São Thomé das Letras

São Thomé das Letras é um cantinho realmente especial. Mística e cheia de lendas, aqui você ouvirá histórias que vão de relatos de extraterrestres à experiências sobrenaturais, porém melhor que ouvi-las é curtir sua natureza e tranquilidade. Tudo em São Thomé tem uma harmonia tão forte, que é possível senti-la.

INFORMAÇÕES DE: Dezembro de 2019.

ROTEIRO PARA: 3 dias.

TIPO DE VIAGEM:  Viagem independente – Férias.

AQUI – Cupons de desconto ativo para sua viagem aqui.

HOSPEDAGEM:  – R$ 140,00/ noite – Para casal (O valor pode sofrer alteração de acordo com a época do ano).

Fiquei hospedado na Casa Filhos de Lua (@casafilhosdalua). Este lugar é uma casa que se transforma em o que você precisar, como tudo em São Thomé (rs)!

Pode ser hostel ou pousada, e no meu caso, uma casa de amigos! Ana e Gleydson foram super simpáticos e atenciosos, além de ótimas companhias nos passeios.

A casa é bem localizada, assim podemos ir ao centro a pé. Ela fica também colada na Pirâmide.

Ana e Gleydson se refrescando com a gente.

Fiquei em uma suíte grande e limpinha, e foi uma ótima estadia, tudo simples, porém o essencial.

  • Contato do WhatsApp da Ana: (21) 9 7665 2343 – Por favor, diga que pegou o contato no Quero Mochilar.

Onde se hospedar em São Thomé das Letras?

Primeira coisa: Em feriados, finais de semana e épocas que são temporadas, as melhores opções custo x benefício se esgotam rápido e recomenda-se reservar com antecedência.

Você pode escolher se hospedar em dois lugares:

1-) Região central: Como a cidade é pequena, quase todos os lugares são bem localizados, e assim você pode fazer tudo a pé, o que é ótimo, pois São Thomé para andar de carro e estacionar é horrível.

Há duas referências para região central:

  • Praça Barão de Alfenas – Igreja Matriz: Onde estão a maioria dos restaurantes, bares, lojas etc.
  • Praça do Rosário – Igreja de Pedra: Movimento menor que a anterior, porém próxima de tudo também.

2-) Zona Rural: Em São Thomé das Letras, até pelo próprio público, que são na maioria pessoas que gostam de contato com a natureza, há vários campings, chalés e pousadas ao longo das estradas que levam as atrações.

Consulte e reserve sua estadia em São Thomé das Letras pelo BOOKING.COM – O bookinkg.com tem as melhores ferramentas de busca de hospedagem do mercado, que juntas ajudam você a decidir pela melhor opção. Reservando pelos atalhos do BLOG você não paga nada a mais, e ajuda a monetizar nosso trabalho.

Booking.com

SOBRE SÃO THOMÉ DAS LETRAS

Reza a lenda que o nome São Thomé das Letras surgiu no final do século XVIII, após um escravo fugido chamado João Antão encontrar no interior de uma gruta a estátua de São Thomé. 

Ao refugiar-se nessa gruta no alto da serra, o escravo teve então a visão de um homem com roupas claras, o qual escreveu para ele uma carta, para que o mesmo entregasse ao seu senhor.

Naquele tempo, como os escravos eram analfabetos, era impossível que a carta pudesse ter sido escrita por Antão. Assim, ao entrega-la ao seu “dono”, o fazendeiro ficou impressionado e intrigado, a ponto de enviar seus homens à gruta e alforriar seu escravo.

Ao chegarem no local indicado, não havia o tal homem de vestes brancas, porém em seu lugar havia uma imagem de São Thomé, um dos doze apóstolos de Cristo.

Impressionado com o ocorrido, ao lado da gruta foi então construída uma capela bem rústica, e somente em 1785, o Barão de Alfenas iniciou a construção da Igreja Matriz, e bem ao lado desta foi surgindo São Thomé das Letras.

Na Matriz podíamos encontrar essa estátua que deu nome a cidade, porém infelizmente ela desapareceu em 1991.

E foi assim que surgiu o nome São Thomé, e o restante: “das Letras”, veio posteriormente devido as pinturas rupestres que podem ser vistas nessa mesma gruta onde teria sido encontrada a estátua.

Hoje essa cidade pequena e tranquila, com seus quase 7 mil habitantes, é um lugar considerado por místicos como um dos sete pontos de energia do Planeta, o que atrai principalmente um público alternativo.

Juntando esse misticismo ao seu calçamento rústico, suas construções em pedra e as belas cachoeiras, criou-se a lenda de que aqui é a terra dos seres mágicos, onde além de muitas histórias, há vários relatos de eventos sobrenaturais e aparições de OVNIS.

E é nesse contexto e atmosfera esotérica, meu amigo, que você conhecerá a incrível São Thomé das Letras e se apaixonará.

Pirâmide – Obrigatório assistir o pôr do sol daqui.

Como chegar em São Thomé das Letras?

Chegar em São Thomé das Letras é simples, o acesso é por asfalto pela LMG-862 vindo por Três Corações. A rodovia está em ótimo estado e é toda asfaltada.

A distância das principais capitais são:

  • Belo Horizonte:  311 km.
  • São Paulo: 347 km.
  • Rio de Janeiro: 330 km.

Há também a opção por terra pela cidade de Cruzília. Fiz esse trecho para ir até Aiuruoca. São 32 km e a viagem foi tranquila, porém em dias de chuva eu não recomendaria este trajeto em carro baixo. Também este trecho em relação a tempo dá na mesma que ir por Três Corações.

Dica: Vai alugar carro? Quanto maior a antecedência da reserva melhor o preço. A Rents a car, tem uma ferramenta ótima de pesquisa, onde você pode ver o preço de todas as locadoras de um mesmo lugar. Faça uma cotação!

Cupom de desconto: RENT5OFFF – 5% de desconto.

Ônibus

Para quem quer chegar até a cidade de ônibus, há vários horários partindo diariamente de Três Corações, Cruzília e Caxambu.

A empresa que faz a viagem é: Viação Coutinho.

Outras empresas partindo de outras cidades e também possibilidade de conexões, pesquise nesse site: Horários de ônibus São Thomé das Letras.

São Thomé das Letras vista do Parque Antônio Rosa

Quando ir para São Thomé das Letras?

São Thomé pode ser visitada o ano todo, porém sua viagem será melhor aproveitada se levar em consideração o que deseja conhecer e a época ideal para ir.

Do verão até o outono são ótimas épocas para banho de cachoeiras, pois os dias são mais quentes. Nesta época a cidade é muito procurada principalmente em feriados.

Antares – A cachu mais bonita daqui na minha opinião.

Devido estar há quase 1.500 metros de altitude, independente da época do ano, você encontrará noites frias. Eu mesmo em pleno dezembro, usei jaqueta para andar pela cidade e senti frio.

Todo feriado a cidade lota, e o Ano novo é considerado o período de maior lotação, onde a população triplica.

Nestas épocas se locomover de carro é um problema. Já no Natal, período que conheci São Thomé, a cidade estava super vazia é foi uma delícia conhece-la assim.

Em dezembro é o mês que mais chove, com isso cuidado redobrado nas cachoeiras.

No inverno, principalmente julho, ainda há bastante turismo, porém, os banhos de cachoeiras são mais difíceis, devido ao clima e temperatura da água.

 Segurança em São Thomé das Letras

São Thomé das Letras é super pequetita e tranquila. Andar por suas ruas é muito seguro. Praticamente não há relato de problemas com turistas.

O cuidado maior que devemos ter aqui é em relação aos banhos de cachoeiras. Sempre devemos estar atentos as coisas básicas:

  • Profundidade dos poços.
  • Presença de pedras (antes de saltar).
  • Chuvas: Em dias de chuva forte, podem haver cabeças d´água. Por isso atenção sempre.
  • Um calçado adequado para trilhas mais longas é essencial e faz toda diferença para sua segurança.
Conhecem as Botas Ecosafety? Te garanto que melhor custo benefício não há. Couro legítimo com qualidade e estilo. Confiram os modelos aqui no: www.botasecosafety.com.br. – Usando o CUPOM: QUEROMOCHILAR você ainda tem um descontão.

ROTEIRO PARA SÃO THOMÉ DAS LETRAS

Véspera de Natal e eu pegando estrada rumo São Thomé das Letras. Família toda espalhada, longe, e então eu decidi que o meu natal seria em um destino nada convencional.

Assim que eu estava chegando já veio a primeira surpresa: Uau! Como é alta!

Já da rodovia, é possível ver São Thomé rodeada de rochas brancas de quartzo no alto da montanha, e assim seguimos rumo a ela.

Há anos, a montanha onde está a cidade é explorada. A exploração destas pedreiras apesar de aumentarem a renda do município, mudaram seu cenário, sendo perceptível de longe.

Com essa foto podemos ter uma ideia de como a cidade está no alto de um montanha.

Essa montanha branca, é um dos motivos das lendas que envolvem São Thomé. Dizem que ela possui uma energia tão forte, que faz com que a luz do sol reflita para o espaço, o que acaba por atrair todos os seres místicos possíveis e imagináveis (rs).

As lendas e histórias fazem parte do turismo da cidade, e não é difícil encontrar alguém que sabe de alguma. Eu mesmo escutei a dos seres reptilianos, e rachei de rir (com respeito)… rs.

A chegada

Ao cruzar o portal de entrada tudo se transforma, o asfalto da rodovia dá lugar as ruas de pedras, e agora é tudo em um ritmo lento e muita trepidação.

Após viajar 760 km (Parti de Montes Claros), um pouco mais de 10 horas, cheguei ainda há tempo de me despedir do dia 24/12 na pirâmide, e só depois parei e fui pensar: O que farei nos próximos dias por aqui?

Portanto, antes de entrar nas atrações da cidade, quero citar três coisas importantes a se saber em São Thomé das Letras:

1-) Como se locomover por São Thomé das Letras?

A cidade é minúscula, pode-se fazer tudo a pé tranquilamente. Não há táxis, uber esses “trem” não, ok!

Para conhecer as atrações a maioria das pessoas vão de carro próprio. Porém, se você não tem veículo, há ônibus que leva na maior parte das delas. Você pode se informar melhor na cidade no atendimento ao turista.

Muitas pessoas aqui optam também por carona e ir a pé até as cachoeiras. O que também é possível e bem tranquilo.

Para quem prefere a companhia de um guia e algo mais organizado, também há no centro da cidade várias agências que podem te ajudar a se locomover por lá. No Centro de atendimento ao turista você também consegue contato de guias com carro.

2-) Deslocamento de carro na cidade.

Andar de carro por São Thomé, devido ao terreno irregular e ruas de pedras, é bem lento e incomodo. Ainda temos o problema de lotação e falta de vagas de estacionamento nas ruas.

Se prepare, você vai chacoalhar até… rs.

Para chegar as principais cachoeiras não precisa necessariamente de 4×4. As estradas de terra para as atrações que visitei estavam boas, e foi tranquilo o deslocamento.

Porém, estando lá é sempre interessante tentar saber como estão os trajetos.

3-) Preciso de guia?

Eu adoro guias. Além de ótimas companhias, nos ensinam detalhes que só quem conhece a fundo e estudou pode nos esclarecer. Após sabermos mais sobre um lugar, nunca mais olhamos para ele da mesma forma.

Em São Thomé das Letras é tudo muito tranquilo de se fazer de maneira independente, porém se preferir companhia, ou até alguém com veículo próprio para guiá-lo, é fácil de encontrar no centro de informações turística.

A Ana e o Gleydson, quem eu fiquei na casa, também podem te ajudar e te guiar por aqui.

  • Contato: (21) 9 7665 2343 – Diga que pegou o contato no Quero Mochilar.

4-) Quantos dias ficar e qual roteiro ideal?

Em um fim de semana você consegue conhecer o essencial, porém penso que um bom roteiro para São Thomé das Letras, seriam 4 dias.

Dia 01: Cachoeiras: Véu da Noiva + Paraíso + Antares + Flávio + Eubiose + Lua + Atrações da cidade.

Dia 02: Vale das Borboletas (Completo) + Ladeira do Amendoim + Parque Municipal Antônio Rosa (Mirante + Cruzeiro + Pedra da Bruxa).

Dia 03: Cachoeira Shangri-lá + Lagoas das Pedreiras + outras atrações.

Dia 04: Dedicar um dia as atrações de Sobradinho em um bate e volta.

Ahhh termine todos os dias vendo o pôr do sol na Pirâmide – cada dia é único.

Mapa turístico da cidade:

Agora vamos lá para o que interessa…

O que fazer em São Thomé das Letras?

1- Atrações da cidade

Andar por São Thomé das Letras e explorá-la a pé é uma delícia, apesar das ruas de pedras irregulares ditar um ritmo lento a essa caminhada (rs).

A cidade é pequenina, porém seu centro é cheio de lojas exotéricas, comércios, bons restaurantes etc. Perca-se toda noite por aqui e ande o máximo que puder, vai sempre descobrir algo legal.

Os principais pontos a serem conhecidos na cidade durante o seu bate perna são:

1.1- Gruta de São Thomé

Ao lado da matriz, essa é a gruta da lenda que deu o nome a cidade.

Conhecer a gruta é uma visita rápida e gratuita. Aqui você pode entrar em seu interior, e depois subir na parte superior, tendo uma bela vista para cidade, Matriz e até a Pirâmide.

Entrada da gruta
Saída – Lá dentro há um santo e velas.
Vista da parte superior.

1.2- Igreja Matriz e Praça Barão de Alfenas

Essa é a igreja da história da cidade, a que o senhor de escravos mandou construir. Sua data de construção é de 1785.

Não sei falar os horários que está aberta, espero que deem sorte, eu não dei, e na verdade não procurei saber também… rs.

Igreja Matriz

A igreja é toda no estilo barroco, e dizem ser bem bonita por dentro. A estátua de São Thomé que deu nome à cidade ficava aqui, porém foi roubada há alguns anos atrás – Eta Brasil “véio”…

1.3- Igreja de Pedra ou Nossa Senhora do Rosário

Construída no século 18, ainda por escravos e sem argamassa, esta igreja é tombada pelo patrimônio histórico de Minas, e é linda.

A história original diz que a construção foi paralisada após uma revolta dos escravos, em 1833. Em ruínas ela então foi reconstruída em 1974, porém sem alterar em nada sua estrutura original. Somente nos anos 90, foram revestidas as paredes internas e construído um altar.

Praça e igreja ao fundo.
Aqui dão ótimas fotos para seu insta.

1.4- Estátua do Chico Taquara

No caminho para Pirâmide você irá encontrá-la. Esta estátua é uma homenagem ao cara que sumia na cidade e diziam que ia para Machu Picchu. Quem nunca escutou esta história de São Thomé, não é mesmo?

Essa lenda acontecia na Gruta do Carimbado, que hoje esta fechada para visitação, pois vários malucos entravam lá dentro correndo vários risco – não me espantaria se acreditassem que iriam sair no Peru (rs).

2- Parque Municipal Antônio Rosa

Eu diria que esse parque é o coração de São Thomé das Letras.

Pelas fotos e paisagens, a impressão que dá é que estamos distantes, mas não, estamos há somente uns 400 metros do centro (chutei, mas é muito perto…rs).

Localizado na parte mais alta do município, é aqui que todos vêm para o amanhecer e o pôr do sol.

O parque possui 11 hectares e abriga alguns pontos turísticos, além de conservar espécies da fauna e flora da região e paisagens rochosas interessantíssimas.

  • Entrada: Gratuita.
  • Horário: Não há horário definido e controle.

Porém, mesmo sem controle de entrada vamos usar o bom senso, não é mesmo meu amigo(a)?

É proibido:

  • Fogueiras
  • Acampar
  • Caminhar fora das trilhas
  • Levar pedras, plantas etc…

E não vou nem falar sobre o lixo…

As atrações do parque são:

2.1- Mirante: Construção de pedra com vista incrível de 360º para São Thomé das Letras.

Recomedado para assistir o nascer do sol, assim como o cruzeiro: Pesquise no google o horário no dia que estiver por lá.

Mirante.
Estas janelas dão ótimas fotos.

2.2- Pedra da Bruxa: Juro que não consegui ver bruxa nenhuma no formato da pedra, mas o nome se deu por isso… (rs).

É possível subir lá no topo, porém não é tão simples. Apesar de ter subido, não recomendo, pois reza a lenda que aqui o vento sopra com força e a “bruxa ” pode te derrubar.

Eu vejo um cachorro, e você? Vê uma bruxa?
Ainda desconhecia a lenda… rs.

2.3- Cruzeiro: Remanescente do período colonial, o cruzeiro representa a devoção dos primeiros colonizadores da região. Dizem os mais antigos que ele foi erguido originalmente onde hoje está a pirâmide, e só foi realocado após ser derrubado por um raio.

O cruzeiro marca o ponto mais alto da cidade e é tido como o melhor lugar para se ver o nascer do sol e da lua, além de ser ótimo para observar as estrelas.

Lá no alto de São Thomé das Letras.

2.4- Casa da Pirâmide: Este é o símbolo de São Thomé das Letras. Quem nunca viu aquela imagem do telhado da pirâmide cheio de gente se despedindo do dia, não é mesmo?

Chegue cedo para garantir sua vaga. No topo você não consegue apoiar garrafas, já na parte de baixo sim! Fica a dica! (rs).

Essa construção em forma de pirâmide tem janelas que foram construídas para mirar constelações. Pelo que entendi, era a casa de um maluco (no bom sentido… rs), e depois que o lugar virou um parque foi desapropriada e se tornou um dos pontos mais procurados da cidade.

No primeiro dia pegamos sol e chuva nessa imensidão, e foi show ver isso.
Já no segundo dia, um sol gigantesco se despediu do dia 25/12/2019.

Dicas:

  • Procure saber quando chegar na cidade o horário do pôr do sol, e vá com pelo menos 40 minutos de antecedência se quiser subir na pirâmide.
  • Quando fui (dezembro), o pôr do sol era às 18h30.
  • Sim, pra quem gosta lá em cima tem um monte de opções “daquele produto” (Entendeu, né?).
  • Recomendo levar um vinho para beber e admirar o pôr do sol. Apesar de ter quebrado o meu antes de subir, recomendo (rs).
  • Há uma tirolesa no local.
Estão vendo que há um estacionamento, porém penso que não vale a pena subir de carro. Será um transtorno e é muito próximo ao centro.
Vale a pena ver o pôr do sol todos os dias que estiver em São Thomé das Letras.
Ao som de violões, canções e ao lado do meu amor …

2.5- Toca do Leão: A Toca do Leão é outra formação rochosa que é atração no parque, porém já fica mais distante, sendo mais fácil conhecê-la quando for para a cachoeira Véu da Noiva. Ela está localizada próximo a um campo de futebol. Acabei não conhecendo.

3- Rota das Cachoeiras

Há muitas cachoeiras em São Thomé das Letras e região, e apesar da grande parte estar em propriedades particulares a maioria não cobra à visitação.

Vou falar aqui de duas rotas para se fazer em dois dias, e foi o que fiz.

Rota 01: Cachoeiras no caminho da Cachoeira Véu da Noiva.

Meu primeiro dia em São Thomé das Letras segui para a região sul da cidade, onde há a maior concentração de cachus. Comecei o dia às 9h00 e às 16h00 já havia feito todo este trajeto.

A estrada é de terra, porém ótima, e as cachoeiras são todas praticamente sem trilhas, paramos o carro e temos que andar bem pouco para chegar até elas.

Nesta rota há várias cachoeiras, onde podemos começar na mais distante e ir depois retornando para a cidade parando nas demais.

Detalhamento da rota completa (ida e volta para São Thomé):

  • Cachoeira Véu da Noiva e Paraíso: 8,4 km de São Thomé das Letras. Conhecemos as duas em uma única parada.
  • Cachoeira Antares: 6,4 km (Partindo do Véu da Noiva).
  • Eubiose: 13,6 km (Partindo da Antares).
  • Cachoeira da Lua: 4,1 km (Partindo da Eubiose).
  • Retorno para cidade partindo da Cachoeira da Lua: 6,7 km.

Total percorrido de carro nesse trajeto: 39,2 km.

Agora vamos lá conhece-las…

1- Cachoeira Véu da Noiva e Paraíso.

  • Horário de funcionamento: Não há definido.
  • Valor: Gratuita – Sem controle de entrada.
  • Distância: 8,4 km de São Thomé das Letras.
  • Trilha: 290 m – O que você vai andar (ida e volta) para acessar as duas cachoeiras.
  • Estrutura: Há uma merceariazinha bem na entrada com venda de alguns salgadinhos, água e cerveja.

Para conhecer essas cachoeiras, na mesma parada você tem acesso às duas quedas d´água formadas pelo ribeirão do Canta Galo.

Cachoeira Paraíso: Acesso a esquerda. Trilha com parte íngreme, mas curtíssima, e em pouco tempo estamos em frente a uma prainha de areia branca, cheia de borboletas e com um poço ótimo para crianças.

Geralmente mais vazia que a Véu da Noiva, e é bem limpinha a água.

Cachoeira Véu da Noiva: Acesso a direita da mercearia, trilha também curta, porém mais íngreme e com “escadas” para facilitar o acesso. Um poço maior e mais fundo para banho e também mais movimentada de turistas.

Poço mais fundo e ótimo para banho.

2- Cachoeira Antares

  • Horário de funcionamento: Não há.
  • Valor: R$ 5,00 – No dia que fui não estavam cobrando.

Observação sobre o pagamento: Na estrada para cachoeira tem placas, e em um determinado momento você chega a uma bifurcação, onde tem dois acessos. O da esquerda você não paga, porém percorre um trajeto maior e não muito bom. Eu não recomendo esse percurso, principalmente em dias de chuva, pois além do trajeto não ser estruturado pode haver atoleiro e andamos bem próximo a um desfiladeiro. Esse caminho é só de ida, e realmente não dá para passar dois carros em muitos trechos.

  • Distância: 14,4 km de São Thomé das Letras e 6,4 km da Véu da Noiva.
  • Trilha: Curta e plana, menos de 400 m.
  • Estrutura: Há restaurante no local, porém quando fui estava fechado, e não sei falar sobre horários e preços.

A Cachoeira Antares foi para mim a mais bonita que conheci em São Thomé. Ela fica no meio da mata, toda sombreada, e tem uma queda de água grande (20 m). Seu poço também é grande e com partes rasas. Para quem curte, aqui é possível fazer até rapel.

São 20 metros de queda.
Para mim a mais bela de São Thomé das Letras

Não fui, porém, continuando a trilha você pode visitar a parte de cima, onde dizem que há piscinas naturais e ainda mais adiante, onde só é recomendado acesso com guia, há a Cachoeira das Macacas.

3- Cachoeira do Flávio

  • Horário de funcionamento: Não definido.
  • Valor: Gratuita – Sem controle de entrada.
  • Distância: 6 km de São Thomé das Letras.
  • Trilha: Não há.
  • Estrutura: Não há.

Para conhecer essa cachu basta parar o carro na estrada e andar bem pouquinho. E devido a esse fácil acesso ela é lotada. Aqui há um pequeno poço para banho, com águas rasas e calmas, o que atraia as famílias com crianças. E por praticamente não haver trilha, a maioria das pessoas vem para cá e trazem coisas para ficarem o dia todo.

A Cachoeira do Flávio – Cheia de pedrinhas e areia.

4- Cachoeira Eubiose

  • Horário de funcionamento: Diariamente das 7h00 ás 18h00.
  • Valor: R$ 5,00.
  • Distância: 4 km de São Thomé das Letras.
  • Trilha: 400 m na sombra e parte íngremes, porém tranquila.
  • Estrutura: Há um restaurantes antes de iniciar a trilha, na beira da estrada.

Essa cachu tem 15 m de queda e também está no Ribeirão Canta Galo. Antes de chegar, ainda na trilha, há uma bifurcação indicando outra atração, o pocinho.

Vazio, mas não achei nada convidativo…rs.

Já a cachoeira Eubiose é bonita, porém preferi as demais. Sua queda é de tamanho médio e forma um poço tranquilo e não muito fundo.

Eubiose – Chama-se assim, pois pertence a Associação Brasileira de Eubiose –
Eubiose é conhecida como uma sociedade de Esoterismo, Teosofia e Ocultismo, e seus integrantes são chamados de eubiotas.

Na estrada em frente a entrada desta cachoeira há alguns restaurantes, sendo um ótimo ponto para almoçar. Estes restaurantes funcionam no modo ‘coma à vontade’, e custavam na faixa de R$30,00.

5- Cachoeira da Lua.

  • Horário de funcionamento: Não há definido.
  • Valor: Gratuita – Não há controle.
  • Distância: 7 km de São Thomé das Letras.
  • Trilha: Não há.
  • Estrutura: Não há.

Antes de voltar para São Thomé mudamos um pouco a rota- sentido Grutas de Sobradinho- e fomos a esta última cachu que ficava próximo da Eubiose. Ela é pequena, há um poço maior para banho e uma corda, onde as pessoas se aventuram.

Em todas as cachoeiras de São Thomé você irá encontrar cães.

Rota 02: Cachoeiras no Vale das Borboletas

Meu segundo dia dediquei ao Vale das Borboletas, e recomendo o mesmo, dedicar um dia todo para este lugar. Saí da cidade por volta das 9h30 e só retornei às 16h00.

No Vale das Borboletas há várias cachoeiras, porém, para percorrer todas você irá caminhar 4 km (ida e volta) e grande parte do tempo exposto diretamente ao sol.

O vale não é sinalizado, e principalmente as cachoeiras Garganta e Gargantinha são muito difíceis de se encontrar sem um guia. Para minha sorte eu estava acompanhado com o casal que fiquei hospedado e pude conhecê-las.

Mapa: Minha trilha no Vale das Borboletas para você seguir.

Powered by Wikiloc

Agora vamos lá pra algumas dicas úteis sobre o Vale das Borboletas…

Como chegar: A entrada para o Vale das Borboletas está há 3 km de São Thomé das Letras. Você vai pegar a rodovia, como se fosse retornar para Três Corações e de lá, pegará uma estrada de terra logo no início da saída da cidade à sua esquerda. Com GPS você chega de boa.

Valor: R$ 5,00 – Não paga para entrar no vale, porém paga-se esse valor para estacionar.

Estrutura: No local há vários restaurantes e lojas de artesanatos, com preços melhores que os do centro. Vale a pena almoçar por aqui e até comprar alguns souvenirs.

Cachaça para os fortes!

Outras dicas essenciais para o Vale das Borboletas:

  • Chegue cedo para pegar as cachoeiras vazias e fazer belas fotos.
  • Vá com calçado adequado, pois irá molhar os pés, caso opte por fazer o circuito todo.
  • Não há sinalizações e trilhas bem demarcadas para todas as atrações que cito.

Atrações do Vale das Borboletas

1- Poço dos Gnomos

Este é um pequeno poço logo no início do vale. Ao invés de pegar a direção da cachoeira do Vale das Borboletas, você atravessa a cerca ao lado direito, anda alguns metros e já estará no pequeno poço.

Poço raso e tranquilo – Aproveitei para dar um “tibum”.

Bem ao lado, andando somente um pouco à direita, você vai encontrar no mesmo curso d´água o berçário de borboletas. Quando fui não havia quase nenhuma, mas dizem que aqui, dependendo da época do ano, é cheio delas.

Pena que não haviam borboletas neste dia.

2- Cachoeira do Vale das Borboletas.

Essa cachoeira não tem um poço bom para banho, porém visualmente é linda e rende belas fotos. Ideal para crianças é uma das principais do lugar.

Vista de cima, quando estamos chegando.
Não tem poço, mas é linda de se ver.

3- Cachoeira Escadinha

Para chegar até a escadinha já começa a complicar…

Temos que seguir uma trilha meio escondida e sem definição em muitos trechos. Dificilmente você à encontra sozinho, pois não há sinalização.

Aqui também é uma cachoeira mais visual e fotogênica, assim digamos, pois não há um bom poço para banho e o espaço é super pequeno, qualquer dez pessoas já lota.

Seus degraus parecem feitos a mão.
Como disse, não há poço bom para banho.

4- Gargantinha.

A gargantinha está no caminho para Garganta, e não há indicação alguma para ela. Para acessá-la só mesmo conhecendo onde descer, pois na verdade ela nem está no circuito. Para conhecê–la você desce um barranco grande, anda pelo córrego, se molha e só então dá de carra com essa belezura.

Vai molhar até a cintura se tiver 1,67 m (rs).

5- Garganta

Para chegar até ela temos que descer outro barranco e encarar parte do trajeto em pedras escorregadias e dentro do córrego. O acesso é um pouco complicado para quem não tem costume, mas o lugar é incrível.

A única sinalização que achamos no meio do nada… rs.
Essa é a garganta. Cuidado que essa água bate com força…rs.

6- Poço do funil

Este pocinho lindo está no caminho para Garganta, e bem escondidinho. É um lugar calmo e raso. Escolhemos aqui para ficar um tempo nos refrescando, e foi ótimo.

Olha só que água limpinha.

Então é isso pessoal!

Foi esse meu roteiro em São Thomé das Letras, porém ainda há outras atrações que valem a pena, e deixo aqui para vocês pesquisarem mais sobre:

  • Cachoeira Shangri-lá: Está mais afastada, há 17 km da cidade.
  • Ladeira do Amendoim: A ladeira mística, onde dizem que o carro parado no ponto morto se movimenta sozinho subindo a mesma. Essa ladeira dá acesso a Gruta do Carimbado.
  • Gruta do Carimbado fica no caminho para a Cachoeira Shangri-lá. Essa é a lendária gruta que dizem possuir um portal dimensional que leva o viajante até Machu Picchu (Rs) – Hoje está fechada para visitação, você só vê a entrada e grades.
  • Próximo a cidade há pedreiras com águas cristalinas, muito fundas e algumas impróprias para banho. Só vá nestes lugares desacompanhado se souber sobre a sua situação e tiver juízo.
  • Sobradinho: Quem está explorando a região e tem mais um dia inteiro, a dica é conhecer Sobradinho, onde há cachoeiras e grutas bem interessantes. Pesquisem sobre, vale a pena, tenho certeza mesmo sem ir… rs.

E DAÍ, QUANTO FICA A BRINCADEIRA??

  • Hospedagem: R$ 140,00/dia – Casal –  Em suíte em residência na alta temporada.
  • Alimentação: Comer em bons restaurantes ( Pratos entre R$50,00 e R$80,00 para três pessoas). Restaurantes “coma a vontade” na faixa de R$ 30,00/R$ 35,00 / pessoa).
  • Alcazar: Refeições a la carte e porções, na faixa de R$ 50,00 a R$ 80,00.
  • Cervejas 600 ml: Entre R$ 14,00 e R$ 15,00 nos restaurantes e bares.
  • Cerveja Quântica (local): R$ 30,00 nos bares.
  • Atrações pagas:
  • 1- Eubiose e Antares (Nem sempre está cobrando): R$ 5,00.
  • 2- Vale das Borboletas: R$ 5,00 – Estacionamento.

Para economizar com alimentação e bebidas a melhor opção é escolher uma casa, como eu fiz. Assim, você pode cozinhar e por a “cerva” para gelar por lá mesmo.

NÃO POSSO DEIXAR DE PROVAR…

Segue algumas dicas e informações de restaurantes…

  • Restaurante da Sinhá: Comida boa e à quilo (R$ 70,00/kg).
  • Pizzaria Ser Criativo: Pizza pequena, serve duas pessoas, R$ 41,00. São caras, mas ótimas.

Cerveja Quântica: Cerveja da cidade – Gostosa, mas sinceramente, não vale o valor (R$ 30,00).

  • O Alquimista: Restaurante a La Carte em um casarão de 1740.

Ótimo e tradicional. O preço no primeiro momento é alto, mas por exemplo, o prato que pedi comiam 3 pessoas muito bem e até 4 eu penso (e o cardápio dizia duas). Pra mim essa refeição vale mais a pena que pagar nos restaurantes coma a vontade R$ 35,00/ pessoa.

Baião Mineiro: É tipo um mexidão. Foi um dos melhores prato que comi em Minas até hoje, lembrarei dele por muito tempo. Contém: Arroz, feijão, queijo, carne de sol desfiada e ovo frito, além de uma porção de abóbora ( R$ 75,00 ).
  • Alcazar: Aqui funciona um restaurante/pub especialista em comida árabe. Vale a visita mesmo se não for comer, pois o lugar é lindo e um ponto turístico da cidade. Quando fui jantei um menu desgustação árabe e foi ótimo. Estava com 30% de desconto e paguei para duas pessoas R$ 52,00 – Comemos super bem.

LIÇÕES APRENDIDAS.

  • Muitas das acomodações não possuem estacionamento e o carro dorme na rua. Verifiquem antes da sua reserva.
  • Há centro de informações turísticas, onde você pode pegar mapas e mais informações. Fica no centrinho, próximo a matriz, sendo fácil encontrar.
  • Ao sair para as cachoeiras leve com você tudo que vai precisar: Água, petiscos etc.
  • Na cidade há muitos cães, e ainda parece que todos os turistas levam o seu. Não há proibições nas cachoeiras, e os nosso amigos de 4 patas estão por toda parte.
  • Apesar da vibe, em grande parte das cachus é proibido acampar, porém não se preocupe, área de camping é o que não falta na cidade.
  • É proibido fazer churrasco nas cachoeiras.
  • Há caixa eletrônico somente do banco Itaú e a maioria dos lugares ( pelo menos todos que fui) aceitam cartão.
  • Há um posto de combustível na cidade que por uma taxa fixa, saca dinheiro para você. Portanto, melhor levar grana.

 OUTRAS INFORMAÇÕES ÚTEIS.

Fuso Horário: Mesmo horário de Brasília.

A VIAGEM CONTINUA…

Gostou? Compartilhe! Tem alguma sugestão ou atualização de informação? Enriqueça a pesquisa de seus amigos nos comentários. Além de ajudar o próximo viajante é super importante a opinião de vocês para o blog.

QUEM PODE TE AJUDAR?

Há muitas outras informações nesse site: Clique aqui.

Vai viajar? Planeje toda sua viagem com o Quero Mochilar!

O Quero Mochilar tem te ajudado com dicas e roteiros para o seu planejamento? Então que tal nos ajudar sem pagar nada a mais por isso, simplesmente fechando sua viagem com os serviços oferecidos pelas parceiras do Blog.

GARANTA AQUI

SEGURO VIAGEM – HOSPEDAGEM – ALUGUEL DE CARRO – TOURS – PASSAGENS AÉREAS – RESERVAS – CHIP DE CELULAR

Além de garantir sua programação com segurança, você estará ajudando a manter o site no ar cheio de dicas para você, sem gastar na

Siga-nos
error0

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Language »