Paraty

Paraty é um daqueles lugares que você conhece e quer voltar. Linda, com praias exuberantes e rodeadas por serras com florestas verdes, criando um cenário de paraíso. E tudo isso no meio de muita história, cultura e comida boa… como não amar?

  • INFORMAÇÕESJaneiro de 2020.
  • ROTEIRO FEITO:  3 dias – Ideal pelo menos 4 ou 5 dias na região.
  • TIPO DE VIAGEM:  Viagem independente – Férias – Parte III.

SOBRE PARATY

Fundada em 1667 ao redor da Igreja de Nossa Senhora dos Remédios, a padroeira da cidade, Paraty já foi um dos principais centros econômicos e culturais do país, tendo sua economia girando em torno da cana-de-açúcar e por isso mesmo a cidade é até hoje sinônimo de boa aguardente.

Bela e aconchegante, essa antiga cidade colonial é considerada hoje Patrimônio Histórico Nacional e ainda preserva muito bem os seus inúmeros encantos naturais e arquitetônicos.

Não tem como não se encantar por Paraty, que além de te fazer voltar no tempo, está rodeada de montanhas cobertas de mata atlântica, tornando-a uma das mais belas cidades da Costa Verde do Brasil.

Onde se hospedar em Paraty?

Pessoal, já coloquem na sua “cachola” que Paraty é um destino caro até mesmo fora de temporada e em temporada então nem se fala.

O importante é reservar sempre com muita antecedência, pois as melhores opções custo x benefício se esgotam rápido.

Em relação ao estilo de hospedagem, aqui há para todos os gostos: De hostel e camping há hotéis super luxuosos.

Para reservar sua hospedagem é importante que você entenda um pouquinho de cada região: 

1- Centro Histórico: É o melhor lugar para se hospedar e consequentemente o mais caro. Uma vantagem de se hospedar no centro para quem está de carro ou não, é economizar com estacionamento e deslocamento. Para se ter uma ideia o estacionamento particular no centro em temporada (final de ano) é coisa de R$ 20,00 a R$ 30,00 conto. Recorrer a bairros próximos, onde também há muitas opções de hospedagem, pode te ajudar a reduzir seu custo com hospedagem na região mais central.

2- Praia do Pontal: Essa praia está ao norte do Centro Histórico, cerca de 10 minutos a pé, sendo a praia mais popular de Paraty. Nela há vários bares e quiosques. Aqui os preços das hospedagens já são melhores que o centro.

3- Praia do Jabaquara: Essa praia é uma opção para quem deseja ficar um pouco mais isolado, mas não distante do Centro Histórico. Essa é a praia favorita dos locais, com uma grande faixa de areia. Está 20 minutos a pé do centro e é bem mais silenciosa e tranquila.

4- Bairros afastados e não populares: Você pode reduzir consideravelmente os custos da sua hospedagem ficando em casas alugadas no Airbnb afastadas do centro –  a desvantagem é seu deslocamento para lá.

Saiba como reservar sua hospedagem com segurança e qualidade, usando a melhor ferramenta de busca de hotéis do mercado.

CONSULTAR AQUI.

MINHA HOSPEDAGEM:  Casa Alugada – R$ 1.200,00 / 4 noites – R$ 300,00 / por noite.

Fiquei em uma casa bem distante do centro por conta dos preços assustadores do ano novo, com localização no bairro Caborê. A casa era bem afastada, o caminho escuro e era bem ruim: quente e cheeeeia de baratas. 

Como chegar em Paraty?

Para chegar até esse paraíso histórico há mais de uma rota e o transito em cada uma delas depende muito do dia e horário, além de sorte.

Não estranhe engarrafamentos, pois é comum nos finais de semana e temporada, por isso prepare-se psicologicamente. Apesar dos trajetos em km serem curtos, chegar até lá sempre leva um tempinho a mais do que pensamos por causa das curvas.

As principais cidades de acesso a Paraty são: São Paulo e Rio de Janeiro. Em relação a cada uma delas:

  • Rio de Janeiro (240 km): Melhor rota é pela BR-101 (Rio – Santos), você viaja contornando o litoral e dizem que a viagem é magnífica, pois estamos atravessando a conhecida Costa Verde.
  • São Paulo (270 km): A BR-116 até Guaratinguetá é uma boa opção. O trajeto final é pela BR-459.

Ônibus:

  • Desde o Rio de Janeiro: Há nos dois aeroportos do Rio (Galeão e Santos Dummont) um ônibus executivo conhecido por “Frescão”, que te leva até a Rodoviária Novo Rio, de onde você pode comprar passagens para Paraty com a Viação Costa Verde. Os horário são geralmente entre 5h00 e 21h00 todos os dias, e o valor é de aproximadamente R$ 80,00. A viagem dura um pouco mais de 4 horas e meia.
  • Desde São Paulo: São 6 horas de viagem e a passagem sai em torno de R$ 60,00 pela Reunidas Paulista

Minha experiência:

Eu estava viajando já tinha alguns dias e havia passado por São Thomé das Letras, Aiuruoca e Penedo. Por isso acabei vindo para Paraty por Cunha pela BR 459. A viagem neste trajeto de serra é bem lenta.

Quando fui ainda estava um pouco nublado e isso criou um cenário super exótico, que me fez demorar um pouquinho mais para chegar, porém me fez curtir ainda mais (amo paisagens).

Apesar das milhares de curvas e velocidade ultra lenta, a viagem é tranquila, porém requer muita atenção do motorista.

Quando ir a Paraty?

Paraty é muito turística e próxima a duas grandes capitais, portanto está sempre cheia. A alta temporada e os preços mais altos são nos meses de verão e de férias escolares: dezembro a fevereiro e em qualquer feriado, independente da época do ano.

A cidade também é muito movimentada por eventos, portanto se quer ir para lá, recomendo pesquisar antes o calendário de eventos no site oficial da cidade.

Em Paraty também chove muito, esteja preparado. De maneira geral:

  • Período mais chuvoso – Novembro a Março.
  • Meses mais secos – Junho, Julho e Agosto.
  • Frio: Junho, Julho Agosto.

Portanto meus amigos a melhor hora de conhecer Paraty depende muito dos seus plano e desejos: Por isso leve sempre em conta para decidir sua viagem:

  • Clima: Se quer curtir a praia.
  • Temporada: Festivais e temporadas (multidões) por causa dos altos preços. 

Segurança em Paraty

Paraty é bela e hospitaleira, porém também é um lugar que você não pode dar bobeira (opa, rimei… rs).

Evite andar sozinho em lugares afastados e longe de multidões, voltar à noite por ruas escuras também não é recomendado. Aqui é um lugar que você não pode por sua sorte em jogo! Cuide-se.

Agora vamos falar de segurança no seu lazer, pois um lugar repleto de aventura e trilhas um calçado adequado é essencial.

Vocês conhecem as Botas Ecosafety? Não… Então eu te apresento.

Especialista em trekking e aventura, te garanto que você não encontra melhor custo benefício no mercado. Couro legítimo, com qualidade e estilo.

Saiba um pouco mais e conheça modelos: Aqui.

Conhece os benefícios de se fazer um seguro viagem para viagens nacionais?

Nem só para viagens internacionais os seguros viagens são importantes. Além de cobrir imprevistos e acidentes, eles também cobrem: Bagagens extraviadas, danos, viagens canceladas entre outros.

 

Saiba vantagens do seguro viagem para viajar pelo Brasil – Aqui.

o que fazer Paraty - RJ

ROTEIRO PARA PARATY

No meu primeiro dia na cidade cheguei à noitinha, foi uma viagem longa e cansativa, porém belíssima.

Chegando fui direto para minha casa alugada, que era muito isolada da cidade, deixei minhas coisas, tomei um banho e fui direto para rua.

Andar no centro histórico sem rumo durante à noite é sem dúvida uma das melhores coisas para se fazer aqui. A cidade é super movimentada, tem muitos restaurantes, lojas e curiosidades.

Nesta noite, encontrei um ótimo restaurante: Dom João, que estava um pouco fora do centro histórico e era excelente, assim dei boas vinda com estilo à cidade.

Antes de começar a falar do que tem para fazer por aqui é bom esclarecer alguns pontos.

O que é bom você saber sobre Paraty?

Gostaria de citar algumas coisas que sempre é bom saber:

  • Não há Uber (até janeiro de 2020 (pelo menos), porém há muitas pessoas que fazem serviço de táxi e também táxis oficiais. Recomendo pegar o contato com um dos moradores onde se hospedar.
  • Estacionar no centro é bem complicado, ainda mais à noite (temporada), além de ser caro. Fiquei isolado e cada noite que ia para o centro eu tinha que pagar de R$ 20,00 a R$ 30,00 em estacionamento particular.
  • Próximo a praia do Pontal há uma área de estacionamento do município muito grande, aqui é o melhor e mais barato lugar (zona azul) para se estacionar. Porém para chegar nesse estacionamento tem que chegar cedo para achar vaga em temporada.
  • Os restaurantes do centro histórico são os mais caros, mas também há ótimos restaurantes fora da parte histórica, que só pelo fato de não estarem inserido na região principal da cidade, já tem preços bem melhores.

Agora vamos lá…

O que fazer em Paraty?

Vou dividir essa informação em 4 Partes: Cidade de Paraty, Praias da cidade, Tour nas Ilhas e demais atrações na região.

1- Conhecer o Centro Histórico de Paraty.

Como já relatei, Paraty é um Patrimônio Nacional pela UNESCO e é um pecado passar por aqui e não aprender um pouco da sua história. Conhecer a cidade profundamente e com qualidade é simples e barato.

Há duas opções:

  • Conhecer dando volta de charrete.
  • Conhecer a pé – Free Walking Tour.

Sim, aqui tem Free Walking Tour… dai você me pergunta: Que P*** é essa Quero Mochilar?

Muita gente não conhece, mas os Frees Walking Tours, são tour guiados por profissionais ou estudantes, que andam pela cidade com um grupo de turistas explicando toda a sua história. Esse tipo de tour é muito comum em cidade europeias, mas no Brasil não há muitos e fiquei surpreso ao encontrar um aqui.

Como funciona: Vou deixar aqui a página e você tem que ver os dias e horários de funcionamento. No Free Walking Tour, você não faz compromisso nenhum, simplesmente esteja lá no ponto de encontro no horário marcado.

Site Oficial: Free Walking Tour Paraty.

Quando eu estava lá haviam dois horários diários: 10h30 e 17h00.

Valor: Você paga o que achar válido, pode até sair sem pagar nada, mas quem tem uma aula assim e esse interesse em participar não faria isso, não é mesmo?

Eu paguei R$ 40,00 (o casal) e foi excelente o tour – Guia argentino morador a anos de Paraty e sabia muito mais da nossa história que muita gente.

Duração e conteúdo: Você caminha pelo centro por duas horas, passando pelas principais igrejas, ruas, casarões, entendo a história do lugar e o contexto histórico e político.

E o que vemos no Free Walking Tour Paraty?

Na minha experiência, fomos em dois casais mais o guia, era dia 31 de dezembro – 17h00, o que ajudou a não ter muitos interessados apesar do grande número de turistas em Paraty.

O ponto de encontro é fixo e em frente a um dos pontos turísticos da cidade, onde a aula já começa.

Igreja da Matriz de Nossa Senhora dos Remédios

A Igreja da Matriz não está hoje no local onde foi erguida em 1946, em uma terra doada, onde o dono exigiu que fosse construída uma capela em homenagem a Nossa Senhora dos Remédios. Esta primeira capela foi demolida em 1668 e e de lá pra cá houve várias reformas e construções até chegar na Igreja atual, que foi aberta ao público em 1873 e mesmo assim com as torres inacabadas. 

Mesmo Paraty tendo sido caminho do Ouro pelo Brasil, suas igrejas, diferentes das de Minas Gerais, não são revestidas de ouro.

Depois de conhecer um pouco da Matriz, começamos nosso tour a pé pela cidade, passando por casarões e entendendo seus símbolos, como os abacaxis nas janelas, que eram símbolos de riqueza e prosperidade, significando que naquela casa morava alguém da nobreza, pois era amarelo como o ouro e tinha uma coroa como um rei. Era símbolo também de hospitalidade.

Então… não vou dar uma aula de história aqui que esse não é meu objetivos, mas conhecemos as moradias de Nobres, de suas linhagem, histórias ruins e boas do período colonial – descobrir esse tour foi um tesouro na minha passagem por Paraty.

Uma das coisas mais curiosas deste tour, foi descobrir que Paraty é inundada frequentemente pela marés propositalmente. Antigamente era uma medida sanitária, fazer uma cidade mais baixa, onde a água do mar entrasse e levasse toda sua sujeira (consciência ambiental dos séculos passados era assim… rs).

Por isso mesmo, aos desavisados, não estacionem próximo a orla ou você terá problemas como na foto acima.

Até vida marinha, reflexo da maré alta, podemos encontrar uma vez ou outra pela cidade.

Igreja Santa Rita e Museu de Arte Sacra

  • Horário de Funcionamento: Diariamente das 9h00 – 17h00 – Fechado Segundas.
  • Valor: R$ 4,00 – Terça é gratuito.

Essa Igreja é um dos cartões postais da cidade e aqui está o museu de arte sacra com acervos de peças de barro, madeira e metal dos séculos XVII, XVIII, XIX, chegando até o início do século XX. 

Esta era a igreja dos pardos e libertos. 

Ainda há algumas outras curiosidades pelo passeio, como a Rua do Fogo, uma das que ainda leva o nome original da época e que era a rua dos prostíbulos e da boemia.

Ainda sobre as igrejas, um detalhe que não disse anteriormente, era que aqui em Paraty haviam quatro e no período em que a cidade era dividida em classes sociais cada uma era usada por um grupo de pessoas.

  • Igreja Matriz N.S. dos Remédios (trabalhadores e comerciantes brancos): A primeira que citei na descrição do tour.
  • Igreja N.S. das Dores (Aristocracia, principalmente das mulheres aristocratas).

  • Igreja N.S.do Rosário (escravos): Ao fundo na foto abaixo.

  • Igreja Santa Rita (igreja dos pardos e libertos): O símbolo de Paraty.

Conhecer a história de Paraty caminhando por suas ruas foi uma experiência incrível que tive por lá, e recomendo muito o free walking tour.

Durante a noite o centro histórico ganha vida e movimento e andar por suas ruas depois de saber da sua história tem outro sabor.

No Centro histórico você ainda encontrará ainda a Casa da Cultura, que está em um sobrado do século XVIII, onde há exposições permanentes para quem curte.

Outra atração muito procurada aqui, que não fiz, é o Teatro dos Bonecos, um teatro de marionetes.

Ao andar observe as placas, prédios importantes estão todos identificados pelo centro histórico.

2- Praias de Paraty

Na cidade de Paraty há duas praias: 

Praia do Pontal: Esta é a praia mais central, bem movimentada e onde há muitos restaurantes à beira mar, porém achei meio suja. Ela fica bem próxima ao centro histórico e podemos ir a pé. 

Aqui é possível alugar equipamentos para praticar caiaque e Stand Up, fiquei um tempo nesta praia no meu primeiro dia, descansando e petiscando com minha cervejinha.

Praia de Jabaquara:  Fica um pouco mais afastada da cidade, mais precisamente 1,3 km da praia do Pontal. Não cheguei a conhecê-la, dizem ser melhor que a do Pontal e ter um belo calçadão, mas não vi nada sobre ser algo imperdível, por isso priorizei outras coisas. 

3- Tour nas Ilhas de Paraty

O passeio de escuna pelas Ilhas de Paraty é imperdível e é neste momento que você irá perceber quão bela é essa região.

E como funcionam os passeios de escuna em Paraty?

Você tem que ir até o Cais de Paraty, que fica em frente a Igreja Santa Rita, o símbolo da cidade.

Neste Cais há muitas escunas, mas muitas mesmo e de tudo quanto é tipo. Elas ficam atracadas aguardando os turistas. Como fui na alta temporada, acabei reservando com antecedência, mas te digo com toda segurança, que esse é o tipo de passeio que você pode decidir em cima da hora e não precisa reservar com antecedência, pois a disponibilidade de escunas é enorme. Recomenda-se reservar só se quiser ir em uma escuna ou lugar específico.

As melhores dicas são:

  • Vá cedo (esteja lá entre 9h30 – 10h00): Tempo para estacionar e pechinchar.
  • Ande pechinchando valores pelo píer.
  • Lembre-se que aqui a maré caso estacione na rua, ok? 

Outras informações importantes:

  • Valor: R$ 125,00 – Casal.
  • Duração: 5 horas (Sai as 11h00 e retorna às 16h00).

Eu prefiro embarcações pequenas e por sorte a minha era – permissão de no máximo 50 pessoas. Há escunas bem maiores e a escolha fica a seu gosto.

A empresa que fui, era familiar, e tinha um pessoal super simpático.

O passeio é lindíssimo e você fará fotos espetaculares.

Alimentação na escuna: Principalmente para quem não está acostumado com o balanço do mar, o recomendado é comer pouco e até levar um Dramin, caso tenha enjoo.

Penso que a melhor escolha para esse dia é levar frutas e coisas simples e práticas para comer. Não se preocupar em “encher a pança” durante esse passeio, que isso pode se transformar em um incômodo.

o que fazer Paraty - RJ

Caso não queira levar nada ou não dê tempo de comprar, não se preocupe que lá vende porções, doces e tem até almoço completo.

Em relação a levar isopor com cerveja, geralmente é proibido por causa do espaço das embarcações, mas há exceções, porém pergunte sempre antes, não chegue de surpresa com um isopor enorme.

E onde vamos durante esse passeio de escuna?

Paraty é cheia de ilhas e praias isoladas e esses passeios de escuna geralmente tem paradas em 4 lugares, que podem ser tanto no litoral do continente quanto em algumas das ilhas.

Importante saber que as ilhas em que as escunas param pode variar, dependendo da empresa e da época do ano, pois como são várias,  as empresas se dividem para não tumultuar as paradas, por tanto, se for para ver alguma ilha específica, tenha isso em mente para procurar a empresa de escuna que a faça.

O passeio que fiz, passou por:

Parada 1 – Ilha do Rapado: Uma ilha não muito conhecida, onde paramos um pouco para mergulhar.

Aqui você pode descer do barco e ir nadando até a praia da ilha. Para quem gosta de mergulho, as escunas alugam snorkell por R$ 20,00 a diária.

Parada 2 – Ilha do Algodão: Outra bela ilha com uma água verdinha. Aqui você não chega a descer da embarcação e nadar até a praia, você mergulha ao redor da ilha, que é um local ideal e recomendado para snorkell . Se tiver sorte poderá ver golfinhos, não tivemos neste dia.

Acabei nem descendo essa parada, só curti do barco mesmo, as cores do mar são um espetáculo.

Parada 3 – Ilha Comprida do Norte: Aqui também não há praia, você vai mergulhar e fazer snorkell, pois é em frente a uma propriedade particular, adivinha de quem: Ronaldinho Fenômeno.

O lugar também é bem bonito e vale um mergulho.

Parada 4 – Ilha Malvan: Não sei se escrevi certo (rs), mas essa também é uma ilha particular de uma associação de médicos. Aqui é a ultima oportunidade de um mergulho, para dizer tchau a esse paraíso.

Como disse e reforço, o passeio de escuna é imperdível. Lugares magníficos e momentos muito especial, valeu a pena demais. E isso que passamos neste dia em ilhas menos tradicionais.

4- Demais atrações na região.

Paraty ainda é repleta de outras ilhas e praias e coisas para fazer é o que não falta.

Aqui para quem gosta ainda há:

Cachoeiras: Há algumas cachoeiras bem próximas a cidade, que acabei não conhecendo, pois tem muito em MG e minha prioridade era ver o mar, mas fica a dica:

  • Cachoeira Pedra Branca: 9 km da cidade.
  • Cachoeira Tobogã e Poço do Tarzan: 10 km da cidade.

Praias: Há praias magníficas nas proximidades de Paraty e que pertence ao município, como a Praia do Sono, Antigos e Antiguinhos, que são espetaculares e fiz um post só para elas.

Trindade: Trindade também está coladinha em Paraty e cabe bem um bate e volta. Outro lugar que não podem deixar de conhecer e que também farei um post específico só para ela.

Pesquise mais lugares e detalhes no site oficial da cidade.

E assim termino as dicas de Paraty, porém uma dúvida que sempre temos e posso te ajudar é:

Quantos dias ficar e qual roteiro ideal para Paraty?

Penso que um roteiro por essa região tem que ser de pelo menos uns 5 ou 6 dias. Há muita coisa para conhecer e depois de estar por lá eu indicaria assim:

  • Dia 01: Escuna pelas Ilhas + Free Walking Tour.
  • Dia 02: Cachoeira Tobogã + Poço do Tarzan + Praia do Pontal ou Jabaquara.
  • Dia 03: Praia do Sono + Antigo + Antiguinhos: Por trilha, por barco ou misto.
  • Dia 04: Ir para Trindade e passar o dia lá, pode até ir pra pernoitar, que trindade é uma gracinha, recomendo até dois dias aqui.
  • Dia 05: Eu iria na cachoeira do Saco Bravo – um trekking mais pesado – iniciando a partir da praia da Ponta Negra (até aqui ir de barco) para ficar menos cansativo. Mais detalhes no post da Praia do Sono, onde os barcos saem do mesmo local. 

Você pode aproveitar que está na região para explorar ainda mais a Costa Verde e conhecer Ilha Grande (Angra dos Reis) e também na região ainda há muitas outras praias, cidadezinhas e coisas pra se fazer, novidade aqui é o que não falta. 

E DAÍ, QUANTO FICA A BRINCADEIRA??

Gastos para te ajudar a planejar a viagem:

  • Hospedagem (ruim e afastada do centro): R$ 1.200 / 4 dias / Casal – Ano Novo.
  • Pedágio: R$ 15,20 (Vindo de Penedo).
  • Tour de Escuna: R$ 125,00 (Casal).
  • Estacionamento particular no centro: Cada ida ao centro saia de R$20,00 a R$ 30,00.
  • Free Walking Tour: R$ 20,00/pessoa – Valor que eu achei justo.
  • Área azul – Estacionamento público: R$ 2,15/hora e vale para toda cidade o ticket.
  • Alimentação Centro Histórico: De R$ 100,00 a R$ 150,00 – Qualquer sentada para um bom jantar com bebidas.
  • Doces de Tabuleiro: R$ 7,00.

NÃO POSSO DEIXAR DE PROVAR EM PARATY…

Frutos do mar: Isso é que não falta aqui, né?.. Comi em um restaurante que achei ótimo o custo benefício e bem próximo ao centro histórico. 

Restaurante Dom João: Macarrão de abobrinha com camarão.

Doces de Tabuleiro: no centro histórico há muitos carrinhos com os famosos e típicos doces de tabuleiros. Não deixe de experimentá-los. Recomendam: Quebra Queixo – o mais tradicional, porém pedi pra experimentar, achei muito doce e preferi outros, como os mousses e bolos. Valor: R$ 7,00 – são muito bons.

o que fazer Paraty - RJ

Bebibas

Cabôre: Cerveja artesanal fabricada na Cidade. Há uma cervejaria no Centro Histórico, onde é possível fazer até tour. Valor de R$ 15,00 copo 400 ml e R$ 25,00 Garrafa.

Cachaça Gabriela é uma mistura de cachaça branca, cravo, canela e gengibre. É uma bebida licorosa com sabor marcante e é vendida em vários lugares pelo centro histórico.

Drink Jorge Amado: A bebida que homenageia a personagem principal do Jorge Amado e a ele próprio, leva: maracujá, açúcar, limão e a aguardente Gabriela Cravo e Canela.

LIÇÕES APRENDIDAS EM PARATY

1- Uma dica muito importante em Paraty é: Não estacione seu carro próximo ao litoral no centro histórico, as mares aqui sobem e você pode ter problema.

2- Recomendo fazer o Free Walking Tour das 17h00 – Final do dia.

3- Bem na entrada da cidade há um Centro de Informações turísticas, este deve ser o seu primeiro ponto de parada.

4- Aqui era o ponto final da Estrada Real, que traziam o ouro de Diamantina, por isso você verá alguns símbolos pelas estradas da cidade: ponto pra foto.

5- Recomendo fechar seu passeio de escuna lá mesmo, para programar para fazê-lo em um dia de sol, isso faz toda diferença.

6- Levar visor ou Snorkell em todas as praias e passeios.

7- Procure o Atelier Aracati – Arte em moedas: Fazem cada coisa com moedas que são espetaculares. Comprei aqui um chaveiro com uma moeda de 400 contos de réis coisa mais linda.

OUTRAS INFORMAÇÕES ÚTEIS.

  • Fuso Horário: Mesmo horário de Brasília.
  • Voltagem: 110V

A VIAGEM CONTINUA…

Gostou? Compartilhe! Tem alguma sugestão ou atualização de informações? Enriqueça a pesquisa de seus amigos nos comentários. Além de ajudar o próximo viajante é super importante a opinião de vocês para o blog.

VAMOS AJUDAR QUEM TE AJUDOU?

Vai viajar? Planeje toda sua viagem pelo Quero Mochilar!

O Quero Mochilar tem te ajudado com dicas e roteiros para o seu planejamento? Então que tal nos ajudar sem pagar nada a mais por isso, simplesmente fechando sua viagem com os serviços oferecidos pelas parceiras do Blog.

GARANTA AQUI

SEGURO VIAGEM – HOSPEDAGEM – ALUGUEL DE CARRO – TOURS – PASSAGENS AÉREAS – RESERVAS – CHIP DE CELULAR

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Language »