Parque Nacional Tierra del Fuego

Gostando de trekking ou não, o Parque Nacional Tierra del Fuego é aquele lugar que não pode faltar no seu roteiro em Ushuaia. O Parque mais austral do mundo não é só para os aventureiros. Em seus mais de 40 km de trilhas, há trechos longos, mas há também vários pontos de caminhos curtinhos- que não chegam a dar 1 km ida e volta- e sem esforço nenhum, você pode ter acesso aquela paisagem de cair o queixo. Portanto, borá lá conhecê-lo?

INFORMAÇÕES DE: Novembro de 2018.

ROTEIRO PARA:  3 ou 4 dias – Fazer o parque completo.

TIPO DE VIAGEM:  Mochilão de Férias Patagônia e Terra do Fogo – Parte X.

HOSPEDAGEM:  Antarctica Hostel – $ 750 CLP – R$ 88,24 / dia.

Optei por ficar na cidade de Ushuaia e fazer bate e volta. Escolhi este hostel após ouvir boas recomendações e gostei bastante. Equipe jóia, organizado, um ambiente jovem e animado, além de ser muito bem localizado. Recomendo. -> Mais detalhes.

É possível acampar no Parque Nacional Tierra del Fuego?

Sim! Porém, praticamente não há informações na internet. E para te ajudar, caso esteja pensando nisso, vou repassar o que fui descobrindo por lá.

Há 5 áreas de camping no interior do parque, sendo a maioria gratuita, são elas:

  • Camping Rio Pipo.
  • Camping Baía Lapataia ( Há duas áreas, a que fica próximo a laguna verde é mais recomendada para quem vai ficar somente uma noite).
  • Camping Ensenada.
  • Camping Lago Roca: é o único pago, aqui tem água quente e até um minimercado.
Observem as áreas de camping neste mapa que está bem ilustrado.

Você ainda tem que saber, para acampar :

  • Ás áreas de campings só são liberadas na alta temporada (de dezembro a março).
  • Ao pagar a taxa de entrada você tem direito a duas noites de acampamento, porém, caso queira permanecer por mais dias, tem que pagar outra entrada.
  • Para acampar você deve comunicar na entrada do parque. Com isso receberá um documento emitido pelo guarda, autorizando.
  • Campings denominados como ‘agrestes’ possuem de infraestrutura somente banheiro químico, com água e sabonete líquido.

Caso tenha interesse em acampar, escreva um e-mail para: tierradelfuego@apn.gov.ar – Este endereço está no panfleto oficial do parque e com certeza te ajudarão.

Extra para a sua hospedagem:

Vai hospedar em Ushuaia? Leia, o post da cidade para entender onde estão as melhores hospedagens -> Post Ushuaia.

Consulte e reserve sua estadia para Ushuaia pelo BOOKING.COM nos atalhos do blog, estas reservas viram pequenas comissões, VOCÊ NÃO PAGA NADA A MAIS POR ISSO,  e estará ajudando o Blog a se manter no ar, monetizando nosso trabalho e rendendo ótimas dicas para você.

Booking.com

SOBRE PARQUE NACIONAL TERRA DEL FUEGO

O Parque Nacional Tierra del Fuego, é um parque nacional argentino, já na divisa com o Chile, com uma área de 69 mil hectares, criado em 1960. De toda sua área, apenas 2.000 ha são abertos a visitação, ficando a maior parte restrita a preservação, por se tratar de uma área de extrema importância para fauna e flora da região. O Parque está rodeado de montanhas, lagos e belas paisagens que se estendem desde a Sierra de Injoo Goiyin, o lago Fagnano (ao norte), até a costa do Canal de Beagle.

Fonte: Wikipedia.

Como chegar ao Parque Nacional Tierra del Fuego?

O parque fica a 12 km de Ushuaia, cerca de 20 minutos de trajeto. São várias as opções para chegar até lá. Vou começar falando pela mais usual e procurada.

1- Transporte Regular

Ótima opção para quem está sozinho e vai fazer as trilhas por conta própria. Ele está localizado na Av. Maipú y Juana Fadul, ao lado do posto de gasolina YPF. Em frente temos tipo um estacionamento, onde estão várias vans de diferentes empresas estacionadas.

Horários:

  • Partida: Diariamente das 9h00 às 17h00,
  • Retorno: Diariamente de 12h00 às 19h00.

OBS: Há vários pontos de encontro no interior do parque.

Valor: $ 700 (R$ 82,35) – paguei no dia 01/12 – Primeiro dia da alta temporada (preços sobem em dezembro).

A melhor opção para quem está sozinho e quer conhecer por conta própria.

2 –Agência

A maneira mais cômoda e cara, porém você terá um guia e não perderá nenhum detalhe sobre a história, fauna e flora do parque. As agências te buscam na porta da sua hospedagem e há todo tipo de passeio e combinação possível: com trilhas, sem trilhas etc..

Alguns tour com a nossa parceira GET YOU GUIDE:

3 – De táxi

O preço é um pouco maior que o do transfer, compensa só se você estiver em mais de três pessoas. Os taxistas já estão acostumados a fazerem o trajeto, você consegue facilmente combinar a ida e um horário para se encontrarem e retornar para a cidade. Os pontos de táxi ficam próximos as vans e ao centro de informações turística de Ushuaia.

4 – Trem do Fim do Mundo

Essa sim é a maneira mais turística e cara de chegar ao parque. Eu não quis desta vez pagar o investimento. O passeio consiste em 8 km de percurso no trem que transportavam os prisioneiros de Ushuaia.

Para pegá-lo, você também tem um gasto extra com seu deslocamento até a estação. Você pode ir com o transporte regular, ou táxis. O trajeto do trem é só ida, e o passeio todo leva em torno de uma hora.

Segue o atalho para o Site Oficial, caso planeje conhecer por conta própria.

5- Carro

Um jeito fácil e econômico de conhecer a região, principalmente se está em um grupo de amigos. Tanto as estradas externas como as internas do parque estão em ótimas condições.

Não é recomendado alugar somente no inverno, principalmente para nós brasileiros, que não sabemos o que é dirigir no gelo.

Vai alugar carro? Saiba que quanto maior a antecedência da reserva melhor o preço. A Rentcars, tem uma ferramenta ótima de pesquisa, onde você pode ver o preço de todas as locadoras de um mesmo lugar em uma única pesquisa. Faça uma cotação!

6- Bicicleta.

Algumas pessoas optam por alugarem bicicletas para chegarem até o parque, acho super válido, porém algumas trilhas, você não poderá fazer com bike. Você conseguirá ver somente pontos específicos do parque, e deslocará de maneira mais rápida.

Quando ir ao Parque Nacional Tierra del Fuego?

Muitos pensam que assim como a maioria das trilhas da Patagônica, o Parque Nacional Tierra del Fuego fecha no inverno, mas não, ele continua funcionando normalmente. Porém alguns circuitos, por segurança, ficam fechados.

Águas cristalinas e montanhas geladas ao fundo – Paisagens comuns aqui.

Para quem gosta de trekking, nada muda. No inverno continua sendo possível andar bastante por lá, só basta ter coragem para encarrar o frio e seguir as regras à risca, que será uma experiência incrível, sem sombra de dúvida.

A diferença em relação as estações do ano são as paisagens.

Agora vamos falar um pouquinho de cada estação do ano que aqui além de serem na mesma época que no Brasil, são bem definidas.

Primavera: 21 de setembro – 20 de dezembro.

Primavera é a época de árvores verdinhas, paisagens bonitas. O indicado para fugir da alta temporada e seus altos valores é ir nos meses de outubro e meados de novembro.

Verão: 21 de dezembro – 20 de março.

É a altíssima temporada, onde o frio não é tão intenso e podemos desfrutar mais das atividades ao ar livre de forma mais agradável. Outro lado ótimo é que no verão, os dias são logos podendo ter mais de 17 horas de sol em alguns dias. Meados de dezembro e janeiro são os picos da temporada.

Outono: 21 de março – 20 de junho.

O outono nesta região é bem característico e traz o colorido das árvores em todas suas tonalidades.  Um ótimo período também para fugir dos altos preços e pegar bom clima são os meses de março e abril.

Inverno: 21 de junho – 20 de setembro.

No inverno há dias que podem chegar a assustadores -20ºC. Inverno também é alta temporada, com turistas do mundo todo procurando pelas estações de esqui e paisagens geladas na cidade de Ushuaia. Outro detalhe é que os dias são curtos, com poucas horas de sol.

Apesar da baixa temperatura, entre os meses de abril e julho os ventos não são tão intensos. 

Resumindo: O recomendado para fugir da temporada (altos preços) e pegar um bom clima para passeios externos, seriam os meses de outubro, começo de novembro, meados de março e abril.

Recomendo ler: Como planejar uma viagem para patagônia?

Segurança ao visitar o Parque Nacional Tierra del Fuego

Visitar o parque é super seguro e tranquilo, claro para quem segue as regras a risca. As trilhas são todas bem sinalizadas e estruturadas, com isso, só se perde quem quer.

Durante seu passeio, as principais dicas são:

  • Jamais sair dos caminhos demarcados e caminhar fora das áreas autorizadas.
  • Se alguma das tilhas estiver fechadas, respeite a sinalização, e não continue.
  • Não beba água das fontes naturais e riachos do parque. Os campings são próximos, e por isso, não é recomendado.
  • Não acampe fora das áreas indicadas, por risco de quedas de galhos (venta muito).

Utilizar roupas adequadas também é essencial, e esteja sempre preparado para mudança de tempo e temperatura. Para quem não tem roupas impermeáveis é recomendado estar sempre com uma capa de chuva.

Um calçado adequado também é essencial, conheça as botas ecosafety, parceira do Quero Mochilar. Uma das melhores alternativas para trekking quando o assunto é custo benefício.

Cupom: queromochilar – Descontão ->Acesse www.botasecosafety.com.br

Falando em segurança: Você já tem seguro viagem? Não? 
Viajar sem é loucura, portanto nunca faça isso!

O Quero Mochilar fechou parceria com uma famosa marca de seguro viagem e esta com preços imbatíveis. Confira fazendo uma cotação no banner publicitários deste artigo, ou saiba mais sobre os benefícios de fechar o seguro viagem com a gente neste link: Saiba mais

ROTEIRO PARA CONHECER O PARQUE NACIONAL TIERRA DEL FUEGO

Dia 14 – 01/12/2018.

Infelizmente me programei mal, e fui só um dia no parque, hoje penso que poderia ter me planejado para passar pelo menos dois dias por lá.

Para te ajudar vou começar falando das informações principais.

Horário de funcionamento: O parque funciona o ano todo, porém em diferentes horários.

  • Alta temporada – Setembro a abril: das 7h00 às 21h00.
  • Média temporada: Maio a agosto: das 8h00 às 18h00.

Valor entrada: O valor da entrada sofre muitas alterações ao longo do ano, recomendo olhar o site oficial.

  • Paguei: $ 490 ARG ( R$ 57,65 ) – Lembro que o preço subiu neste dia(01/12), pois iniciava dezembro (a alta temporada).

Observações importantes:

  • Aceitam cartões de débido e crédito.
  • Pagamento em dinheiro somente pesos.
  • A entrada é cobrada somente na alta temporada e dentro do horário do guarda-parque, ou seja, de setembro a abril, das 7h00 às 21h00. De maio a agosto ou entre 22h00 e 18h00, não paga-se entrada.
  • Você recebe 50% de desconto para compra do segundo dia, se for consecutivo.
Uma bela vista da trilha costera.

Meu itinerário do dia resumido.

  • Saída de Ushuaia: 10h00.
  • Chegada Baía Enseada (início da trilha): 10h47.
  • Chegada no restaurante do Parque: 14h00.
  • Iniciar parte da Baía Lapataia: 14h20
  • Retorno van na Baia Lapataia: 17h00.
  • Chegada em Ushuaia: 17h40.

Quais as trilhas podemos fazer no Parque Nacional Tierra del Fuego?

O Parque Nacional Tierra del Fuego possui mais de 40 km de trilhas demarcadas e abertas ao público, algumas longas, e outras bem curtinhas de menos de 500 m, ou seja, tem pra todos os estilos.

Importante saber que há cinco trilhas principais no parque, e são necessário dois ou três dias (ideal), para conhece-lo bem e com calma.

Como eu estava cansado de fazer trekking, e com dores fortes no joelho, acabei conhecendo uma trilha só, a dita mais bonita, e também a maior: Trilha Costaneira, porém vou colocar as informações completas para quem que conhecer as demais trilhas.

Trilha 1 – Senda Pampa Alta

  • Dificuldade: Média.
  • Extensão: 4,9 km.
  • Duração: 1h.

O que você vai ver aqui…

Esta trilha pode-se começar de outros pontos, mas a distância que coloquei é desde a Ensenada Zaratiegui, onde há a parada de ônibus para início também da trilha costera. Se estiver no rio pipo, pode fazer esta trilha com 3,7 km.

O auge do trajeto é o mirador, daqui, você terá uma bela vista para o Canal Beagle e para o vale do rio Pipo.

Infelizmente não fiz esta trilha, mas você pode observá-la no mapa no incío do post.

Trilha 2 – Senda Costera com Baía Lapataia

  • Dificuldade: Média.
  • Extensão: 8 km ( Trajeto único – ida).
  • Duração:  3 horas

O que você vai ver aqui…

Esta é tida como a trilha mais linda do parque, percorrendo-a, você vai contornando toda a costa litorânea, entre os bosques, e pela margem, se deparando pelo caminho com muita natureza e belas paisagens.

Início da trilha – Ensenada Zaratiegui.

Há muitas atrações, desde o seu início, que começa na Ensenada Zaratiegui e vai até próximo ao restaurante do parque. No dia, consegui conciliar essa trilha com a Baía Lapataia, onde peguei a van para retornar para cidade.

Ahh,não tirei foto, mas é bom lembrar que é aqui, onde está o correio com o título de mais Austral da América. Não é mais do mundo, pois agora há uma agência na Antártida.

Esta foi a trilha que fiz, e relato um pouco para vocês.

Trilha bem demarcada, não tem como errar nenhum trecho.

A trilha como disse é bem demarcada, e não tem como se perder. Fiz sozinho o trecho todo, e a todo momento encontrava mais pessoas, o fluxo de trilheiros é bem grande aqui.

Há vários pontos de parada as margens do Canal Beagle, onde podemos parar por um tempo para contemplar.

Vamos contornando as margens do Canal Beagle.
De tempo em tempo a trilha passa por belos pontos nas margens, para podermos contemplar as belezas do parque.

Cansado ainda de Paine, este dia meu joelho pifou literalmente. No meio da trilha ele começou a doer demais, mas muito mesmo. Eu nao conseguia dobrar. A trilha por sorte, era muito tranquila, sem muita subida e descida, mas mesmo assim, eu penei para concluí-la. Nunca senti tanta dor para caminhar. Com isso, fui fazendo várias paradas, tentando andar sem muito esforço, e não é que deu certo…. Sofri, mas ainda fiz a parte da Bahia Lapataia, que é mais plana, porém loga.

Fique atento nos detalhes durante o caminho.
Pan de Índio – Um fundo muito comum por aqui, diz ser comestível.
Mais um belo trecho da trilha Costera.
Várias pequenas praias pelo caminho.

Foi um alívio quando vi o ALAKUSH, o restaurante central do parque. Agora eu sabia que iria comer algo, descansar de verdade e decidir, o que fazer.

O Parque tem um ótima infrestrutura

O Alakush é ótimo. Claro, tudo caro, mas nada muito além do que você encontra na avenida San Matín. Aqui você pode se alimentar bem com uma refeição completa, ou comer apenas salgados( como a empanada de centolla ). Há também sobremesas bem apetitosas.

Pra quem está com grana na viagem, e não precisa se preocupar em pequena economias, fica a dica, que você pode comer por aqui e não precisa carregar peso duranta sua caminhada.

Fiquei em torno de uma meia hora aqui, e tinha a tarde toda pela frente. Pensei, o que vou fazer se voltar para a cidade agora? Então decidi ir descendo a pista rumo a Baía Lapataia, que era bem tranquila.

Ao meu tempo, e com cuidado para não fazer muito esforço fui indo passando pelos principais trechos.. e graças a Deus, deu tempo, e meu joelho colaborou. O pior já tinha passado…

3- Trilha Lapataia

  • Dificuldade: baixa.
  • Extensão: Aproximadamente 8 km, junto com a Costera, andei 16 km neste dia.

O setor Baía Lapataia é o mais visitado do parque, por exigir menos esforço e estar no final da Ruta 3. A maioria das suas atrações estão próximas a ruta. Esse circuito é composto por seis trilhas menores.

Lapataia quer dizer baía da madeira na língua nativa daqui (yámana). A baía é formada pelo Canal Beagle, sendo facilmente acessada por carro ou pela trilha.

É aqui que termina ou começa, dependendo da referência, a famosa Ruta Nacional 3. Esta Ruta é famosa, pois termina no Alasca, dá pra crear? Com um total de quase 18.000 km de percurso. Muitos malucos, pegam uma bike, vem até aqui, e começam uma jornada rumo ao seu final no Alasca. Tem também os que fazem de carro e moto, que também deve ser uma aventura e tanto.

Vamos falar um pouco de cada ponto de interesse daqui, que você segue nesta ordem, caso opte por fazer.

1- Paseo de la Isla

Trilha fácil, com dificuldade baixa, de apenas 600 m. Nela você passa por uma pequena ilhazinha do rio lapataia e ovando. Um ótimo lugar para ver aves.

Trilha na ilhazinha.
Símbolos do parque – Vi vários deste casal aqui.
Laguna Verde

2-      Laguna Negra

Também uma trilha fácil, com dificuldade baixa, e apenas 950 m. Quando fui a trilha estava fechada devido o risco de queda de árvores. Respeitei a sinalização e não prossegui. Aqui você vê além da laguna negra, uma tundra (tipo de solo da região) em formação.

Dizem que aqui também há castoreiras.

3-      Mirador Lapataia.

Trilha de baixa dificuldade e curta, 1 km. Daqui temos uma vista panorâmica da baía Lapataia. Ela está conectada a próxima que vou falar (Turbal), sendo um ótima alternativa para chegar até a baia de Lapataia por entre os bosques.

Placas sinalizando direções o tempo todo.

Por ser subida, eu acabei não fazendo ela, pegando o outro caminho da bifurcação, que levava par as castoreiras.

Mirante visto da baía Lapataia

4-      Del Turbal

Trilha de dificuldade baixa, e de 2 km, sendo um circuito alternativo para chagar a Lapataia, eu escolhi esta, pois daqui chega mais fácil as castoreiras (casa dos castores), porém era possível fazer as duas.

Florestas de Lengas e Ñires.

5-      Castoreira

A castoreira você pode conhecer até mesmo se estiver de carro. São apenas 400 m da estrada principal, isso ida e volta.

Um lugar super interessante, onde você pode conhecer o “estrago” que os castores fazem no parque e ao mesmo tempo, se encatar com os grandes engenheiros e construtores de diques que eles são.

Olha isso…

Os castores são animais introduzidos, vindos do Canadá. Inicialmente foram trazidos para Ushuaia 25 casais, com o objetivo de obtenção de pele. Como o negócio não deu certo, os animais foram soltos, e aqui encontraram um lugar ideal para sua reprodução e se adaptaram super bem, e melhor (para eles), aqui não há inimigos naturais, dai já viu… ambiente perfeito para um desequilíbrio ambiental.

Mais estragos já que não vi nenhum..rs. Está vendo este corredor? São as conhecidas castoreiras. Os diques formados por eles, que represam a água.

Para piorar, as árvores aqui, demoram centenas de anos para se decomporem, devido a baixa temperatura. Também para crescerem, tem um rítimo super lento, e isso tudo agrava ainda mas o impacto causado por esta espécie invasora.

Hoje o governo do Chile e Argentina, fazem controle dos castores com a caça mesmo, na tentativa de diminuir os danos ambientais para flora e fauna de região. Estimasse mais de 400 mil animais.

6-  Senda de la Baliza

Quando chegamos no ponto final, encontramos uma trilha feita de passarelas, que percorre a baía lapataia. São 1.500 m opercurso todo. Eu estava tão cansado, vi que a paisagem não mudaria se eu andasse e então caminhei só o começo dela.

Final da famosa Ruta 3 e caminho para as passarelas.
Baía Lapataia
A foto emblemática daqui (fim da Ruta 3).

E aqui peguei a van de volta para a cidade, às 17h00, e retornei para minha cervejinha e descanso merecido.

Agora para finalizar o post, vou falar um pouco das outras duas trilhas, que não fiz, mas segue informações para quem interessar.

Ambas podem ser feitas no mesmo dia, já que parte do trajeto é o mesmo. Porém, será muuuuito puxado.

Trilha 4 – Senda Hito XXIV

  • Dificuldade: Média.
  • Extensão: 3,5 km (ida).
  • Duração: 3 horas (ida e volta)

O que você vai ver aqui…

O Hito XXIV é a fronteira entre Chile e Argentina. A linha imaginária passa pelo Lago Roca, e separa o lago em duas partes, a chilena e a argentina. Você pode fazer essa trilha, como eu disse, com o Cerro Guanaco, pois estão na mesma direção. São cerca de 3 km desde a bifurcação para o Cerro Guanaco e a caminhada é fácil e plana.

Trilha 1 – Senda Cerro Guanaco

  • Dificuldade: Alta – com muita subida.
  • Extensão: 4 km – Partindo do Alakush (ida) – 7 km a partir de centro de visitantes (ida).
  • Duração: 4 horas até o cume.

O que você vai ver aqui…

Você chegará ao cume do Cerro Guamano, há 971 metros de altitude, e de prêmio terá uma bela vista para a cordilheira fueguina e suas tundras.

Para encará-la tenha certeza das condições do tempo para o dia da aventura. Quando há muito perigo, costumam até fechá-la por segurança.

A vista do topo é espetacular, é possível ver o Canal do Beagle, a cidade de Ushuaia e toda a cadeia de montanhas ao redor. Normalmente há neve no cume e é muito comum avistar guanacos durante a caminhada.

E DAÍ, QUANTO FICOU A BRINCADEIRA??

Gasto total para visita: $ 1.416 ARG  – R$ 166,59 .

  • Transporte regular:  $ 700 ARG (R$ 82,35)
  • Entrada: $ 490 ARG (R$ 57,65)
  • Empanada de centolla no restaurante do parque: $ 100 ARG (R$ 11,76).
  • Lanches para levar: $ 126 ARG (R$ 14,82)

Quer saber em detalhe todos os gastos desta viagem e ainda algumas outras dicas? LEIA:  QUANTO CUSTA UMA VIAGEM PARA PATAGÔNIA?

OUTRAS INFORMAÇÕES ÚTEIS.

Fuso Horário: (-) 1 h (Brasília) – No horário de verão, resto do ano mesmo horário que o Brasil.

Língua: Espanhol.

Moeda

A moeda usada na Argentina é o peso argentino.

Na minha viagem, a conversão média era de R$ 1,00 = $ 8,5 ARS. Divida o valor em pesos por 8,5 para saber o valor em reais.

Gorjetas: Nós brasileiros não temos costume de dar gorjetas, na verdade temos até dificuldade, mas como na maioria das cidades turísticas, elas são sempre bem vindas e esperadas. O ideal é pagar no mínimo 10%.

Cartões de crédito e débito: São bem aceitos no parque.

Tomada

Usam o padrão I (o mesmo da Oceania e China), que é aquela tomada com três pinos achatados.

NÃO POSSO DEIXAR DE PROVAR…

Quer saber o que provar em Ushuaia, leia este post que tem tudo completinho.

LIÇÕES APRENDIDAS.

1- Incrível: Mas pro ruim (rs). Cheguei em Ushuaia dia 30/11 e dia 01/12 tudo subiu de preço. Inclusive a entrada do parque.

2- Carimbo passaporte: Muitos aproveitam a ida no parque para carimbar o passaporte oficial com o carimbo do fim do mundo. Ouvi um relato, de uma turista que teve seu passaporte rejeitado em Portugal, por isso. Foi como se ela o tivesse invalidado. Não tenho fonte para essa informação, mas fica a dica.

3- Não alimente animais, para não prejudica-los. Você pode deixá-lo dependente de comida de turistas e até levar doenças.

4- Importante lembrar de carregar seu próprio lixo.

5- Leve lanche e água para passar o dia todo aqui.

6- Roteiro Ideal pra mim para o Parque Nacional Tierra del Fuego – experiência completa:

  • Dia 01: Senda Costera + Lapataia.
  • Dia 02: Cerro Guanaco + Hito XXIV.
  • Dia 03: Trem do fim do mundo e Senda Pampa Alta.

A VIAGEM CONTINUA…

Gostou? Compartilhe! Tem alguma sugestão ou atualização de informação? Enriqueça a pesquisa de seus amigos nos comentários. Além de ajudar o próximo viajante é super importante a opinião de vocês para o blog.

QUEM PODE TE AJUDAR?

  • A BRASILEIROS EM USHUAIA foi uma parceria do blog em alguns passeios por Ushuaia e pode ajudar você. Dê uma olhada nos seus roteiros.

Vai viajar? Planeje toda sua viagem pelo Quero Mochilar!

O Quero Mochilar tem te ajudado com dicas e roteiros para o seu planejamento? Então que tal nos ajudar sem pagar nada a mais por isso, simplesmente fechando sua viagem com os serviços oferecidos pelas parceiras do Blog.

GARANTA AQUI

SEGURO VIAGEM – HOSPEDAGEM – ALUGUEL DE CARRO – TOURS – PASSAGENS AÉREAS – RESERVAS – CHIP DE CELULAR

Além de garantir sua programação com segurança, você estará ajudando a manter o site no ar cheio de dicas para você, sem gastar nada a mais por isso.

Siga-nos
error0

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Language »