Viagens pós Pandemia: Para Refletir!

Iniciamos 2020 vivenciando um momento de muitas incertezas, principalmente no setor de turismo, um sofrimento para todos aqueles que amam viajar e mais ainda para quem depende dele. E depois que isso tudo passar, o que ficará de lição?

A Covid-19 paralisou o mundo das viagens, e de uma coisa já podemos ter certeza, esta pandemia vai deixar muitas mudanças permanentes e irá mudar completamente a maneira de andarmos por esse mundão afora.

Com objetivo de te orientar e fazer refletir sobre suas próximas viagens, reuni nesse material algumas observações, impressões e estudos, sobre como irão ficar as viagens pós pandemia e como essas mudanças irão afetar diretamente nossas viagens, já que os especialista dizem que a normalidade mesmo só voltará em meados de 2021.

Acho que esse ano os rolês, quando liberados, serão mais de carro.

Viagens internacionais pós pandemia

Alguns países da Europa, como a Grécia, já iniciaram a retomada do turismo, a Espanha, já convida a todos para curtir o verão de julho por lá, porém, ninguém comentou detalhes das novas restrições e como será o turismo pós corona vírus.

É cedo para pensar em viagens internacionais, ainda mais sem a manifestação e orientação de órgãos nacionais e internacionais, como o Ministério da Saúde, a Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Centers for Disease Control and Prevention (CDC) dos Estados Unidos.

Também há muita especulação e é fato que alguns países poderão barrar entrada de brasileiros, como é o caso dos Estados Unidos, que já anunciou essa medida.

Quando será seguro viajar para o exterior é cedo para falar, porém o mercado do turismo aposta no mês de setembro para retomada das suas atividades em muitos lugares do mundo, o que não sabemos são as regras e restrições, e que poderão pegar a todos de surpresa.

O que pode mudar nas viagens pós Pandemia?

1- Procedimentos dos aeroportos pós pandemia.

Medidas de distanciamento e proteção poderão ser obrigatórias e mudar de um país para o outro, o que já se fala é:

1.1- O uso de máscara poderá ser obrigatório no acesso ao aeroporto e até durante os voos.

1.2- Clientes deverão atestar sua saúde antes de embarcar.

A comprovação da saúde dos viajantes, será através da:

  • Aferição de temperatura: Uso de termômetros infravermelhos, que identifica pessoas com febre, já estão sendo usados e pode se tornar rotina –  isso não detectam os assintomáticos, por isso da incerteza em relação a esta medida.

Nesta mesma linha, algumas outras medidas interessantes já começaram a surgir, como por exemplo as empresas Etihad, que já está trabalhando com máquinas de self-check-in, onde o próprio viajante confere a respiração, batimentos cardíacos e temperatura do corpo.

  • Exames rápido de sangue: Detectar o corona vírus durante o check-in, pode se tornar rotina. Há exames que levam apenas 10 minutos e muitos apostam que enquanto não houver vacina, esse exame será rotina.
  • Vacina: Assim como a vacina da Febre Amarela, que é exigência obrigatória em vários países, a de Covid se tornará realidade logo que descoberta.

1.3- Mudanças nos procedimentos operacionais dos aeroportos.

  • Aumento de máquinas de autoatendimento.

Acredita-se que após a pandemia aumentarão os sistemas automatizados nos aeroportos: mais máquinas de self-check-in ou implementação de novos sistemas automáticos de despacho de bagagem. Qualquer procedimento que envolva contato físico que possa ser substituído, será repensado.

  • Disponibilização de equipamentos e produtos

Poderá ser regra e todos aeroportos, principalmente banheiros, serão abastecidos com produtos como álcool em gel e máscaras.

2- Mudanças nas companhias aéreas

2.1- Redução do número de passageiros nos voos.

Empresas como a Qantas, a Delta, a American e a United já estão bloqueando os assentos do meio das aeronaves, garantindo mais isolamento entre passageiros. Isso pode ser uma ação a ser tomada enquanto as aeronaves estão mais vazias, porém inviável quando a rotina voltar ao normal.

Se isso vir por imposição, digamos adeus as passagens baratas. Muitos acreditam que podem ser medidas somente de curto prazos. Rezemos para que assim seja!

Para evitar esse problema, algumas empresas, como a italiana Aviointeriors, especialista em assentos de aviões, propôs poltronas que separam os passageiros com placas na região do tórax. Falam-se também em direcionar os assentos do meio em direção contrária e com uma separação ainda mais abrangente, porém estas mudanças requer altos investimentos.

E com todas estas mudanças você já deve ter concluído o mesmo que eu: Sim, vamos ter que chegar no aeroporto ainda mais cedo para pegar nosso voo!

3- O que mais pode mudar no mundo das viagens no pós pandemia.

3.1- Aglomerações em atrações turísticas.

Cidades e atrações podem reduzir o número de turistas para garantir distanciamento, isso também seria uma medida de curto a médio prazo.

Lisboa - Roteiro e dicas

Lisboa – Saudade de aglomerar, né minha filha?

3.2- Preconceito.

Os asiáticos podem ser os que mais serão “discriminados” em destinos internacionais, mas moradores de países com grandes surtos da epidemia, também poderão sofrer preconceito. Então, bom senso e cuidado nas suas atitudes, pois o Brasil será um dos países com maior foco, nossa sorte é que brasileiro é tão misturado, que não temos cara padrão de lugar algum, como os asiáticos. Passaremos despercebidos… rs.

3.3- Promoções com preços surreais.

Para garantir um faturamento mínimo, várias empresas estão lançando promoções surreais, e você amante de viagem já deve ter reparado nisso, não é mesmo?

E a dúvida que fica é: Será que estas empresas conseguirão honrar o compromisso a preços baixíssimos?

Esse barato pode sair carro, cuidado, não sabemos ainda como todas estas mudanças influenciarão no mercado, e é fato que logo vem uma recessão bem forte no mundo.

Caso não consigam arcar com as passagens e demais gastos, estas empresas poderão renegociar essas viagens com seus consumidores, remarcando, devolvendo o crédito, para que gaste em outra oportunidade, já que as empresas estão sem caixa.

Após os atentados de 11 de setembro, um estudo da Dollar Flight Club, site de alerta de passagens aéreas, observou que em 2001 os preços caíram 18%, mas depois aumentaram 25% em 2003. Esta mesma plataforma aponta que os voos poderão ficar 35% mais baratos em 2021 e 27% mais caros nos cinco anos seguintes.

Então vamos de viagens nacionais primeiro?

A retomada em todos os países será gradual, e no Brasil, de acordo com uma pesquisa da FGV Projetos, as viagens devem começar a acontecer entre os meses setembro e outubro. As viagens de negócios e eventos se estabilizarão a partir de fevereiro de 2021 e a do turismo internacional provavelmente só em junho de 2021.

Com as restrições que podem vir, ainda mais Brasil se tornando um epicentro, melhor garantir sua viagem por aqui em 2020, não é mesmo?

E é isso ai pessoal, com essa indecisão toda no mundo, e para evitar futuras dores de cabeça com cancelamentos, remarcações, perda de dinheiro e etc, por que não aproveitarmos para ajudar o turismo nacional, afinal lugares aqui no nosso Brasil é o que não falta, e tem pra todos os estilos.

Confiram roteiros do Quero Mochilar:

Chapada Diamantina na Bahia, um destino incrível para quem curte aventura e belas paisagens.

Não viaje sem seguro, mesmo em viagens nacionais. Saiba mais da importância de um seguro viagem nacional, e quando deve ser feito AQUI.

 

Siga-nos
Language »