glacial. Esta é outra parte do glacial, não é a mesma que caminhamos.
Foto: Observe as trilhas, como são bem estruturadas e este pontos verdes, são a identificação, para que saiba em qual trilha esta.
Foto: Que frio que passei aqui!!! rs.
Foto: Daqui temos uma vista panorâmica linda.

Este passeio terminou às 19h00, quando pisei novamente no meu hostel. Este foi o dia mais incrível de toda minha viagem pela Patagônia e Terra do Fogo. Indispensável na minha opinião – Muuuuuuito caro, mas fantástico.

E DAÍ, QUANTO FICOU A BRINCADEIRA??

Gasto total primeiro dia em El Calafate: $ 6.930,50 ARS – R$ 815,35 .

  • Hostel: $ 620,5 ARS – R$ 73,00.
  • Tour:  $ 5.250 (R$ 617,64) – Preço só dele. Eu paguei $ 8.000, pois fiz um combo com o rios de hielo, outro passeio de um dia.  Fechei pela internet com antecedência. Se eu tivesse fechado este mesmo combo em El Calafate, pagaria $ 7.600 – em tornor de R$ 47,00 a menos.
  • Entrada Parque: $ 600 (R$ 70,58)
  • Jantar: Restaurante Pura Vida – $ 460 (R$ 54,11) – Guizado de lentejas e cervejas.

Usei a cotação média de 8,5 pesos para R$ 1,00.

Quer saber em detalhe todos os gastos desta viagem e ainda algumas outras dicas?

LEIA:  QUANTO CUSTA UMA VIAGEM PARA PATAGÔNIA?

NÃO POSSO DEIXAR DE PROVAR…

Tem brasileiro que reclama que a comida argentina é sem tempero, e carregar no tempero é coisa de brasileiro. Esqueça isso e aproveite! Você esta viajando e conhecendo coisas diferentes.

Em El Calafate, não deixe de provar:

1- Cordeiro Patagônico: Prato típico da região.

Foto: La Tolderia Resto Bar – $ 380 ARS ( R$ 44,71).

Chorizo: Outro prato muito típico da argentina, que consiste em um filé suculento acompanhado por batatas (purê ou fritas).

Foto: Pratos na fixa de R$ 40,00 a R$ 50,00.

Guizados: Tipo uma sopa, e muito apreciado por lá também.

Foto: Guizado de Lentejas (Lentilhas) – Restaurante Pura Vida – $ 460 (R$ 54,11).

Empanadas: Salgado típico, muito popular no país.

Foto: Tão popular como a coxinha no Brasil. Preços variando de R$ 7,00 – R$ 10,00.

Doce de Leite Argentino: Desculpem os mineiros, mas pra mim é o melhor que existe!


Foto: Aproveite o friozinho para um chocolate quente Este perde para nosso (De Gramado).

Ainda é muito popular em EL Calafate, comer Trutas, e fica a dica pra quem gosta de peixe.

LIÇÕES APRENDIDAS.

  1. El Calafate no Inverno: Nesta época do ano há poucas horas de luz e os passeios como o Minitrekking e Big Ice não funcionam. Muitos hotéis também fecham.
  2. No Minitrekking, você aproveita as passarelas no mesmo dia. Se escolher o Big Ice, você precisara de dois dias para conhecer o parque. Um dia para caminhar sobre o Glacial Perito Moreno e outro para voltar e conhecer as passarelas. Ainda para piorar você tem que pagar a entrada do parque nos dois dias.
  3. Descontos: Só consegue nas situações: Fechando combos nas agências ou pagando em pesos (dinheiro vivo – efectivo).
  4. Se não for na alta temporada, deixe para fechar os passeios lá de acordo com as condições climáticas. Quando melhor o tempo – mais sol – mais agradável e melhores as fotos do glacial.
  5. Em temporada, o minitreeking e o Big Ice, é bom que seja fechado com antecedência, pois tem limites diários de pessoas para caminhar sobre o glacial.
  6. Celulares: Não dependa só deles para fotografar no glacial. Por causa da baixa temperatura, a bateria é consumida bem mais rápido e em alguns casos, como o meu, o frio fez com que o celular no final do minitrekking desligasse sozinho e só depois de esquentar que ele volta a funcionar.
  7. Dica de Fotografia: De frente ao gelo, para você não sair escuro na foto, ligue o flash. Sem flash, as fotos assim como no por do sol, só mostram o seu contorno.

OUTRAS INFORMAÇÕES ÚTEIS.

Fuso Horário: (-) 1 h (Brasília) – No horário de verão, resto do ano mesmo horário que o Brasil.

Língua: Espanhol.

Moeda

A moeda usada na Argentina é o peso argentino.

Na minha viagem, a conversão média era de R$ 1,00 = $ 8,5 ARS. Divida o valor em pesos por 8,5 para saber o valor em reais.

DICA PARA FAZER BOAS CONVERSÕES – LEIA:  QUANTO CUSTA UMA VIAGEM PARA PATAGÔNIA?

Gorjetas: Nós brasileiros não temos costume de dar gorjetas, na verdade temos até dificuldade… rs, mas como na maioria das cidades turísticas, elas são sempre bem vindas e esperadas. O ideal é pagar no mínimo 10%.

Vistos e Vacinas

Boa pra nós!

Brasileiros não precisam de visto para permanência menor que 90 dias e é exigido somente RG para entrada no país. Pedem que seja um documento em boas condições e com no máximo 10 anos de emissão.

Não é obrigatório a vacina contra febre amarela (certificado com validade internacional) e nenhuma outra.

ATENÇÃO: Sempre pesquise estas informações no site do consulado, pois pode haver mudanças.

Tomada

Usam o padrão I (o mesmo da Oceania e China), que é aquela tomada com três pinos achatados.


Foto: Estas duas bolinhas são exceções, normalmente não tem.

Recomendo levar um adaptador universal. Geralmente os hostel e hotéis, usam padrões de tomadas diferentes do mais usual no país.

Voltagem: 220 V.

A VIAGEM CONTINUA…

Relato Anterior:  El Calatate – O que fazer na cidade porta de entrada do Perito Moreno.

Próximo Relato:  Lago Argentino – Rios de hielo – Navegação para conhecer icebergs enorme e outros glaciares do Parque Nacional dos Glaciares (Ainda em Janeiro/2019).

Gostou? Compartilhe! Tem alguma sugestão ou atualização de informação? Enriqueça a pesquisa de seus amigos nos comentários. Além de ajudar o próximo viajante é super importante a opinião de vocês para o blog.

QUEM PODE TE AJUDAR?

Agência de viagens com vários tours pela Patagônia e Terra do Fogo.

Vai viajar? Planeje toda sua viagem pelo Quero Mochilar!

O Quero Mochilar tem te ajudado com dicas e roteiros para o seu planejamento? Então que tal nos ajudar sem pagar nada a mais por isso, simplesmente fechando sua viagem com os serviços oferecidos pelas parceiras do Blog.

GARANTA AQUI

SEGURO VIAGEM – HOSPEDAGEM – ALUGUEL DE CARRO – TOURS – PASSAGENS AÉREAS – RESERVAS – CHIP DE CELULAR

Além de garantir sua programação com segurança, você estará ajudando a manter o site no ar cheio de dicas para você, sem gastar nada a mais por isso.

Siga-nos
0
  1. Ameii seu blog e as dicas! Não conhecia esse lugar e agora super considero para uma trip! Amo quando colocam preços!! Obrigada pelas dicas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar essas tags e atributos HTML :

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Language »