El Calafate – Argentina

El Calafate- terra dos enormes glaciares, patrimônio mundial da humanidade e de uma beleza de tirar o fôlego- uma cidade pequena, aos pés do Parque Nacional mais visitado da Argentina, repleta de natureza e belas paisagens, e sem sombra de dúvidas um dos destinos imperdíveis do mundo para quem ama viajar! 

INFORMAÇÕES DE: Novembro de 2018.

ROTEIRO PARA: 3 dias.

TIPO DE VIAGEM: Mochilão de Férias Patagônia e Terra do Fogo – Parte I.

HOSPEDAGEM: Calafate Hostel – R$ 73,00 / dia.

Preço de quarto misto com 4 camas. Neste valor também está incluso o café da manhã, que é muito bom para um hostel. O Calafate hostel é bem localizado, a equipe ótima e tem um clima bem agradável para fazer amizades.

Consulte e reserve sua estadia pelo BOOKING.COM nos atalhos do blog, estas reservas viram pequenas comissões, VOCÊ NÃO PAGA NADA A MAIS POR ISSO, e estará ajudando o Blog a se manter no ar, monetizando nosso trabalho e rendendo ótimas dicas para você.

Booking.com

SOBRE EL CALAFATE

El Calafate, lugar de um dos patrimônios da humanidade da UNESCO, o Glacial Perito Moreno, que também é uma das principais e mais procuradas atrações da Patagônia.

O nome da cidade vem de um arbusto, muito comum na região, cujo seus frutos se fazem doces, licores e geleias. A cidade, na província de Santa Cruz, é pequena, e vive basicamente do turismo, possui aproximadamente 21 mil habitantes.

Próxima também a fronteira com o Chile, El Calafate é a cidade mais próxima do Parque Nacional Los Glaciares (80 quilômetros), e é lá, onde encontramos a maior geleira em extensão horizontal do mundo: o Glaciar Perito Moreno, que encontra-se constantemente em evolução e pasmem, ainda crescendo, não indo de encontro com os efeitos do aquecimento global.

Como chegar em El Calafate?

Com acesso bem estruturado, é possível chegar em El Calafate de carro, ônibus e avião, e a maneira de chegar vai depender do seu tipo de viagem e tempo para fazê-la.

Uma informação importante a se saber é: As distâncias das principais cidades:

  • Buenos Aires: 2.768 km – 32 horas.
  • Río Gallegos (Capital do estado): 305 km – 3h 27 min.
  • Ushuaia: 878 km – 11horas.

Minha Experiência:

Não falarei aqui de deslocamento por terra (ônibus/carro), vou relatar informações para quem vai chegar via aeroporto.

Primeiro, não existe voo direto do Brasil. Todos param em Buenos Aires, e geralmente trocamos de avião para continuar a viagem.

A companhia aérea com os melhores preços, é a Aerolíneas Argentinas, onde a desvantagem é que temos que pagar o valor total em uma única vez, não dividem… rs.

Duração dos voos:

  • Voo do Brasil a Buenos Aires: 2 h 55 min.
  • Buenos Aires a El Calafate: 3 h 15 min.

Na minha viagem, parti 00h25 de São Paulo, cheguei em Buenos Aires (Ezeiza) 02h20 min, e parti para El Calafate somente às 07h10, chegando às 10h25.

Foto: Chegando em El Calafate – Gente!! Cachoalha muuuuuuuuuito! rs.

Comprei um voo de Guarulhos que chegava no aeroporto Ezeiza, em Buenos Aires, e lá eu tive que me deslocar para o outro aeroporto, o Aeroparque, que são bem distantes.

ATENÇÃO: Se tiver que trocar de aeroporto em Buenos Aires, a Aerolíneas Argentina tem na passagem aérea já incluso, o transfer de um aeroporto para outro. Porém para usá-lo, você tem que imprimir o voucher aqui no Brasil e levar junto. Eu não imprimi antes da viagem e tive que procurar um locutório, chamado Telecom, que esta localizado fora do aeroporto para imprimir meu voucher.

Observação sobre transfer entre os aeroportos de Buenos Aires:

  • Os transfers entre os aeroportos são de hora e hora.
  • Há horários de madrugada também.
  • Empresa que faz: Tenda León – Localizada próxima ao balcão de informações do Ezeiza.
  • Valor do translado: $ 420 ARS (R$ 49,41).
  • Valor imprimir voucher: $ 40 ARS (R$ 4,70).
  • Para emitir a passagem do transfer pela internet, preencher: somente sobrenome e voo. Nome completo dá erro.

Antes de comprar sua passagem, cote na P2P milhas, muitas vezes compensa comprar nossa passagem aérea assim, com milhas. Saiba mais clicando abaixo.

p2p-milhas

Quando ir para El Calafate?

A melhor época para visitar El Calafate é de outubro a março, quando também é alta temporada, sendo que os meses mais procurados são: dezembro, janeiro e fevereiro, quando o preço de tudo dispara.

Pra fugir um pouquinho em relação a preços da alta temporada, é melhor escolher viajar em outubro e março.

Para curtir El Calafate é melhor fugir do inverno, pois além de ser muuuuito frio, muitas trilhas e passeios não são possíveis.

Outro lado bom do verão, é que os dias são muito longos, o sol se põe próximo às 22h30.

OBSERVAÇÃO IMPORTANTE PARA ESCOLHER DATA:

Dia 15 de fevereiro ocorre  uma celebração chamada: batismo do Lago Argentino. Se for nesta época as reservas têm que ser feita com muita antecedência, pois a cidade fica lotadíssima.

Recomendo ler para planejar sua viagem: Como planejar uma viagem para patagônia?

Segurança em El Calafate 

El Calafate é super tranquila e segura, andei por lá sem medo nenhum tanto de dia, quanto de noite e me senti seguro. Claro, que mesmo assim, mantive os cuidados que sempre tenho em todos lugares turísticos, como prestar atenção ao redor, separar o dinheiro em vários lugares da roupa e mochila, usar doleira etc. 

Falando em segurança: Você já tem seguro viagem? Não?
Viajar sem é loucura, portanto nunca faça isso!

O Quero Mochilar fechou parceria com uma famosa marca de seguro viagem e está com preços imbatíveis. Confira fazendo uma cotação no banner publicitários deste artigo, ou saiba mais sobre os benefícios de fechar o seguro viagem com a gente neste link: Saiba mais.

ROTEIRO EL CALAFATE

 Dia 1 a 3 – 18 a 20/11/2018

Dia 01 – Chegada e conhecendo El Calafate.

Cheguei em El Calafate às 10h25, e tinha o dia todo pela frente, na verdade um dia bem grande, pois lá só anoitece por volta das 22h30 nesta época do ano.

Foto: El Calafate – Vista do Museu Glaciarium.

Assim que chegamos, a primeira coisa a se saber é:

Como ir do aeroporto de El Calafate para o centro da cidade?

O aeroporto fica bem afastado da cidade, 21 km, em torno de meia hora de viagem. E para se deslocar você tem duas opções:

  • Táxi – $ 700 ARS (R$ 82,35).
  • Trasfer: Mini ônibus:

– Ida $ 250 ARS (R$ 29,41).
– Ida e volta: $ 350 (R$ 41,18): Você já deixa agendado a sua volta.

Caso não queira comprar ida e volta, na cidade você consegue fechar o transfer por$ 140 ARS (R$ 16,47).

Conhecendo El Calafate

Como foi meu primeiro dia…

Chegando na cidade, fiz meu check in, peguei as explicações e mapa de Calafate e então sai primeiro de tudo para ir ao supermercado (La Anonima), que fica na avenida principal, próximo ao hostel.

Foto: Vindo do supermercado com água, bolachas, frutas etc… para evitar gastar na rua.

Tudo pronto, fui direto para o principal Museu da cidade, O Glaciarium. Após conhecer o museu fui percorrer com calma as ruas do centro e a Laguna Nimez.

Deixei o primeiro dia, como chegaria tarde, para entender a cidade, e foi ótimo!

Recomendo conhecer as atrações da cidade no dia da sua chegada, e nas voltas dos passeios mais distantes que farão nos próximos dias da sua estadia, pois como anoitece bem tarde, você consegue aproveitar bastante seu tempo.

Agora vamos ao que interessa…

O QUE FAZER EM EL CALAFATE?

1- GLACIARIUM – Museu do gelo patagônico.

Horário de funcionamento:  Diariamente.

  • Maio a agosto: Das 11h00 às 19h00.
  • Setembro a abril: Das 09h00 às 20h00.

Valor: $ 480 (R$ 56,47 ) – Preço Novembro.

Foto: Entrada para o museu.
Foto: Aproveite e vista daqui para o lago argentino e para a cidade.

Como chegar no Glaciarium?

O museu está um pouco distante da cidade, cerca de 6 km, na estrada que tomamos para ir até o Perito Moreno.

Para chegar até lá, você não precisa gastar. Há um traslado gratuito que sai do estacionamento da Secretaria de Turismo, no centro da cidade, a cada 1h, e na alta temporada a cada 30 minutos. Só perguntar a localização que encontra o lugar fácil.

Os transfer começas às 11h00 e termina às 18h00. Não se preocupe que há também transfer gratuito para voltar.

Um pouco sobre o Glaciarium…

Este lugar é um centro de interpretação que conta a história dos glaciares, e sua importância. O lugar é muito bem estruturado, e usa vários recursos para nos ensinar como: maquetes, fotografias e vídeos.

Foto: Museu bem estruturado e com muitos recursos visuais.

Como estamos na terra dos glaciares, não há lugar melhor para começarmos a visita para entender onde estamos e como funciona a formação das geleiras.

Foto: Visita autoguiada, só ter paciência para ler e assistir os filmes que aprenderá muito.

É interessante? Sim, Muito! Porém penso que poderia ter um preço mais acessível, assim digamos.

Visita rápida, em uma hora e meia você conhece tudo e assiste os vídeos ( um de 5 minutos de duração e outro de 24).

Foto: Formações, ou melhor, esculturas com o desgelo.

Você sai de lá, e nos demais dias, vê tudo aquilo que aprendeu ali na prática, por isso vale a pena.

Foto: Fotografia aérea da principal atração da cidade – Glacial Perito Moreno.

Dentro do subsolo do próprio museu há o famoso bar de gelo, o Glaciobar, que vou falar agora de modo geral, pois os bares de gelo são outras das principais atrações de El Calafate.

2- Bares de Gelo em EL Calafate

Outra atração muito procurada em El Calafate são os bares de gelo. Há 3 na cidade, e creio ser o mesmo estilo todos, portanto, dá pra optar pelo mais barato – que não foi o que escolhi … rs.

Eu já tinha ido em um em Puerto Iguazú (Argentina), não sei porque fui aqui também, creio que foi a empolgação do primeiro dia, pois não tinha necessidade, ainda mais sozinho…rs.

Como funcionam?

De maneira geral lá dentro tudo é feito de gelo: paredes, chão e até os copos. Para entrar te dão uma vestimenta especial e você pode permanecer lá dentro 25 minutos, e neste tempo beber o que quiser, bebidas alcoólicas ou não, ao som de várias músicas animadas.

Achou pouco tempo? Não se preocupe antes disso você já vai querer sair… é muito incomodo o frio a menos zero.

Quais são os bares de gelo de El Calafate?

GLACIOBAR

Horário: Diariamente.

  • Setembro a março: Das 9h00 às 20h00.
  • Abril a agosto: Das 11h00 às 19h00.

Valor: $ 300 ARG (R$ 35,29)

Este é o que está no subsolo do museu, e foi o que eu escolhi para ir.

Foto: Dentro do bar de gelo do museu Glaciarium – paga separado da entrada do museu.
Foto: Gelar a bunda pra fotos…rs. Ficar lá só em pé mesmo.
Foto: Temperatura interna.

Dicas:

– Tire fotos logo no inicio: Com o tempo, o celular desliga sozinho de frio. Ele volta, mas dá uma “pifada” momentânea. Também o frio consome mais rápido a bateria de todos os aparelhos eletrônicos.

– No hostel geralmente eles dão desconto de 10 a 15% para estes bares de gelo – Peça seu cupom.

Se preferir, você pode escolher ir em um dos bares de gelo do centro da cidade, que tem um preço um pouco mais em conta e funciona até às 22h00. Ambos estão localizados na avenida principal (Libertador), são eles:

YETI ICE BAR
POLARBAR

3- AVENIDA DEL LIBERTADOR GENERAL SAN MARTÍN

El Calafate, assim como toda cidade turística, tem uma avenida principal bem movimentada e cheia de restaurantes, lojas, artesanato e tudo mais que você precisar.

Foto: Avenida principal cheia de pinheiros e bem limpinha.

Nesta avenida também estão as agências que vendem os tours pela cidade e região, aproveite seu primeiro dia para pesquisar preços e fechar sua programação.

Foto: Aqui neste lugar é onde você irá pegar seus mapas, e inteirar-se sobre El Chaltén e EL Calafate.

Lembrando que na maioria dos hostels e hotéis também vendem os passeios, e os preços não variam muito de uma agência para outra.

Foto: Avenida vista de outro ângulo.

Nesta avenida é onde você passará seu tempo livre, comendo bem, bebendo sua cervejinha e se divertindo… explore-a bastante!!!

Foto: Há vários restaurante que fica exibindo nas vitrines o prato principal de El Calafate – O Cordeiro Patagônico.

Nesta praça também está localizada a praça Héroes de Malvinas. Inaugurada em 2014, nesta praça há um monumento dedicado aos mortos e feridos na Guerra das Malvinas. Está foi uma guerra pela disputa das Ilhas Malvinas entre Argentina e Reino Unido em 1982.  

Foto: Monumento.

O monumento constitui de um mural metálico com o contorno do arquipélago, e uma escultura de cimento de quase três metros de altura representando uma figura feminina de traços indígenas com a Constituição da Nação Argentina e uma lança nas mãos.

4- Laguna Nimez

Horário de funcionamento: Das 9h30 às 18h30.

Valor: $ 250 ARS (R$ 29,41).

Bem próximo ao centro da cidade, podendo ir a pé, há uma lagoa que é ponto de parada para várias aves, incluindo flamingos.

Foto: Recepção da entrada da lagoa.

Pagando para entrar, você faz uma caminhada de 3 km observando as aves. O circuito é todo autoguiado. Como não é tampado você pode ver todo o trajeto e a lagoa pelo lado de fora, por isso, acabei não entrando… rs. Me contentei vendo os flamingos de fora mesmo.

Foto: Inicio da trilha.
Foto: O belo Flamingo – Ave típica da região.
Foto: Laguna a frente e lago argentino ao fundo.
Foto: Ganso cauquén.
Foto: Conheço esta ave do Mato Grosso do Sul, como curicaca. Nunca imaginei vê-la por aqui.

Então pessoal. Estes foram os passeios urbanos que consegui fazer e priorizei, porém El Calafate ainda tem outras atrações, que acabei não conhecendo como: outros dois museus, um que conta a história de jogos argentinos e outro da tecnologia.

Estas são as principais atrações da cidade, agora vou resumir o que mais você pode fazer por lá.

QUE PASSEIOS FAZER EM EL CALAFATE?

PERITO MORENO: Obrigatório, todo mundo vai para El Calafate para conhecê-lo.  Reserve um dia inteiro para o famoso Glacial. Vou falar um post inteirinho só dele.

Foto: Caminhar no glacial é uma experiência imperdível.

RIOS DE HIELO: Navegação pelo lago argentino para conhecer outros dois famosos glaciares do Parque Nacional dos Glaciares.

Foto: Também foi um dos passeios que escolhi e vou falar um post inteiro sobre ele.

ESTÂNCIAS– Visitar estâncias com vista para lagos, montanhas e glaciares e outra atração oferecida na cidade. Geralmente há duas saídas diárias, sendo uma na parte da manhã e outra na parte da tarde. As mais famosas são:

  • Estância Cristina: passa pelo Brazo Cristina do Lago Argentino.
  • Estância Nibepo Aike: Demonstração de tosquia de ovelha, churrasco e cavalgada.

BOSQUE PETRIFICADO LA LEONA – Esse é um bosque com árvores petrificadas que se parecem com rochas, e dizem ser bem interessante e eu gostaria muito de ter feito.

BALCÓN DE EL CALAFATE: Tour em um caminhão adaptado, para ver a cidade do alto entre as montanhas. Tem uma duração de 3 horas. Outra opção para meio período do dia.

BATE E VOLTA DE EL CALAFATE

Eu recomendo mais que um bate e volta para estes lugares, mas quem não tiver esse tempo, há as possibilidades:

EL CHALTÉN: Cidadezinha aos pés da montanha Fitz Roy, conhecida como a capital argentina do trekking e porta de entrada para o setor norte do Parque Nacional Los Glaciares. São várias as opções de passeio sugeridas de bate e volta para esta charmosa cidade.

Foto: Fitz Roy – Símbolo de El Chaltén.

TORRES DEL PAINE: Este é um dos parque mais famosos de Chile, e se você optar por este passeio, passará a maior parte das 14 horas em um ônibus. Penso que vale mais ir para Puerto Natales de busão e fazer o tour de lá.

Foto: Torres del Paine – Chile.

E DAÍ, QUANTO FICOU A BRINCADEIRA??

Gasto total primeiro dia em El Calafate: $ 2.519,5 ARS – R$ 296,42 .

  • Transfer Aeroporto:  $  350 ARS – R$ 41,18.
  • Hostel: $  620,5 ARS – R$ 73,00.
  • Supermercado : $ 379,15 ARS – R$ 44,60.
  • Museu: $ 480 ARS – R$ 56,47.
  • Bar de Gelo: $ 300 ARS – R$ 35,29.
  • Gorjeta bar de gelo: $ 10 ARS – R$ 1,18.
  • Cordeiro Patagônico (Jantar): $ 380 ARS – R$ 44,70.

Usei a cotação média de 8,5 pesos para R$ 1,00.

Quer saber em detalhe todos os gastos desta viagem e ainda algumas outras dicas?

LEIA:  QUANTO CUSTA UMA VIAGEM PARA PATAGÔNIA?

NÃO POSSO DEIXAR DE PROVAR…

Tem brasileiro que reclama que a comida argentina é sem tempero, e carregar no tempero é coisa de brasileiro mesmo. Esqueça isso e aproveite! Você esta viajando e conhecendo coisas diferentes.

Em El Calafate, não deixe de provar:

1- Cordeiro Patagônico: Prato típico da região.


Foto: La Tolderia Resto Bar – $ 380 ARS ( R$ 44,71).

Guizados: Tipo uma sopa, e muito apreciado por lá também.


Foto: Guizado de Lentejas (Lentilhas) – Restaurante Pura Vida – $ 460 (R$ 54,11) incluindo bebida.

Empanadas: Salgado típico, muito popular no país.

Foto: Tão popular como a coxinha no Brasil- $ 60 (R$7,00)

Doce de Leite Argentino: Desculpem os mineiros, mas pra mim é o melhor que existe!


Foto: Aproveite o friozinho para um chocolate quente Este perde até para nosso (De Gramado).

Ainda é muito popular em EL Calafate, comer:

  • Trutas
  • Chorizos

LIÇÕES APRENDIDAS.

  1. Na minha experiência, achei El Calafate à cidade mais cara da viagem.
  2. Deixe o primeiro dia, o da chegada, para fechar seus passeios dos próximos dias, de acordo com a previsão do tempo.
  3. Se for alta temporada, e tiver poucos dias na cidade, é recomendado reservar somente o Minitrekking e o Big Ice com antecedência, que tem número de vagas limitado.
  4. Você consegue descontos nos passeios, que são caros, somente se fechar combos e pagar em dinheiro vivo (pesos principalmente).
  5.  Roteiro ideal – minha opinião: 3 dias.

Dia 01:  Chegada. Conhecer a cidade: Avenida principal, museus, Laguna Nimez etc.. E ainda pode fazer uma opção de passeio a partir das 15h, se chegar pela manhã ou reservar o tempo para passar nas agências.

Dia 02: Minitrekking + passarelas – Conheça no mesmo dia, para pagar uma entrada só no parque.

Dia 03:  Ríos de Hielo: Bem Aparecida do Norte, você vai em uma excursão de barco com vários velhinhos… rs, mas eu adorei ver os icebers, acho que vale a pena para quem conseguir encaixar no seu orçamento – que é um pouco caro, quando se faz junto com o minitrekking.

OUTRAS INFORMAÇÕES ÚTEIS.

Fuso Horário: (-) 1 h (Brasília) – No horário de verão, resto do ano mesmo horário que o Brasil.

Língua: Espanhol.

Moeda

A moeda usada na Argentina é o peso argentino.

Na minha viagem, a conversão média era de R$ 1,00 = $ 8,5 ARS.

DICA PARA FAZER BOAS CONVERSÕES:  QUANTO CUSTA UMA VIAGEM PARA PATAGÔNIA?

Gorjetas: Nós brasileiros não temos costume de dar gorjetas, na verdade temos até dificuldade… rs, mas como na maioria das cidades turísticas, elas são sempre bem vindas e esperadas. O ideal é pagar no mínimo 10%.

Vistos e Vacinas

Boa pra nós!

Brasileiros não precisam de visto para permanência menor que 90 dias e é exigido somente RG para entrada no país. Pedem que seja um documento em boas condições e com no máximo 10 anos de emissão.

Não é obrigatório a vacina contra febre amarela (certificado com validade internacional) e nenhuma outra.

ATENÇÃO: Sempre pesquise estas informações no site do consulado, pois pode haver mudanças.

Tomada

Usam o padrão I (o mesmo da Oceania e China), que é aquela tomada com três pinos achatados.

Foto: Estas duas bolinhas são exceções, normalmente não tem.

Recomendo levar um adaptador universal. Geralmente os hostel e hotéis, usam padrões de tomadas diferentes do mais usual no país.

Voltagem: 220 V.

A VIAGEM CONTINUA…

Relato Anterior: A viagem começa aqui.

Próximo Relato: Glacial Perito Moreno .

Gostou? Compartilhe! Tem alguma sugestão ou atualização de informação? Enriqueça a pesquisa de seus amigos nos comentários. Além de ajudar o próximo viajante é super importante a opinião de vocês para o blog.

QUEM PODE TE AJUDAR?

Agência de viagens de confiança, e que fala nossa lingua. A empresa trabalha com vários tours pela Patagônia e Terra do Fogo.

Vai viajar? Planeje toda sua viagem pelo Quero Mochilar!

O Quero Mochilar tem te ajudado com dicas e roteiros para o seu planejamento? Então que tal nos ajudar sem pagar nada a mais por isso, simplesmente fechando sua viagem com os serviços oferecidos pelas parceiras do Blog.

GARANTA AQUI

SEGURO VIAGEM – HOSPEDAGEM – ALUGUEL DE CARRO – TOURS – PASSAGENS AÉREAS – RESERVAS – CHIP DE CELULAR

Além de garantir sua programação com segurança, você estará ajudando a manter o site no ar cheio de dicas para você, sem gastar nada a mais por isso.

Siga-nos
0
  1. Marina Valin diz:

    Muito legal Marton! Adorei as dicas (principalmente a do transfer nos aeros de Buenos Aires). Já fiz minhas anotações aqui, parabéns pelo trabalho! Abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar essas tags e atributos HTML :

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Language »